Pular para o conteúdo principal

Coronavírus: informações, precauções, mercado e Led disponível

Olá. O mundo não fala (nem teme) outra coisa senão a ameaça do coronavírus. Muito você já deve ter lido por aí sobre o assunto para se prevenir - e isso é um excelente sinal! Mas, e quanto ao mercado, a economia e o bom andamento de nossos projetos em 2020? Como e o quanto essa doença afetará na prática nossas vidas mundo afora e aqui no Brasil? Por exemplo, poderá faltar equipamentos em Led num período próximo? Fomos atrás destas e outras respostas - em virtude da importância do tema, informamos que esta publicação (originalmente postada no dia 3 de Fevereiro de 2020) será periodicamente ATUALIZADA. Fique atento!

A PRODUÇÃO DE LED ESTÁ PARADA NA CHINA?



Sim. Devido ao surto de coronavírus na China, o governo central estendeu o feriado de ano novo até o dia 3 de fevereiro de 2020: todas as províncias da China registraram ao menos um caso de coronavírus, o que desencadeou medidas excepcionais como quarentenas em dez cidades, incluindo Wuhan, o epicentro do surto, onde vivem 11 milhões de pessoas e concentra empresas de tecnologia como a Foxcom, fabricante do iPhone da Apple até produtoras de telas Led e Oled para televisores e painéis gigantes, além de fábricas de veículos elétricos. O Coronavírus já infectou mais de 7.700 pessoas, matando 170 delas. Governos locais em diferentes estados também tomam medidas extremas, como por exemplo em Zhejiang, região onde muitos fabricantes e empresas de insumos e produtos acabados para iluminação em Led se localizam, e que fica a 660 km de Wuhan: lá, o governo local decidiu prolongar o feriado até 10 de fevereiro de 2020 - com perspectiva de prologamento extra caso a situação epidêmica não demonstre um quadro mínimo de reversão. A produção nas fábricas de Led da região foi interrompida até 10 de fevereiro de 2020 e esse período também pode ser estendido. Fabricantes de LED enviam mensagens de email aos seus clientes para justificar as entregas atrasadas. Confira uma delas:


QUAIS AS REAÇÕES A ISSO NO BRASIL? 

No Brasil, Grupos no WhatsApp também receberam comunicados semelhantes de seus fornecedores, distribuidores e importadores:



Os produtores chineses prometem que farão grandes esforços para minimizar o impacto das perdas devido a essa situação quando as fábricas reabrirem. Muitos comerciantes de São Paulo já estão reclamando nos Grupos do WhatsApp que possuem pedidos liberados pela Receita Federal parados em containers no Porto de Santos, sem previsão de liberação. Os estoques de equipamentos em Led aqui no Brasil estão alertas para um aumento na demanda, que pode ocasionar a falta do produto e aumento especulativo nos preços. O único aumento de preços observado até então pela Codlux® era o da habitual "atualização de tabela" em alguns fornecedores, típico no início de todos os anos.

Mas em 21 de Fevereiro, um dos principais fornecedores de equipamentos em Led citou nominalmente o coronavírus (COVID19) como justificativa para o aumento de suas tabelas a partir de Março de 2020. Não foi informado a empresa sobre possíveis rupturas em estoques, a não ser aquelas tradicionalmente já esperadas no período  pré-produção local ou importação - devido a lenta venda notadamente ocorridas nos meses de Janeiro e início de Fevereiro. Não deu-se falta de nenhum "produto básico" em Led para atender os projetos de iluminação em andamento na Codlux®, mas com certeza a entrega dos lançamentos em Led programados para 2020 vai atrasar devido a esta paralisação nas fábricas de Led chinesas! Terá que se esperar pelo menos um mês para detectar se o mercado de equipamentos para iluminação em Led vai sinalizar algum período crítico de desabastecimento interno no Brasil, o que acredita-se por enquanto ser improvável, devido a alguns estoques excedentes ainda estarem disponíveis com a baixa demanda de início de ano. Mas, se o seu projeto de iluminação em Led tem  execução prevista a médio-longo prazo, melhor organizar-se com antecedência na especificação dos produtos necessários!

ATUALIZAÇÃO EM 17/03/20

AUMENTOS A CAMINHO!

A Codlux® já está, desde a semana passada, recebendo e-mails de fornecedores importantes a respeito dos aumentos em suas tabelas devido a subida do dólar no Brasil: hoje, a moeda americana está cotada a R$5,07 no país:

"Bom dia, Prezados.
A partir de hoje os valores dos produtos que estão e os que entrarem na entrega futura na XXX estarão sujeitos a alterações conforme preço atualizado de tabela na data da liberação.
A medida faz-se necessário frente a alta volatilidade do câmbio e o aumento considerável nos insumos fabricados na China.
Qualquer dúvida estamos a disposição.
Obrigada." 


No exterior, companhias como a Signify (Philips Iluminação) também estão desde semana passada encaminhando a seus clientes mensagens relativas a seus aumentos de preço no Led:


"13 de março de 2020 

Prezado cliente:

Como você sabe, o coronavírus (COVID-19) se espalhou para muitos países ao redor do mundo e a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o vírus uma emergência de saúde global. Nossos pensamentos imediatos são para aqueles que são impactados imediatamente enquanto tomamos todas as precauções para salvaguardar a saúde, a segurança e o bem-estar de nossos funcionários, clientes e parceiros de negócios. Em 2 de março, nenhum de nossos funcionários foi reportado infectado pelo vírus. Dada a situação em andamento, o impacto total permanece incerto. Caso a entrega dos produtos seja impactada, causando suspensão ou atraso, nossas equipes de vendas entrarão em contato com você. O surto de vírus e os correspondentes fechamentos, desacelerações e proibições de viagens estão fora de nosso controle. Portanto, não temos opção a não ser tratá-lo como um evento de força maior. Os efeitos do COVID-19 (coronavírus) em nossa cadeia de suprimentos estão se intensificando cada vez mais e, além de restrições na situação de suprimentos, estão levando a custos adicionais consideráveis ​​em nossa cadeia de logística. Como resultado dessa situação, estamos enfrentando cobranças mais altas do que o normal para entrega, tornando necessário cobrar um aumento temporário de 3% em todos os eletrônicos de LED (incluindo produtos de emergência) e eletrônicos de lâmpadas (reatores magnéticos e eletrônicos). Esse aumento será aplicado a todos os novos pedidos feitos a partir de 1º de abril de 2020 ou para remessas com data futura em pedidos feitos no mês de março. Quaisquer cotações de projetos abertos existentes ou acordos especiais de preços também estarão sujeitos ao novo cronograma de preços. As programações de preços atualizadas estarão disponíveis em formato eletrônico até 20 de março de 2020. Continuamos monitorando e avaliando a situação em tempo real, mas, infelizmente, ainda não sabemos quanto tempo esse aumento temporário permanecerá. Continuaremos atualizando você à medida que os eventos se desenrolam e a situação muda. Observe que quantidades especiais acima da previsão fornecida por você, bem como solicitações especiais relacionadas às datas de entrega devem ser avaliadas separadamente. Pedimos a sua compreensão para essas medidas temporárias e esperamos facilitar em breve a situação e os custos de entrega, em benefício de todos nós. Obrigado pela sua compreensão.


Atenciosamente, Damian Gardley
Chefe de vendas OEM" 


A rápida propagação do coronavírus indica que ele pode se tornar uma pandemia (ameaça em escala global). Em nosso país não temos registrado até hoje (03/02/20) casos oficialmente confirmados da doença como em outros locais no mundo. Mas, medidas governamentais e alguns fatos "curiosos" (não fossem trágicos) estão ocorrendo com o coronavírus em voga:

-Farmácias e distribuidoras esgotaram os estoques de máscaras na cidade de São Paulo, devido aos descendentes de chineses enviarem o produto em massa para os seus familiares na China
-Notamos em nossas compras habituais de insumos elétricos que, alguns comerciantes chineses na região da Santa ifigênia em São Paulo (onde concentram-se muitos distribuidores de Led) ao conseguirem voltar de suas viagens da China a tempo (antes da decretação de quarentena obrigatória imposta pelo governo), trouxeram também na bagagem o hábito de usar máscaras em suas lojas (algo que nos assustou um pouco!)
-Administradores de um edifício de escritórios na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, um dos centros comerciais mais conhecidos de São Paulo, chegaram a determinar aos chineses que acessarem o prédio a passar a usar máscaras cirúrgicas, usar apenas o elevador privativo e higienizar suas mãos com álcool gel, alegando prevenção de transmissão do vírus (mesmo sem nenhum caso confirmado no país até hoje)
-No Rio de Janeiro, uma descendente de chineses foi atacada com insultos racistas ao descer de uma estação de trem carioca
- Também no Rio, policiais prenderam em flagrante uma mulher que simulou estar com coronavírus numa UPA de Copacabana, alegando ter retornado de uma viagem a Hong Kong, província autônoma da China, para conseguir o direito de prioridade no atendimento do centro de saúde carioca
-Depois de certa relutância e muitos apelos, o governo vai retirar os brasileiros que quiserem sair da China. A FAB vai vistoriar a base que recepcionara os passageiros vindos de lá, pondo em quarentena (aprovada pela Câmara) inclusive os pilotos dos aviões
-Sinal Amarelo: a produção de eletrônicos no Brasil parou em Fevereiro por conta da crise de saúde na China. Samsung e Motorola paralisaram a produção de suas fábricas no país. Grande parte dos componentes utilizados para a fabricação de dispositivos eletrônicos (iluminação em Led incluída) no Brasil vem de produtores chineses e, estas rupturas no fornecimento de insumos mostram que as consequências para o mercado de eletrônicos e tecnologia já chegaram.

ATUALIZAÇÃO EM 27/02/20

-Brasil tem primeiro diagnóstico de coronavírus confirmado oficialmente, tornando-se também o primeiro caso da doença na América do Sul.

Um homem de 61 anos residente em São Paulo é o primeiro caso confirmado da infecção no Brasil. Ele regressou ao país vindo da Lombardia, no norte da Itália - que passa por uma explosão no número de casos de coronavírus: são mais de 220 infectados e sete mortes pela doença. O homem ficará isolado pelos próximos 14 dias em sua casa. Ele apresenta os sintomas da doença como tosse seca, febre, dor de garganta e coriza, passa bem e tem “sinais brandos”. O Hospital Albert Einstein continuará monitorando o estado de saúde do paciente, assim como os das pessoas que tiveram contato próximo com ele.

- A empresa aérea Latam suspende temporariamente seus voos entre São Paulo e Milão no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos de 2 de março até 16 de abril. Atualmente, a companhia opera sete voos semanais de ida e volta para o destino italiano.

ATUALIZAÇÃO EM 17/03/20

-Brasil tem primeira morte por coronavírus COVID-19, ocorrida na cidade de São Paulo. As informações iniciais dão conta apenas de que a vítima, é um homem de 68 anos. O novo coronavírus já está espalhado por 153 países e territórios, infectando quase 200 mil pessoas e deixando cerca de 8 mil mortos. Em 17/03, já são 321 casos confirmados e quase 9 mil suspeitos no Brasil.

A ECONOMIA MUNDIAL ESTÁ DIMINUINDO A MARCHA?  



Parte da "fábrica global" - como é apelidada a China por ser uma potência exportadora - está virtualmente parada, a atividade econômica vai desacelerando em diversas regiões do país e, consequentemente, no planeta. Fabricantes de automóveis como a General Motors e Toyota pediram a seus trabalhadores que estendessem suas folgas no Ano Novo Chinês, com fábricas fechadas até pelo menos 9 de fevereiro. A Foxconn, fabricante terceirizada na China dos iPhones e outros gadgets está fechada e retomará as atividades somente a partir de Março. A Apple também fechou todas as suas lojas e escritórios na China até o dia 9 de fevereiro seguida pelo Google, que também fechará temporariamente seus quatro escritórios no país. O Facebook proibiu viagens de seus funcionários a China e, também cancelou um importante evento direcionado a desenvolvedores marcado para os dias 9 e 12 de Março, o F8. Por causa do temor de epidemia, a MWC (Mobile World Congress), maior feira de tecnologia móvel do planeta que ocorre agora no fim de fevereiro em Barcelona, terá marcas importantes ausentes no evento como a Amazon, a japonesa Sony (que também cancelou participação na feira americana de games PAX East, em Boston, Massachusetts), as sul-coreanas LG e Samsung (que reduzira os estandes e número de executivos presentes), a sueca Ericsson, a finlandesa HMD e consequentemente a sua marca Nokia, as próprias chinesas TLCRoyole (primeira a lançar um smartphone dobrável no mundo) e ZTE (que reluta ainda em não comparecer), além das marcas consagradas como Intel, Media Tek e Vivo, indicando assim um possível 'esvaziamento' devido ao coronavírus.

ATUALIZAÇÃO EM 12/02/2020

MWC 2020 CANCELADA!



A GSMA, organização mundial de operadoras de telefonia e promotora do maior evento de tecnologia móvel do mundo, a Mobile World Congress, acaba de confirmar hoje (conforme especulado) o cancelamento da feira devido as preocupações com o coronavírus. O tiro de misericórdia pode ter vindo do dono da operadora Orange e chefe da GSMA, o francês Stephane Richard, que comunicou a também desistência de sua empresa na participação do evento.

AS BAIXAS NA PRODUÇÃO E NOS EVENTOS DO LED

A epidemia de coronavírus está tendo diferentes impactos na cadeia de suprimentos da indústria de Led na China, como na sua produção de chips upstream, embalagens e a fabricação de produtos para o consumidor final. A produção de chips em Led é a menos impactada pela epidemia porque ainda possui estoques altos devido ao excesso de oferta em 2019. No entanto, o fornecimento dos insumos para a fabricação dos chips em Led como os substratos de safira e outros materiais, podem diminuir. Com isso, espera-se que o preço do chip em Led aumente após março de 2020. Os embaladores de Led também estão sendo afetados pois, a sua operação é baseada em trabalho intensivo, onde a maioria das fábricas está localizada em Guangdong e Jiangxi, com seus trabalhadores vindos de todas as regiões da China. Se estes trabalhadores não puderem retomar aos seus postos de trabalho muito em breve, isso afetará diretamente a produção do Led para iluminação. A província de Hubei, onde o surto de coronavírus começou, é um dos centros de produção de automóveis na China e foi fortemente afetada pela epidemia, resultando em impactos também na produção dos Leds automotivos. Já a fabricação de painéis e equipamentos 'básicos' para iluminação de ambientes também sofre com a falta de materiais, devido ao atraso na produção. E os crescentes casos de coronavírus na Coréia do Sul também podem afetar a produção de painéis Led na China. Além de todos estes atrasos na cadeia produtiva do Led na Asia, muitas feiras internacionais da indústria de iluminação foram e possivelmente também serão canceladas ou adiadas devido à disseminação do coronavírus no mundo. E parece que, seguindo fortemente a tendência (agora irreversível) no segmento mundial de feiras e eventos, a Feira Internacional de Iluminação de Hong Kong já foi adiada devido a estas preocupações globais com o coronavírus. O HKDTC (Hong Kong Trade Development Council) anunciou dia 17 de Fevereiro a decisão, junto as novas datas em Julho para a realização da Feira.




Em um comunicado publicado no site do evento, o Conselho anunciou que oito feiras comerciais da HKTDC, incluindo a Feira Internacional de Iluminação de Hong Kong (Spring Edition), foram remarcadas devido ao surto de coronavírus. As feiras adiadas serão realizadas simultaneamente de 25 a 28 de Julho de 2020 no Centro de Convenções e Exposições de Hong Kong. As feiras adiadas da HKTDC para Julho, coincidirão o seu início com o término de outro mega evento de iluminação na Ásia, a Exposição Internacional de Iluminação de Guangzhou (GILE 20), a ser realizada de 9 a 12 de Junho de 2020 - cuja confirmação destas datas ainda estão mantidas, mesmo com o temor geral do coronavírus.



Outra importante feira de iluminação que ocorreria agora entre os dias 8 e 13 de Março de 2020, foi adiada para Setembro devido ao coronavírus: a Light + Building de Frankfurt, Alemanha. A feira, líder mundial em expositores simultâneos para tecnologia em serviços de iluminação e construção, acontecerá agora de 27 de Setembro a 2 de Outubro de 2020 - os ingressos de visitantes existentes para Março também serão válidos em setembro.



Mesmo com as mudanças preventivas, uma baixa enorme no evento já foi contabilizada: a Signify (Philips Iluminação) anunciou que não participará mais da Light + Building 2020 devido aos riscos com o coronavírus. A Signify foi a primeira grande empresa a sair da Light + Building 2020. A Messe Frankfurt, organizadora do evento, disse que devido às restrições de viagens impostas por diversos países, muitas empresas participantes do evento não puderam ser confirmadas. Agora, com a Signify anunciando sua retirada, não se sabe como as outras empresas reagirão - mesmo com a Feira sendo adiada para Setembro.

ATUALIZAÇÃO EM 07/05/20

Light + Building 2020 CANCELADO!

O Light + Building 2020 adiado para o final de setembro e o início de outubro foi cancelado. Os organizadores do evento decidiram cancelar por não saberem como o coronavírus se desenvolverá até setembro. Os organizadores disseram que estão tomando medidas para garantir que todos os envolvidos não sofram custos desnecessários, como reembolso no aluguel de estandes. O próximo Light + Building acontecerá de entre 13 a 18 de Março de 2022.

Paralelamente a estes adiamentos e cancelamentos, a crise sanitária gerada pelo coronavírus faz mais "vítimas" no segmento LED: outro evento importante de iluminação na Europa foi declinado em definitivo, o LED Professional Symposium + Expo 2020. O chamado LpS é a principal conferência e exposição internacional de tecnologias de iluminação da Europa para projetos luminotécnicos, testes de equipamentos, produção de sistemas, controles e produtos de iluminação para todas as áreas da indústria.



Planejado entre 22 a 24 de setembro, o LpS estaria a apenas uma semana da nova data do Light + Building e, por esse motivo, as equipes de gerenciamento dos dois eventos podem ter excluído da agenda o LED Professional Symposium ao entrarem num acordo para configurar a nova data do Light + Building  - que também corre sério risco de não acontecer, visto que a epidemia de coronavírus está se espalhando pela Europa, ainda que sob certo controle. Mais de cem casos foram confirmados só na Alemanha no final de Fevereiro, tornando realização do Light + Building um grande desafio para o mês de setembro.

ATUALIZAÇÃO EM 16/03/20

A Luger Research eU, organizadora dos eventos LpS/TiL em Bregenz, lançou hoje em Dornbirin, Áustria o LpS Digital, um novo formato de conferência para o setor de iluminação. O LpS Digital será a versão virtual do Led Professional Symposium (LpS) e trará tecnologias atuais de iluminação de alta qualidade, conteúdo de design e aplicativos e familiarizará o público com as últimas tendências em desenvolvimento e aplicativos de produtos. Todas as apresentações e palestras serão compartilhadas com mais de 60.000 contatos no domínio da iluminação por meio de canais de mídia premium e altamente qualificados.



“A LpS Digital manterá o alto padrão de qualidade para palestras e apresentações de produtos. O objetivo é aproximar o público das tendências mais importantes em tecnologia, aplicação e design de forma atualizada, rápida e eficiente. Este é um passo revolucionário, pois esta oferta é disponibilizada totalmente gratuita para o público. Remodelar os eventos LpS e TiL em LpS Digital é um passo coerente ao enfrentar mudanças no comportamento da comunicação, maior conscientização ambiental e os atuais desafios globais. Estamos empolgados por começar neste novo caminho hoje ”.

Siegfried Luger, Diretor de Eventos


LpS Digital é a novíssima, única e primeira conferência e exposição de iluminação digital disponível para os telespectadores de graça, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Devido a questões ambientais e restrições de viagens provocadas pelo coronavírus COVID-19, o aclamado LpS Symposium + Expo e Trends in Lighting Forum & Show, que seriam realizados em Bregenz, Áustria, foram totalmente remodelados agora no LpS Digital. Em 22 de setembro de 2020, haverá um evento de transmissão ao vivo cobrindo palestras, o "LpS / TiL Awards" e um resumo das principais tendências de iluminação. O lema para 2020: "O acordo verde".
É a indústria mundial da iluminação se ajustando a toda esta crise global.
Para mais informações sobre a LpS Digital, visite o site disponível em
www.LpS-Digital.global.

O problema na Alemanha é tão grave que foi comunicado no início de Março um caso positivo de coronavírus na fabricante de equipamentos semicondutores Aixtron (que mesmo assim não fará restrição alguma em sua operação).



Com sede na Alemanha, a empresa informou que um de seus funcionários em Herzogenrath, foi testado positivo para o COVID-19 na noite de 27 de Fevereiro, junto a outros casos já conhecidos no distrito. O pavor de contagiar-se na Alemanha está parecendo afetar até mesmo o governo, gerando cenas no mínimo curiosas: o ministro do Interior alemão se recusou a cumprimentar a chanceler Angela Merkel com um aperto de mão na segunda-feira do dia 2 de Março.



Ao chegar em uma sala de reuniões, a dirigente estendeu a mão para o chefe de Interior, Horst Seehofer, que simplesmente se afastou com um gesto, sorrindo. Seehofer já havia dito a repórteres (antes da chegada de Merkel) ter deixado de estender sua mão como cumprimento por conta do vírus, para evitar a contaminação - algo que os profissionais de saúde no país europeu também recomendaram.

ATUALIZAÇÃO EM 22/03/20

A chanceler alemã Angela Merkel entra em quarentena hoje depois de ter contato com um médico que teve resultado positivo para o novo coronavírus. Ainda é cedo demais para um teste conclusivo na chanceler, que está sob suspeita depois de receber do médico infectado, uma dose de vacina contra a Pneumococo - uma bactéria causadora de pneumonia - após consulta médica regular.

E a lista de adiamentos e cancelamentos na Alemanha só aumenta. Outro anúncio de adiamento em um evento de iluminação foi feito hoje no país (5 de Março) devido ao aumento da disseminação do coronavírus na Europa. A Messe Frankfurt também comunica agora que o Prolight + Sound 2020 será transferido para o período entre 26 a 29 de Maio de 2020 em Frankfurt, Alemanha, após consultas intensivas.



O evento ocorreria originalmente de 31 de Março a 3 de Abril de 2020. O Prolight + Sound é conhecido por oferecer uma plataforma de negócios que abrange luz e som para integração em teatros, palcos, festivais, sistemas AV, telas, tecnologias de mídia e serviços relacionados a entretenimento como shows e eventos, além da criação de conteúdos a diversos segmentos.




Nos Estados Unidos, a LightFair 2020 Conference continua mantida até hoje 2 de Março, com suas datas fixadas para o período entre 3 a 7 de Maio, em Las Vegas - onde espera-se um número de no mínimo 25.000 participantes, com mais de 500 expositores.



A LightFair é o maior evento do mundo em arquitetura e iluminação comercial, design e tecnologia da iluminação, com quatro pavilhões onde serão realizados networking para o setor de arquitetura e iluminação comercial, apresentação de novos produtos e também, soluções e idéias que moldam o setor da iluminação de ambientes. Não existem informações sobre um possível cancelamento, apesar da crise do COVID-19 já ter se instalado em solo norte americano: o coronavírus já matou seis pessoas nos EUA. O condado de King em Washington, onde se constatou mais óbitos, declarou estado de emergência já que as mortes por COVID-19 continuam aumentando. Atualmente (02/03/20), os EUA têm 97 casos confirmados de coronavírus. Em sua página oficial, o evento comunica que:

"(25 de fevereiro de 2020)
A LightFair está monitorando cuidadosamente o Coronavírus (COVID-19) em preparação para sua próxima feira e conferência programada para os dias 3 e 7 de maio de 2020 em Las Vegas. O evento está programado para ocorrer como o planejado, com o mínimo de interrupções possíveis em sua  programação. Se a situação mudar, alertaremos nossos expositores e participantes e publicaremos atualizações nesta página. Continuaremos a avaliar a situação com base nas informações disponíveis nos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Organização Mundial da Saúde (OMS) e Distrito de Saúde do Sul de Nevada na determinação das medidas preventivas mais eficazes a serem tomadas no local."

Vale lembrar que outros eventos importantes de tecnologia nos EUA também estão sendo cancelados, adiados ou tendo a participação de marcas importantes reduzida por causa da epidemia  - a exemplo do que ocorreu com o cancelamento da WMC na Europa - como as feiras americanas de games GDC 2020 (Game Developers Conference) em San Francisco, a PAX East 2020 em Boston e a E3 em Los Angeles. Houveram cancelamentos também na conferência GTC da Nvidia, voltada para desenvolvedores que seria realizada em San JoséCalifórnia (cidade também afetada pelo coronavírus) e no Google I/O, evento anual da gigante tecnológica que ocorre na Califórnia. Atualizaremos as informações a respeito da LightFair 2020 Conference assim que houver alguma alteração relevante em seu cronograma.

ATUALIZAÇÃO EM 14/03/20 

LightFair 2020 ADIADA (sem data redefinida) 

A LightFair anunciou hoje o adiamento de seu evento em 2020 devido a preocupações crescentes em torno do Covid-19 - um sentimento da indústria em preservar a saúde e a segurança de todos. O evento de 3 a 7 de maio de 2020 acontecerá agora no final deste ano em Las Vegas, com data pendente a melhores condições. A feira e conferência de 2020 contará com expositores que apresentam inovações em iluminação, centenas de horas de programação de conferências, além de uma série de novas experiências e oportunidades. As novas datas atualizadas do LightFair serão anunciadas o mais rápido possível.

"Não há dúvida de que a segurança e o bem-estar de todos os participantes da LightFair vêm em primeiro lugar. Temos monitorado cuidadosamente as atualizações oficiais e conferindo com a liderança da IALD e IES, os co-proprietários da LightFair, o melhor curso frente. No momento, adiar o programa é a nossa ação mais responsável. A decisão da LightFair em adiar o evento ocorre sete semanas antes de sua realização, com o objetivo de permitir que participantes, palestrantes e expositores atualizem seus planos.”

Dan Darby, diretor do programa.

A confirmação do adiamento da  também chegou-nos por e-mail:

"Caro Robson, Como você já deve saber, o LightFair 2020 foi adiado para o final deste ano e, após muita consideração, decidimos que não realizaremos nosso jantar anual beneficente e apresentação pessoal de prêmios em 6 de maio conforme programado, devido a preocupações em torno do surto global em curso do COVID-19. A saúde e a segurança de nossos participantes, funcionários, voluntários e a comunidade de Las Vegas são nossa principal prioridade. O IALD e o IALD Education Trust estão explorando opções em relação ao evento. Esta é uma das maiores noites na iluminação e ficaríamos com o coração partido por cancelar o evento deste ano, mas tomaremos a melhor decisão para todos os envolvidos. Ainda celebraremos as conquistas extraordinárias em design de iluminação com o mundo e o atualizaremos o mais rápido possível, uma vez tomada a decisão. Para assistência ou perguntas adicionais, envie um email."

ATUALIZAÇÃO EM 03/04/20 

LightFair 2020 CANCELADA!

A organização do LightFair 2020 anunciou ontem, 2 de Abril, o cancelamento definitivo do evento em comunicado por e-mail enviado aos visitantes. Diz a mensagem: 

"ATLANTA - 2 de abril de 2020 

A feira e conferência LightFair anunciadas anteriormente de 3 a 7 de maio de 2020 e posteriormente adiadas, agora são canceladas, conforme relata a Associação Internacional de Designers de Iluminação (IALD), a Sociedade de Engenharia de Iluminação (IES) e a International Market Centers (IMC). O próximo LightFair será em maio de 2021, no Centro de Convenções Jacob K. Javits em Nova York durante a NYCxDESIGN - New York Design Week. A LightFair retorna ao Las Vegas Convention Center em junho de 2022... O LIGHTFAIR 2020 FOI CANCELADO DEVIDO A PREOCUPAÇÕES CONTINUAS COM CORONAVIRUS... Atualizações adicionais do LightFair estarão disponíveis online no LightFair.com...  A seleção do local para o LightFair 2021 começará em maio de 2020 e o registro de participantes será aberto no início de 2021. O LightFair retornará à Costa Oeste de 21 a 23 de junho de 2022 no Las Vegas Convention Center... Temos o compromisso de manter uma feira e conferência anual e trazê-los de volta ao oeste para servir a milhares de designers, fabricantes, membros da associação e estudantes de toda a região".

LEDucation 2020: mais um evento adiado devido a coronavírus. Agora, remarcado para 18 e 19 de Agosto.



O LEDucation é um evento sem fins lucrativos organizado pelo Designers Lighting Forum de Nova York, servindo como uma plataforma para profissionais do setor conhecerem novas tecnologias ou aprimorarem seus conhecimentos com uma série de seminários e conferências organizados. O evento acontece sempre na cidade de Nova York e esperava-se mais de 400 expositores com mais de 6000 participantes em Março deste ano. Como a preocupação com o novo coronavírus (COVID-19) está aumentando nos EUA e os casos na cidade de Nova York continuam crescendo,

“Com base na avaliação das circunstâncias em evolução, fica claro que seria um risco inaceitável reunir tantos em Nova York na próxima semana. A segurança e a saúde de nossa indústria são de extrema importância ”,

disseram em comunicado Burt Grant e Caroline Rinker, co-presidentes da LEDucation.

ATUALIZAÇÃO EM 23/04/20

Leducation 2020 CANCELADO!

Devido aos contínuos impactos em torno do COVID-19, o Designers Lighting Forum of New York and the LEDucation e o comitê LEDucation tomaram a decisão de cancelar o LEDucation 2020. Em comunicado, disseram "estar desapontados por não poderem realizar o LEDucation 2020 para a comunidade de iluminação... esperam ansiosamente quando puderem se reunir novamente com todos para compartilhar as notícias e inovações da indústria, de seus profissionais e da comunidade. Seus pensamentos permanecem com aqueles que foram diretamente afetados pelo vírus e com todos aqueles que estão lutando com as ramificações dessa crise de saúde. Os participantes, expositores e patrocinadores devem consultar o site da LEDucation.org para obter detalhes adicionais."

LED Expo Thailand adiada para Outubro!



Os organizadores da LED Expo Thailand + Light ASEAN 2020 decidiram reagendar o evento (que ocorreria de 24 a 26 de Junho de 2020 na Tailândia) para o período entre 7 a 9 de Outubro de 2020 devido ao surto de coronavírus COVID-19. A situação é sombria, já que vários organizadores de eventos em todo o mundo enfrentaram decisões difíceis semelhantes e tiveram que mudar as datas de eventos icônicos bem estabelecidos. Esta decisão foi tomada no interesse de compradores e vendedores da região, que se beneficiariam mais com as novas datas. A LED Expo Thailand + Light ASEAN é uma das maiores exposições da Asia sobre tecnologia LED e soluções para iluminação. A 8ª edição do evento terá uma melhor segmentação, com novos destaques para ajudar os visitantes a se conectarem melhor com seus compradores, em conjunto com palestras sobre o tema “Conectando a iluminação para uma vida melhor”, plataforma que reunirá soluções de iluminação inteligente e tecnologia digital.

IFA Berlin 2020 CANCELADA!

A IFA é uma das maiores feiras do mundo quando o assunto é tecnologia móvel e residencial.



O anúncio de seu cancelamento pelo Twitter dia 21 de Abril não pode ser ignorado e formas alternativas de apresentação das mais recentes inovações aos consumidores já estão sendo estudadas, como a realização de um evento similar online. A organização do evento foi obrigada a cancelá-lo devido as leis locais, que não permitem aglomerações com mais de 5.000 pessoas em Berlim até 24 de Outubro de 2020. É difícil porém imaginar outra forma de eventos assim acontecerem sem gerar grandes aglomerações e, o prejuízo já são sentidos pelos investidores da IFA.

ATUALIZAÇÃO EM 25/04/20

CES 2020: onde tudo começou nos EUA?


A Codlux® acompanhou desde 2 de Janeiro, as expectativas para o início da CES 2020, maior (e por enquanto o único de peso que conseguiu ser realizado este ano!) evento tecnológico do mundo - leia mais sobre a Consumer Electronics Show 2020 AQUI. Agora, Paulo Higa do Tecnoblog levantou uma questão importante no site em 24 de Abril sobre a origem da pandemia do coronavírus nos Estados Unidos: teria a COVID-19 invadido o país através da CES 2020?

Leia seu relato:

"... a CES é uma correria só. E todo mundo que vai para lá com frequência já voltou meio destruído, com sintomas de gripe - isso já aconteceu comigo em pelo menos dois anos. Só que a edição de 2020 pode ter sido excepcional: um relato dá conta de que o evento de Las Vegas foi um dos primeiros focos de contaminação da COVID-19 nos Estados Unidos. A CES 2020 ocorreu em Las Vegas entre 7 e 10 de janeiro, antes da data que as autoridades americanas acreditam ter ocorrido o primeiro caso de coronavírus no país em 15 de janeiro. O evento reuniu 170 mil pessoas, o que inclui participantes da China e mais especificamente de Wuhan: eram mais de 100 vindos da cidade identificada como o epicentro inicial da doença. Agora, a American Public Media relata a primeira evidência clara de que o vírus provavelmente estava circulando na conferência: Michael Webber, chefe de ciência e tecnologia da Engie, multinacional francesa de energia e infraestrutura, testou positivo para o exame de anticorpos do novo coronavírus, indicando que ele foi infectado e se recuperou da doença... quando a CES 2020 acabou, ele retornou para a França depois de ficar no aeroporto por horas esperando seu voo de conexão para Londres. O próprio Webber naquele dia, tweetou que o lounge do aeroporto de Las Vegas 'parecia mais uma enfermaria, onde todo tipo de pessoa espirrava e tossia'. Então, no dia 11 de janeiro, um dia depois do encerramento da CES 2020, Webber se sentiu mal em sua casa em Paris: ele estava com sintomas de uma forte gripe, incluindo dor de cabeça, febre e dificuldade de respirar. Seu chefe, que também participou da feira, ficou igualmente doente...  a American Public Media reuniu tweets a partir de 10 de janeiro de pessoas que tiveram sintomas de gripe após participarem da CES 2020:- 
-“Mais alguém sofrendo da gripe de Vegas depois da CES ou sou só eu?”, disse um.
-“OMG, nossa equipe inteira pegou a gripe da CES!”, comentou outro. Mais um:
-“Com a gripe da #CES2020. Eu durmo e fico com sonho febril, suor frio e calafrios”.
Não há como ter certeza de que o vírus já circulava na CES 2020, uma vez que a disponibilidade de testes era baixa ou inexistente quando os participantes, vindos de mais de 160 países, relataram os primeiros sintomas." 



ATUALIZAÇÃO EM 29/07/20 

CES edição presencial 2021 CANCELADA!


A CES 2021 será totalmente digital para evitar a Covid-19. A mudança de planos foi anunciada pelo presidente da organização Gary Shapiro em vídeo publicado este mês no site oficial do evento. Prevista para acontecer na cidade de Las Vegas dias 6 e 9 de janeiro de 2021, não poderá mais ser feita com segurança devido ao cenário pandêmico. Não foram dados detalhes sobre o formato virtual mas, as transmissões poderão acontecer através de uma plataforma especial. O plano original para 2021 era realizar o evento com restrições como uso de máscaras, proibição de pagamentos com dinheiro físico, áreas de higienização e demarcações para evitar aglomerações, principalmente depois dos rumores de que a edição 2020 pode ter colaborado muito para a disseminação de vírus nos Estados Unidos. 

Dia Internacional da Luz: celebração oficial CANCELADA!

Devido a pandemia do coronavírus COVID-19, as atividades planejadas para celebrar o Dia Internacional da Luz 2020 (IDL2020) em 16 de Maio não poderão mais ocorrer conforme o esperado. Em vez porém de também cancelar completamente os eventos extra oficiais de apoio a data, foi sugerido um reagendamento para períodos posteriores, a serem confirmados no futuro pela Bethany Downer (organizadora da celebração). O IDL2020 continuará ativo nas mídias sociais e nos canais oficiais regulares de comunicação.



Se você tinha uma celebração já marcada para o Dia Internacional da Luz em 16 de Maio de 2020, suas atualizações e informações (novas datas datas e descrição) podem ser feitas para divulgação na página oficial da IDL Events.

ATUALIZAÇÃO EM 14/05/20

Feira Internacional de Iluminação de Guangzhou CANCELADA!

A Messe Frankfurt anunciou dia 8 de Maio que as feiras Guangzhou International Lighting Exhibition (GILE) e Guangzhou Electrical Building Technology (GEBT), foram adiadas devido à pandemia do COVID-19. As duas feiras deveriam ocorrer de 9 a 12 de junho e agora, serão realizadas em uma data futura, a anunciada em breve. Elas permanecerão no Complexo da Feira de Importação e Exportação da China em Guangzhou. O GILE é o evento mais influente e abrangente do setor de iluminação na Ásia, enquanto o GEBT é a principal plataforma da região para os mercados de engenharia elétrica, construção inteligente e casa inteligente.



A Messe Frankfurt também oferece uma série de outros eventos de tecnologia de iluminação e construção em todo o mundo, incluindo a Feira Internacional de Iluminação de Xangai, a Shanghai Intelligent Building Technology, a Shanghai Smart Home Technology e outros eventos na Argentina, Índia, Rússia, Tailândia e Emirados Árabes Unidos. 

ATUALIZAÇÃO EM 29/05/20

Conferência The WELL CANCELADA!  

O International WELL Building Institute anunciou dia 28 de Maio que a Conferência WELL 2020, adiada originalmente de Março para os dias 16 e 19 de Agosto este ano, foi definitivamente cancelada.

Em declaração pública, o IWBI disse:

"...No momento, é imperativo que todos façamos nossa parte para retardar a disseminação do COVID-19 e proteger a saúde e a segurança de nossa comunidade global, populações vulneráveis ​​e trabalhadores da linha de frente. Agora, mais do que nunca, edifícios melhores, organizações mais fortes e comunidades mais vibrantes são essenciais para proteger nossas famílias, nossos negócios e o público em geral. No momento, estamos considerando todas as opções para eventos futuros, incluindo um evento virtual e datas para 2021, e compartilharemos informações adicionais assim que disponíveis. Agradecemos sua compreensão e apoio contínuos enquanto navegamos nessas decisões difíceis." 

A Well Conference concentra-se exclusivamente nas construções e edificações que beneficiem a saúde e bem-estar das pessoas, comunidades e organizações através de produtos e tecnologias que os ajudem a se conectar e prosperar. A conferência tem como participantes os profissionais de arquitetura, design, engenharia, incorporadoras, líderes corporativos, profissionais de saúde pública e profissionais de tecnologia. 

Sobre os eventos no Brasil 

Com os diversos adiamentos e cancelamentos de feiras e eventos no setor de Iluminação observados agora em 2020 por causa do coronavírus, era de se esperar um temor de que também houvessem mudanças no calendário do Brasil. Grandes empresas de tecnologia instaladas no país já começam a se prevenir, cancelando eventos em Março. É o caso do Google, que desistiu de seu "Cresça com o Google - Women Will", um evento que reuniria 10 mil mulheres no Ginásio do Ibirapuera, cidade de São Paulo no 13 de Março, devido às preocupações com o COVID-19. É a primeira vez que um grande evento de tecnologia é cancelado por uma empresa no país por conta da pandemia. A preocupação também chegou a Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação (SDIC) da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SEPEC/ME), que instalou dia 23/02 uma força-tarefa para avaliar eventuais ações de mitigação dos impactos que possam atingir o setor produtivo brasileiro relacionados ao coronavírus. Este trabalho será intensificado com o objetivo de acompanhar de perto a situação dos mais diversos setores econômicos e propor ações a serem tomadas pelo governo brasileiro, caso necessário. Nesse sentido, a SDIC está solicitando a colaboração dos organizadores de eventos cadastrados no portal Expofeiras para que relatem alguma previsão de cancelamento dos eventos cadastrados por razão do coronavírus - mesmo que num cenário futuro próximo.

ATUALIZAÇÃO EM 17/03/20 

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas decretou hoje situação de emergência na cidade devido ao aumento de casos de coronavírus. O ato foi publicado no Diário Oficial do Município. Dentre as muitas medidas anunciadas com o decreto, está a que determina o cancelamento de eventos privados na capital paulista. Assim, shows, encontros culturais, corridas de rua e outros eventos que aglomeram pessoas estão suspensos por tempo indeterminado na cidade de São Paulo. Em decorrência disso, o próprio atendimento ao público e também as entregas/recebimentos de encomendas no Showroom Técnico da Codlux® não ficaram disponíveis no período de 20 de Março a 5 de Abril de 2020. Veja no video abaixo (by DW Brasil e G1), imagens de 27 de Março de 2020 das "desertas" cidades de São Paulo e Rio de Janeiro:



Já no setor da iluminação, em vários grupos no WhatsApp por exemplo alguns inscritos na Feicon Batimat 2020 se questionavam a todo instante se o evento ocorreria de fato. A Feicon Batimat é um único evento da América Latina que congrega um grande mix de setores da construção civil e arquitetura num mesmo lugar. Trazendo uma diversidade de marcas nacionais e internacionais, conta com expositores de instalações, acabamentos, externos e estruturas. O evento é referência para seus milhares de visitantes, que buscam uma vasta variedade de experiências com foco em conteúdo, inovação, relacionamento e negócios.



Feicon Batimat é um grande marco no calendário da construção civil no país. Mais de 700 expositores nacionais e internacionais estarão presentes nesta edição 2020, organizados em diversos segmentos - dentre eles Iluminação, Automação, Elétrica e Decoração. Para tranquilizá-los, a direção da feira lançou dia 6 de Março um comunicado sobre o coronavírus em seu Instagram:



"Prezados Visitantes,
A Feicon Batimat informa que sua 26ª edição acontecerá como previsto, entre 31 de março e 03 de abril de 2020, no São Paulo Expo, em São Paulo. A respeito do Coronavírus (Covid-19), a organização do evento continua monitorando de perto e seguindo as orientações mais recentes das autoridades locais, nacionais e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para garantir que nossos visitantes e expositores tenham as informações mais recentes, criamos uma página exclusiva para atualizá-los:
https://notifications.reedexpo.com/pt-br.html 
Atenciosamente,
Direção Feicon Batimat"


ATUALIZAÇÃO EM 13/03/20

O status do link acima era de "nosso evento prosseguirá normalmente", até semana passada. Hoje notamos que ele mudou para "consulte o site do evento específico para obter mais informações". Está confuso e pouco transparente, visto que é um comunicado genérico da Reedexpo/Reed Exhibitions. Talvez por isso, obtivemos informações da desistências de expositores nesta edição da Feicon Batimat - são marcas como Goodyear Ferramentas, Grupo Perlex, Brascola, Rayco, Starret, ilumi, Tachibra, Einhell, Âncora, Aluvid, Titanium, Intech, Vulcan, Karcher, Mebuke, Brasforma entre outras. Continuamos monitorando a situação.

ATUALIZAÇÃO EM 13/03/20 (16:45)

Feicon Batimat 2020 ADIADA!

Em e-mail enviado hoje as 15:30 para os visitantes da feira, a organização do evento informa:

"Prezado visitante,
Devido ao agravamento da situação envolvendo o Coronavírus (COVID-19), a FEICON BATIMAT optou por adiar a 26ª edição, passando de março para os dias 15, 16, 17 e 18 de setembro de 2020, no SP Expo. Com uma expectativa de público superior a 85 mil pessoas, mais de 700 marcas envolvidas e reconhecida como principal vitrine de lançamentos, tendências e tecnologias, a FEICON BATIMAT sabe da sua importância para o setor em quase três décadas de história e continuará trabalhando para entregar um evento repleto de experiências, oportunidades de negócio e de relacionamento.
Atenciosamente,
Equipe Feicon Batimat"


A Expolux é outra importantíssima feira de iluminação no Brasil e chega em 2020 a sua 17ª edição. Bienal, é considerado o principal evento para as empresas de iluminação da América Latina. Abrangente e concentrando tecnologias e tendências, a Expolux apresenta produtos e serviços para lojistas, varejistas, especificadores, lighting designers, arquitetos, designers de interiores, engenheiros e técnicos.



A feira conta com a presença de importantes marcas expositoras e de visitantes com perfil tomador de decisão. A Expolux é o ponto de encontro ideal para quem busca geração de negócios, atualização profissional e relacionamento com clientes/parceiros.



A Codlux® também acompanha as edições da feira - na imagem acima, Andre Caixeta e Marcos Britto na edição 2018 do evento. São 14 setores da iluminação reunidos em um único local. As datas do evento permanecem inalteradas para esta edição:

De 04 a 07 de agosto de 2020
Horário: Terça-feira a Sexta-feira das 10h às 20h
Local: Expo Center Norte – São Paulo/SP

Não temos notícia de nenhum adiamento ou cancelamento devido ao coronavírus em relação a Expolux 2020. Seu site oficial disponibilizou o mesmo aviso que o da FEICON Batmat. Logo, também atualizaremos as informações a respeito da Expolux assim que houver alguma alteração relevante em seu cronograma.

ATUALIZAÇÃO EM 16/03/20

Assim como ocorreu com o link da Feicon Batimat (já adiada para Setembro)o status do link da Expolux 2020 mudou para "consulte o site do evento específico para obter mais informações", tornando-se também assim, impreciso - mas damos um 'desconto' aqui por estarmos falando de um evento que ocorrerá daqui a 5 meses ainda. Continuamos monitorando esta situação.

A Codlux® também recebeu hoje e-mails de cancelamentos de compromissos agendados para mostras e workshops de iluminação este mês em São Paulo - como um programado para a Sony. Existe e possibilidade de mais adiamentos de agenda nas próximas semanas, o que reforça este sentimento global de "pausa necessária nas atividades produtivas do setor da iluminação" também aqui no Brasil. As atividades da empresa porém continuarão normais até segunda ordem - caso se faça necessária uma alteração em nosso horário comercial devido a força maior decorrente da pandemia do coronavírus COVID-19 na cidade de São Paulo. Estamos monitorando toda esta situação e avaliando também, dentre outras possibilidades, a declinação de participação a alguns eventos por parte de nossa equipe nas próximas semanas. Os atendimentos presenciais externos também podem ser revistos durante este período, mantendo-se porém todas as opções online disponíveis em codlux.com.

ATUALIZAÇÃO EM 28/05/20

EXPOLUX 2020 CANCELADA!

Demorou, mas infelizmente, também aconteceu: a edição 2020 da Expolux está cancelada, segundo comunicado dos organizadores no Instagram (abaixo):



"O agravamento do coronavírus no Brasil torna qualquer cenário imprevisível. Pensando na sua e na segurança de todos os envolvidos no evento, nós da Reed Exhibitions em comum acordo com a ABILUX, tomamos a difícil, porém importante, decisão de adiar a realização da 17ª edição da Expolux, para 05 a 08 de julho de 2021. Até lá, continuaremos trabalhando para manter o nosso compromisso em fazer da feira uma das principais ferramentas para o networking, conhecimento sobre o setor e realização de negócios. Enquanto isso, temos apenas uma pergunta: Como podemos te ajudar?" 

Com isso, fecha-se completamente o ciclo de cancelamentos de eventos e feiras para o setor da iluminação no Brasil devido a pandemia do coronavírus. 

O tão aguardado Congresso Mundial de Arquitetos (leia mais a respeito AQUI) que aconteceria na cidade do Rio de Janeiro também foi afetado: a 27ª edição do evento (UIA2020RIO) estava prevista para acontecer este ano, no período de 19 a 23 de Julho. Agora, acontecerá somente no ano que vem, entre 18 e 22 de Julho de 2021 - ano do centenário do Instituto dos Arquitetos do Brasil. Os organizadores esperavam a participação de mais de 60 países e já tinha a confirmação de cerca de 50 palestrantes - 7 keynote speakers de 17 países.



A expectativa original era de que o evento atrairia ao Rio de Janeiro entre 15 mil e 20 mil participantes, configurando-se como um dos maiores eventos corporativos da cidade este ano. Um dos principais temas previstos para discussão no UIA2020RIO aliás, Saúde Urbana, deverá ganhar um novo enfoque, de modo a abarcar discussões sobre a Arquitetura e o Urbanismo diante das necessidades surgidas por epidemias como o coronavírus. Sérgio Magalhães, presidente do Comitê Executivo do UIA2020RIO comenta:

"A discussão da saúde urbana, que já era um tema forte nesta edição, ganha nova dimensão agora. Desde os projetos para hospitais até o saneamento básico, passando pela discussão dos espaços urbanos em tempos de epidemia, temos muito o que debater"


ATUALIZAÇÃO EM 30/03/20

LEDforum 2020 adiado!

O LEDforum é conhecido nacional e internacionalmente por suas palestras e atividades de alto nível técnico e de conhecimento, conduzidas por grandes nomes do universo da iluminação brasileira e internacional, além de lançamentos de equipamentos de iluminação, geração de novos negócios e intenso networking. O evento reúne lighting designers, arquitetos, designers de produtos, urbanistas, paisagistas, acadêmicos, desenvolvedores e provedores de soluções para iluminação, vindos de diversas regiões do Brasil e da América Latina. O LEDforum chega à sua 11ª edição em 2020 prometendo grandes novidades, mas não ficou imune as consequências do coronavírus: inicialmente programado para 20 e 21 de Agosto, será transferido agora para 5 e 6 de Novembro de 2020.



Em comunicado publicado hoje em seu perfil no Instagram, os organizadores informam: 

"Estamos monitorando com atenção os desdobramentos da COVID-19 e, analisando todas as projeções – das otimistas às pessimistas –, concluímos que, apesar de distante, o LEDforum poderia ser afetado pelas consequências da pandemia e das medidas restritivas que foram colocadas em prática em inúmeros países. Diante disso, a organização do LEDforum comunica a prorrogação de sua 11ª edição para os dias 5 e 6 de novembro de 2020. As inscrições continuam abertas no nosso site! Garanta já a sua: ledforum.com.br. Em breve, os tempos de abraços retornarão e, juntos, celebraremos a luz em novembro!"

ATUALIZAÇÃO EM 02/07/20

LEDFORUM 2020 CANCELADO!



A organização do evento comunicou em suas redes sociais dia 2 de Julho que devido ao agravamento da pandemia, este ano a edição física do LEDforum será transferida para 2021... como não há perspectivas para que ela ocorra sem colocar em risco a integridade física dos patrocinadores, congressistas, palestrantes e colaboradores, novas datas foram re-programadas para os dias 19 e 20 de agosto de 2021, bem como as atividades presenciais da Semana da Luz: todos os seus palestrantes divulgados anteriormente, bem como os líderes dos workshops, permanecem confirmados. O LEDforum.20 e a Semana da Luz 2020 acontecerão este ano em ambiente digital, com nossa comunidade presente e protagonista. 

ATUALIZAÇÃO EM 31/03/20

Associação Global de Iluminação (GLA)
pede acesso contínuo a produtos de iluminação

A Global Lighting Association (GLA) publicou recentemente um comunicado à imprensa pedindo às autoridades que garantam acesso sustentado a produtos de iluminação durante esses tempos difíceis, categorizando a iluminação como um produto essencial e garantindo que os produtos de iluminação possam continuar sendo fabricados, fornecidos e vendidos.


A Global Lighting Association - da qual faz parte a ABILUX (Associação Brasileira da Indústria de Iluminação) - é um agrupamento de associações nacionais e regionais de iluminação que representam mais de 5.000 fabricantes de iluminação, com vendas anuais de US$ 75 bilhões. A Global Lighting Association é uma voz para o setor global de iluminação. O GLA promove o crescimento das indústrias globais de iluminação, promovendo o valor da iluminação, práticas comerciais e estruturas regulatórias saudáveis, ​​que estimulem a inovação e a concorrência justas. O GLA compartilha informações dentro dos limites do direito da concorrência sobre questões políticas, científicas, comerciais, sociais e ambientais, relevantes para a indústria da iluminação, defendendo a posição da indústria global de iluminação às partes interessadas relevantes na esfera internacional.

Diz o seu comunicado:

"A iluminação é uma parte vital da vida e a disponibilidade de produtos e serviços de iluminação é essencial, especialmente na situação atual. É necessária luz para cumprir funcionalmente nossos deveres diários em casa, bem como nos locais encarregados de lidar e aliviar a crise atual, como hospitais (de emergência), centros de assistência, lojas e centros de distribuição. Além disso - e muito importante - em tempos estressantes, a luz pode ajudar a confortar as pessoas, fazê-las sentir-se seguras e contribuir para o seu bem-estar. O GLA acredita que o acesso a produtos de iluminação não deve se tornar um tópico de preocupação durante a pandemia do COVID-19 e instamos as autoridades a classificar os produtos de iluminação como produtos essenciais no contexto de quaisquer medidas que, de outra forma, limitariam a fabricação, o fornecimento ou a venda de produtos."

Vôos, viagens, trânsito empresarial cancelados!


Com previsão de tanta movimentação de empresários e executivos em Fevereiro/Março por causa das feiras mundo afora, empresas aéreas como a British Airways, Lufthansa Group, Air India, Indigo, Air Canada e Turkish Airlines dentre outras, interromperam vôos totais ou parciais para a China. Muitos países estão trabalhando duro para evacuar seus cidadãos de Wuhan. À medida que o vírus na China se espalha, espera-se que continue afetando o mercado chinês e outros mercados financeiros. Na quinta-feira, o mercado de ações de Xangai caiu quase 2,8% e o yuan enfraqueceu. Nos mercados de commodities, houve uma reação dramática. Globalmente, petróleo e produtos refinados de petróleo, como combustível de aviação, diesel e gasolina, foram atingidos por temores de que o vírus diminua o transporte global e reduza o comércio e viagens dentro da China. Os contratos futuros de petróleo brent caíram 4,5% até agora. Mas, nem tudo é escuridão. Há luz no fim do túnel, pelo menos para o Led. O site LEDinside afirma em artigo de 5 de Fevereiro que Taiwan poderia atender aos pedidos de produção de Led na China se a produção chinesa for drasticamente afetada pelo surto do coronavírus. A maioria dos fabricantes de Led da China deveria voltar a operar agora, em 10 de fevereiro, incluindo aí as fabricantes de chips como Sanan e HC Semitek, os embaladores de Led Nationstar, Refond, Honglitronic e também os fabricantes de produtos de exibição e iluminação Absen e Unilumin. Os rumores são de que estas empresas estariam ansiosas para solicitar a transferência para compensar a falta de produção. Roger Chu, analista do LEDinside e vice-presidente de pesquisa da TrendForce Corp. ressalta porém que:

"...a transferência de pedidos para os fabricantes de LED de Taiwan pode não ser significativa, pois o estoque de chips de Led é relativamente alto e, o setor também sofreu uma queda nos negócios em 2019 devido aos conflitos comerciais entre EUA e China."


Isto confirma a visão da Codlux® de que, apenas um reaquecimento abrupto na economia de países emergente como o Brasil e Índia fariam estes estoques chineses excedentes baixarem rapidamente. Mas aí a logística na China também deveria estar normalizada, com o abastecimento de navios e aviões e os seus devidos tráfegos globais garantidos para o transporte deste estoque a ser comercializado - algo que, neste exato momento, nem as petrolíferas nem os governos podem garantir com o coronavírus em curva ascendente por aí. Então, voltamos ao estoque doméstico aqui no Brasil: por enquanto, nossa reserva de "equipamentos básicos" em Led (lâmpadas, plafons, spots etc) teoricamente pode resistir aos 3 meses de "observação/PÁRA TUDO!" que a OMS (Organização Mundial de Saúde) impôs a China e consequentemente ao mundo para conter uma pandemia do coronavírus. Em termos de mercado, o clima geral agora é de pura observação...

ATUALIZAÇÃO EM 11/03/2020



Hoje 11 de Março de 2020, os números para o coronavírus (COVID19) estão em mais de 118.000 casos oficialmente registrados em 114 países, com 4,3 mil mortes em todo o mundo. No Brasil, o número de casos confirmados chegaram a 36, com 893 casos suspeitos sendo investigados no país. Estes números levaram a OMS (Organização Mundial da Saúde) a classificar hoje a epidemia mundial do coronavírus COVID-19 como uma PANDEMIA.

Neste cenário, as fábricas na China dificilmente retomarão com normalidade a sua produção nesse quadro de aumento no surto da doença, segundo publicação de Yining Chen, do LEDinside. Reabrindo no último dia 10 após o feriado do Ano Novo Lunar, nem todas as plantas fabris chinesas estão de fato funcionando, visto que mais de 80 cidades no país ainda permanecem 'bloqueadas' ou com 'gestão comunitária rigorosa' e, os trabalhos têm grande dificuldade em retornar.



Como a grave infecção ainda não foi controlada, reabrir um grande número de fábricas agora pode significar levar a uma maior disseminação do vírus entre as pessoas. Comparado a outros setores fabris, a produção atrasada de Led pode não trazer grandes impactos ao setor de iluminação de ambientes (engenheiros, arquitetos, light designers), uma vez que o nível de estoque de chips para a sua montagem ainda permanece alto e, muitas marcas do setor continuam sofrendo por causa do declínio nos seus negócios, ocorrido em 2019. Porém, com muitas cidades chinesas fechadas por tempo indeterminado, a entrega e logística dos produtos de iluminação em Led que ainda contam com estoques, podem ser drasticamente afetadas e causar futuro desabastecimento no mercado. Continuaremos monitorando esta situação.

ATUALIZAÇÃO EM 06/03/2020

OS SINAIS DA RECUPERAÇÃO

Na China, um conselho governamental promove uma logística especial para retomar o trabalho e a produção no país. O primeiro-ministro do Conselho de Estado, Li Keqiang, organizou uma reunião executiva em 3 de Março para implantação de melhorias no mecanismo de coordenação de trabalho, como apoiar o transporte, a entrega expressa e outras indústrias de logística para aliviar as dificuldades e acelerar a recuperação e o desenvolvimento, aumentando também o apoio ao financiamento local e melhorias na capacidade do 'seguro de vida básico' e salário das pessoas. Estas medidas não só podem fornecer um forte apoio à prevenção e controle das epidemias como também, suavizar o ciclo econômico e atender às necessidades dos meios de subsistência dos chineses.



Todas as localidades deverão fornecer acesso não discriminatório aos serviços postais e empresas de entrega expressa, promover a desobstrução do tráfego em áreas e comunidades rurais e incluir instalações de entrega inteligentes nas construções de infraestrutura pública urbana e rural. Reduzir impostos e taxas dentro de um certo período de tempo e manter a política de redução do imposto sobre o uso da terra urbana, também serão algumas medidas consideradas, bem como uma redução de 3 meses na taxa de construção de portos para mercadorias de importação e exportação portuárias - dentre outras isenções, como a redução nos custos de seguro de veículos, navios e aeronaves em operação e também, a livre passagem em rodovias com pedágio para determinados motoristas de caminhão. Este pacote de políticas deverá ajudar o setor de logística a aliviar as suas dificuldades e também promoverá o emprego e desenvolvimento econômico, estagnados pelo coronavírus.

COMO SE PREVENIR CONTRA O CONTÁGIO DO CORONAVÍRUS?



Já foram confirmados até agora pacientes infectados com coronavírus nos Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França, Espanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Camboja, Coreia do Sul, Filipinas, Índia, Japão, Malásia, Nepal, Singapura, Sri Lanka, Taiwan, Tailândia, Vietnã, Finlândia, Rússia, Suécia e Emirados Árabes Unidos. Fora da China há registro de apenas uma morte nas Filipinas. Veja a atual situação da doença no mundo:



Vírus anteriormente desconhecido, o coronavírus causou ansiedade global devido à sua semelhança com o SARS, que matou centenas de pessoas na China e Hong Kong entre 2002 e 2003. Já há mais de 10 mil casos registrados, os mortos passam de 300 e a doença chegou a duas dezenas de países. O governo da China deu um passo extremo ao fechar todos os transportes públicos em Wuhan, cidade que vive cerca de 11 milhões de pessoas.



Os desafios da quarentena durante a migração no Ano Novo Chinês são surpreendentes, embora o país esteja mais bem equipado do que a maioria dos lugares para executar medidas drásticas de saúde pública, demonstrando sua determinação a mais de 50 milhões de cidadãos. Na semana passada, a Organização Mundial de Saúde convocou um comitê especial para decidir se declararia a doença como uma 'emergência de saúde global'. Por fim, após dois dias de deliberação, o grupo oficializou o anúncio. Então, conheça um pouco mais do coronavírus e seu combate:





Máscaras: um capítulo a parte

O uso de máscaras é recomendado a pessoas portadoras do vírus e também aquelas com saúde bem debilitada, ao saírem na rua e a locais muito lotados. Mas, apesar de alguns "especialistas" dizerem que não é importante o uso de máscaras pela população em geral, higienizar mãos e antebraços com álcool gel de nada adiantará se você estiver em grandes aglomerações com suas vias respiratórias expostas! E os números só reforçam estes cuidados: as suspeitas de casos se multiplicam no Brasil (182 até 1º de Março) e a cidade de São Paulo já registrou o seu segundo caso positivo de coronavírus somente no mês de Fevereiro, não tendo porém máscaras disponíveis em muitas farmácias. A cada tosse, o vírus se espalha pelo ar. As gotículas de saliva, espirros, acessos de esgoto, contato próximo e superfícies contaminadas são vias de transmissão do novo coronavírus Covid-19.

“Uma gotícula de saliva, por exemplo, ela não tem só água, ela tem proteínas da saliva. Uma gotícula de secreção respiratória tem muco, que tem proteína, tem resto de célula. Todo esse material orgânico protege o vírus. Esse material orgânico consegue formar uma capa ao redor do vírus. Quando tem muco, catarro, essas coisas, o vírus fica viável por muito tempo, em qualquer superfície, é claro que se a superfície for porosa ele pode durar muito mais” diz Flavio Guimarães Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)


Um estudo americano recém-publicado no respeitado periódico médico The New England Journal of Medicine descobriu que o vírus sobrevive por algumas horas em suspensão no ar em ambientes fechados ou até dias em determinadas superfícies. Em uma sala ele pode ficar espalhado pelo ar e infectar outra pessoa em cada três presentes neste ambiente contaminado. O vírus chega a ficar até três dias sobre objetos de plástico ou aço inoxidável por exemplo. Uma pessoa infectada pelo COVID-19 pode transmitir o vírus para outras duas ou três pessoas ao redor. Por isso o uso de máscara ao sair a rua é tão importante!



Um artigo de Scottie Andrew e Jessie Yeung na CNN americana explica em parte toda essa polêmica com a recomendação no uso de máscaras: "As máscaras não podem parar o coronavírus nos EUA, mas a histeria levou à compra em massa, a preços altos e a um sério medo do futuro" . Sim, é quase isto, mas o que está mesmo em jogo segundo a publicação é a eminente falta do produto a profissionais de saúde caso a epidemia se espalhe rapidamente em território norte-americano.

"Precisamos garantir que essas máscaras estejam disponíveis para os médicos e enfermeiros que cuidam de pessoas com esta doença", disse Robert Redfield, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, durante uma audiência na Câmara dos Negócios Estrangeiros nos EUA. "E realmente me desagrada ao encontrar pessoas saindo com elas; não há motivo para essas máscaras na comunidade".


Sui Huang do Institute for Systems Biology afirma que:

"A recomendação oficial nos Estados Unidos (e em outros países ocidentais) de que o público não deveria usar máscaras faciais foi motivada pela necessidade de guardar máscaras de respiração para os profissionais de saúde. Não há suporte científico para a afirmação de que máscaras usadas por não profissionais “não são eficazes” no combate ao coronavírus. Pelo contrário, tendo em vista o objetivo declarado de “achatar a curva” (diminuir o crescimento da pandemia), qualquer redução adicional, porém parcial, da transmissão seria bem-vinda - mesmo aquela proporcionada pelas máscaras cirúrgicas simples ou máscaras caseiras (DIY) (que não exacerbariam a problema de fornecimento). As mais recentes descobertas biológicas sobre a entrada viral do SARS-Cov-2 no tecido humano e na balística de espirros/tosse sugerem que o principal mecanismo de transmissão não é através dos aerossóis finos, mas de gotículas grandes e, portanto, justificam o uso de máscaras cirúrgicas por todos."


Se você é usuário do Instapaper, pode ler o artigo de Sui Huang traduzido e ilustrado AQUI

Logo, explica-se esta 'minimização' na indicação de máscaras a 'pessoas comuns', feita por certos "especialistas"... Então, não se sinta tão culpado assim ao garantir a sua e também para sua família - são regrinhas básicas de mercado que devem se ajustar automaticamente a situações como as vividas por epidemias e, mentirinhas governamentais ou de classes não ajudam muito a população em geral. E, assim como não "culpamos" os descendentes chineses espalhados por todo o mundo que esgotaram os estoques locais de máscaras ao enviarem massivamente o produto a seus parentes na China (atitude que com certeza ajudou a frear o avanço da doença no país asiático), também não podemos ser discriminados agora pela mesma atitude em relação ao nosso país. Um belo exemplo deste ajuste em um "gerenciamento de crise" vem do próprio setor de LED, através da fabricante de eletrônicos japonesa Sharp, de propriedade da Foxconn: a empresa planeja começar a produção de máscaras em uma de suas fábricas no Japão (em Kameyama) na província de Mie, onde normalmente esta unidade é usada para produzir grandes painéis de Led LCD para montagem de suas TVs.



Sharp fará 150.000 máscaras até o final de Março, com perspectiva de aumento massivo de sua produção ainda em 2020. A unidade em Kameyama é a mais adequada para a produção das máscaras devido aos seus rigorosos padrões de limpeza. O uso de máscaras pela população é comum no Japão, principalmente no inverno, quando muitas pessoas as usam para ajudar a prevenir a propagação de doenças típicas da estação. Com a crise do coronavírus, assim como vimos em São Paulo e em outras partes do mundo, a falta de máscaras está pondo em cheque também a segurança no 'chão das fábricas', tornando-as portanto um EPI (Equipamento de Proteção Individual) indispensável também na produção (como citamos acima o caso do funcionário infectado na Alemanha).

ATUALIZAÇÃO EM 1º E 2 DE ABRIL DE 2020

Governos e organizações finalmente acordam para o uso de máscaras por todos! 

No Brasil, foi noticiado no dia 31 de Março que o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta deveria sugerir uso de máscara até para quem não tem coronavírus. Atualmente, os órgãos de saúde indicam o item apenas para profissionais da saúde e pacientes com sintomas de Covid-19. Mas o Ministro da Saúde deveria mudar a recomendação sobre o uso de máscaras no combate ao coronavírus, afirmando que a pasta também vai sugerir a utilização do acessório para pessoas que não estão infectadas, O Ministério da Saúde prepararia um protocolo com as novas orientações. Confira a notícia em audio AQUI. E foi o que realmente aconteceu no final do dia 1 de Abril: Mandetta ressaltou que há estudos científicos que indicam o uso de máscaras de pano e disse que conversa com a indústria têxtil para que máscaras feitas com TNT sejam produzidas e oferecidas para a população em geral. O Ministro também reforçou que há a possibilidade de uso de máscaras caseiras e pediu para que as máscaras cirúrgicas ou N95, que oferecem maior proteção, sejam deixadas apenas para o uso de profissionais da saúde. Ele pediu, inclusive, para que quem comprou o modelo N95 entregue nos hospitais para uso dos médicos. Durante uma apresentação, o Ministro pediu aos técnicos da pasta que divulguem ainda na manhã de quinta-feira as orientações completas sobre o tema. Segundo o ministro, o que antes ele mesmo apresentou como "protocolo" serão na verdade recomendações simples sobre quais os tipos de tecido usar, tempo de uso e como lavar as máscaras para reutilização. Mandetta complementou ainda que: 

"Qualquer um pode fazer sua máscara de pano... Acho que máscaras de pano para os comunitários funciona muito bem como barreira. Não é caro de fazer, faça você mesmo, tem na internet, faça você mesmo e lave com água sanitária, ou o nome que você conhece. Lave por 20, tenha 4 ou 5 de uso pessoal, você mesmo lava, reaproveite. Agora é lutar com as armas que a gente tem. Não adianta a gente ficar agora lamentando que a china não tá produzindo. Vamos ter que criar as nossas armas e as nossas armas vão ser aquelas que nós tivermos"

Como criar uma máscara de emergência rapidamente!

O Procon carioca notificou em Março algumas empresas que estavam vendendo para hospitais a caixa com 50 máscaras de proteção por R$ 165,00 - quando antes da pandemia do coronavírus, a mesma embalagem era comercializada a R$ 4,40 - um aumento de 3.650%. Foram mais de mil denúncias referentes a preços abusivos cobrados por estabelecimentos nas máscaras. Para se proteger disso, o consumidor deve entrar em contato com o Procon de sua região e fazer sua denúncia. Então, o que fazer se você não encontrar máscaras para vender ou a preço que não seja o seu peso em ouro? Não se arrisque! Não tem máscara no mercado? Improvise.

Como criar uma máscara de emergência rapidamente:
-1 ou 2 folhas de pano descartável 
-4 elásticos de dinheiro
-1 tesoura


Acompanhe no video abaixo. Cuide-se bem! ♥



Na França, a falta de um "produto banal" como a máscara - cujo fornecimento foi interrompido quando os chineses precisavam se proteger - provocou uma reação agressiva do presidente Emmanuel Macron ao visitar uma fábrica que mudou a produção para fazer máscaras:

“Nossa prioridade é produzir mais na França e na Europa. Esta crise nos ensina que se impõe uma soberania europeia sobre certos bens, produtos e materiais... Devemos reconstruir nossa soberania nacional e europeia... Há bens e serviços que estão acima das leis do mercado”, disse o presidente francês.


Não só a Europa, como os Estados Unidos, sem falar nos países periféricos, descobriram, em plena crise, que estão desprovidos de um instrumento de sobrevivência. As máscaras são o produto mais evidente, pela urgência imediata, mas há uma longa lista de outros, indo de princípios ativos para remédios a equipamentos hospitalares e toda a cadeia necessária para sustentá-los.

A virada – de “desnecessárias” para muito necessárias – já foi anunciada pelo “médico mais importante do mundo”, Anthony Fauci, o infectologista que domina a área médica da equipe do governo americano. À sua maneira diplomática, mas sem margens a dúvida, disse Fauci:

“A ideia de conseguir um uso comunitário muito mais amplo, fora do ambiente dos serviços de saúde, está sendo discutida muito ativamente pela força-tarefa”.


Numa entrevista à Science, George Gao, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, já tinha feito uma análise bem crua sobre os efeitos da falta de máscaras:

“O maior erro nos Estados Unidos e na Europa, na minha opinião, é que as pessoas não estão usando máscaras”,


disse o cientista, especialista em vírus com membranas finas de lipídeos – o tipo do maldito que se infiltra eficientemente nas células como o corona.

A transmissão invisível, pela fala e outras partículas, é especialmente amplificada quando o portador não tem sintomas, como em data não muito distante será a maioria das populações. A ironia, involuntária, do cientista chinês é que o uso da máscara não se propagou justamente porque não existem máscaras para todos os habitantes de lugares infectados do planeta. Ou seja, o mundo todo. Segundo avaliação do New York Times feita há uma semana, a China está produzindo atualmente 116 milhões de máscaras por dia. Doze vezes mais que antes da epidemia. Peter Navarro, diretor de Comércio da Casa Branca que até recentemente estava envolvido no confronto comercial com a China, foi deslocado para fazer o que todos estão fazendo: caçar equipamentos contra a epidemia e disse ao Times:

“Meu trabalho na Casa Branca no momento é ajudar a encontrar tudo que o povo americano precisa e comprar onde quer que for preciso. Se a China ou qualquer outro país tem máscaras, luvas e outros equipamentos que precisamos para os americanos, recebemos de braços abertos. O que não precisamos é de um exercício de propaganda durante uma crise que as atitudes do Partido Comunista Chinês tornaram mais grave do que deveria ser”.


Mas não custa lembrar que a China domina as máscaras pelo mesmo motivo que tudo mais: um custo sem competição. Hoje, a máscara que custa 1 centavo a caixa poderia ser vendida por 10 dólares a unidade. Num momento em que o presidente norte-americano Donald Trump apela aos cidadãos para se prepararem para “os dias difíceis que virão pela frente”, “duas semanas muito dolorosas” e outros alertas que refletem a sinistra previsão de 100 mil a 240 mil mortos nos Estados Unidos, as pessoas comuns são lembradas que precisam daquelas máscaras que tantos especialistas disseram ser desnecessárias. Na França, Macron prometeu que o pais “atingirá a independência plena e completa” em produção de máscaras até o fim do ano (a aprovação ao presidente deu um salto, subindo para 43%).

Mas, não ficamos livres de recomendações suicidas vindas de onde menos se esperaria: a própria OMS (Organização Mundial da Saúde)!! O porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, lançou o "alerta" (tsc) da organização dia 31 de Março sobre o uso de máscaras por pessoas que não querem se infectar pelo novo coronavírus, garantindo que possa haver uma falsa sensação de segurança:

"O uso não é requerido para pessoas saudáveis. Ao invés disso, as pessoas com sintomas é que devem usá-las, para proteger os demais, assim como os que cuidam dos doentes em casa e estão mais expostos ao vírus",


disse o representante da entidade. Uma completa irresponsabilidade, no mínimo!... A OMS mente e dissemina Fake News descaradamente:

-Como você saberá que está do lado de um assintomático?
-Como confiar que um espirro em sua direção vem de uma pessoa não infectada?

Dias depois desta declaração desastrosa da OMS, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que a pandemia de Covid-19 é o maior desafio que o mundo já enfrentou desde a Segunda Guerra Mundial. Para ele, a situação pode levar a uma recessão sem paralelo e, por isso, exige resposta forte e eficaz:

“É a combinação de uma doença ameaçadora para todo o mundo e de um impacto econômico que conduzirá a uma recessão sem precedentes... é o pior momento desde que as Nações Unidas foram criadas, há 75 anos... a combinação dos dois fatores e o risco de uma instabilidade acumulada, de violência acumulada, de conflitos acumulados fazem desta crise o maior desafio desde a Segunda Guerra Mundial... é a crise que exige a resposta mais forte e mais eficaz... isso só pode acontecer pela solidariedade e por um esforço comum, abandonando os jogos políticos e compreendendo que a humanidade está em jogo... a comunidade internacional está longe do que deveria nesta solidariedade, que é vista apenas em medidas dos países desenvolvidos para conter as suas economias. O número de casos confirmados no mundo está próximo de 875.000, com mais de 43.000 mortes... o novo coronavírus está atacando as sociedades no seu âmago, tirando as vidas das pessoas... precisamos de uma imediata resposta de saúde coordenada para suprimir a transmissão e parar a pandemia”. 


Entendeu então?

USE MÁSCARAS!

ATUALIZAÇÃO EM 30 DE ABRIL DE 2020

Uso de máscaras no transporte coletivo passa a ser obrigatório em São Paulo! 
Medida para a valer a partir da próxima segunda-feira (4) para passageiros de todo o transporte público, incluindo táxis e passageiros de aplicativos. Decreto será publicado amanhã.



A partir da próxima segunda-feira (4), o uso de máscaras no transporte público será obrigatório na cidade de São Paulo. O decreto será publicado amanhã (30) no Diário Oficial do Município, com o objetivo de diminuir a transmissão da covid-19 (doença provocada pelo novo coronavírus) na capital. Com a nova regra, todos os passageiros, motoristas e cobradores deverão usar as máscaras desde o momento do embarque. O anúncio da medida foi feito nesta quarta-feira (29) pelo prefeito Bruno Covas e pelo governador João Doria, que também aplicará a obrigatoriedade em todo o estado de São Paulo. Por isso, a medida deve ser seguida para os passageiros que precisarem utilizar o sistema de ônibus da SPTrans, além dos trens da CPTM, Metrô, ônibus intermunicipais da EMTU, táxis e transporte por aplicativo. Motoristas de táxi e de carros de aplicativos também serão obrigados a usar máscaras. Caberá às empresas e aos prestadores de serviços a responsabilidade de não permitir a entrada e a permanência de pessoas sem máscaras no interior das estações, dos vagões e dos ônibus.

De 27 de Fevereiro quando a Codlux® atualizou esta postagem para o primeiro caso de coronavírus registrado no Brasil aqui em São Paulo, o estado registra hoje (30/04/20) 2.375 mortes por COVID-19 e, os casos confirmados subiram 10% só nas últimas 24 horas. Notificações da doença chegam a 28.698 casos. Os bairros com maior números de mortes na cidade de São Paulo até o dia 24 de Abril são:

-Brasilândia (Zona Norte) - 81 mortes
-Sapopemba (Zona Leste) - 77 mortes
-São Mateus (Zona Leste) - 58 mortes
-Cidade Tiradentes (Zona Leste) - 51 mortes
-Vila Nova Cachoeirinha (Zona Norte) - 50 mortes
-Sacomã (Zona Sul) - 50 mortes
-Freguesia do Ó (Zona Norte) - 47 mortes
-Capão Redondo (Zona Sul) - 46 mortes

No Brasil, a pandemia do coronavírus tem:
-Casos confirmados= 81.329
-Pacientes recuperados= 34.132
-Pacientes mortos= 5.628

A taxa de contágio do coronavírus no Brasil é de 2,8, a maior entre 48 países pesquisados em levantamento feito pelo Imperial College de Londres.


A ILUMINAÇÃO EM LED AJUDA NO COMBATE A VÍRUS?



Sim. O Led para iluminação geral já é bem conhecido por ser mais eficiente energeticamente que outros tipos antigos de lâmpadas e luminárias, possuindo maior poder na iluminação de ambientes. Junto ao seu desenvolvimento ao longo das décadas, uma diversidade enorme de outras aplicações no uso da tecnologia Led foram sendo descobertas - inclusive aquelas em benefício da saúde humana. Novos produtos de iluminação em Led de confiança e estrategicamente posicionados em alguns locais sensíveis a contaminações, prometem agora fazer uma enorme diferença no combate a vírus e epidemias.

Como?

Os Leds UVs por exemplo, podem hoje ajudar a diminuir o coronavírus. Se por um lado a luz UV comum é condenada por acelerar células cancerígenas em nossa pele - principalmente na praia ou em exposição frequente ao sol forte - ela por outro lado tem sido amplamente utilizada para desinfecção em uma enorme gama de equipamentos médicos e não médicos disponíveis no mercado. No atual cenário em que o mundo inteiro está lutando contra o surto de coronavírus, os Leds com luz UV podem sim ser uma solução prática para matar o vírus e prevenir infecções. A luz Led UV é germicida porque, com seu comprimento de onda curto, inativa micro-organismos, destruindo seus ácidos nucleicos e interrompendo seu DNA. Além disso, o oxigênio também ajuda, absorvendo a energia da luz Led UV para formar o ozônio, também muito eficaz na desinfecção. De acordo com o entendimento atual, a luz Led UV com um comprimento de onda de 200-280nm é mais germicida.

As pesquisas com a Luz Led Ultra Violeta no combate a vírus e tratamento de água

Em 2018, pesquisadores da Universidade de Columbia já desenvolviam um novo tipo de lâmpada ultravioleta (UV) para matar o vírus da gripe Influenza, que não fosse prejudicial à pele ou aos olhos humanos - como notado nas antigas lâmpadas usadas para iluminação em geral. David Brenner, diretor do Centro de Pesquisa Radiológica do Centro Médico Irving da Universidade de Columbia explicou a época que:

"Sabemos há um século que a luz UV é extremamente eficiente para matar micróbios, bactérias e vírus. Só que até hoje, ela era realmente prática se as pessoas não estivem perto delas. A Luz UV comum é usada na esterilização de equipamentos médicos em hospitais ou água potável para campistas. Mas, estas lâmpadas germicidas comuns não são seguras para os seres humanos ficarem por perto. Uma exposição prolongada a elas, pode causar câncer de pele e catarata nos olhos."


Cerca de cinco anos antes, a equipe de Columbia encontrou uma solução para este problema: a luz no espectro UV-C (ou UVC), com comprimentos de onda muito curtos. Os pesquisadores suspeitaram então que ela poderia penetrar e destruir bactérias e vírus microscópicos, com a vantagem de não atravessar as camadas protetoras externas da pele ou dos olhos humanos. Estudos anteriores em animais e seres humanos já haviam mostrado que a exposição à luz UVC parecia realmente segura, matando bactérias do vírus MRSA, comum em infecções pós cirurgias. Outros testes mostraram que a luz UVC podia efetivamente matar o vírus Influenza disperso no ar, além do vírus da gripe H1N1 - nos testes, a luz UVC inativou estes vírus com a mesma eficiência de uma luz UV germicida convencional, enquanto um outro grupo de bactérias não exposto à nenhum tipo de  luz UV permaneceu ativo. David Brenner complementa:

"Queríamos então obter todos os benefícios de uma luz UV em termos de eliminar micróbios, mas sem riscos à saúde humana. Em testes, não vimos nenhum dano biológico nas células da pele ou células dos olhos com a nova luz UVC, enquanto que com a luz UV convencional, sempre aferimos muitos danos biológicos." 

Como em toda adoção de uma nova tecnologia, existem confusão e desinformação neste processo. Como exemplo, levará vários anos até que o desempenho e os preços dos LED UV atinjam um nível perfeito no tratamento da água. As aplicações para as quais os LEDs UV estão prontos hoje incluem dispensadores de água, máquinas de fazer gelo, copos, umidificadores, aspiradores de pó, instrumentos médicos e iluminação de área / hospitalar, entre outros. Patrick Durand, diretor técnico mundial da Future Lighting Solutions (FLS) explica:

"É importante entender as principais diferenças entre os Leds de 275 nm versus 405 nm para purificação de superfície. A primeira é como os organismos são afetados pelos diferentes comprimentos de onda. Com Leds de 275 nm, a luz penetra nas paredes celulares de todos os organismos, como bactérias, vírus e fungos, onde a luz rompe a estrutura de suas moléculas de DNA, proibindo a reprodução e tornando os organismos inertes. Já a luz de 405 nm tem como alvo compostos químicos específicos (porfirinas) encontrados nas células de certas bactérias para causar uma reação de redução da oxidação, onde isso não mata as bactérias, mas as inativa. Isso significa que a luz de 275 nm é de custo mais baixo, mais segura e tem como alvo uma gama mais ampla de organismos para obter desempenho equivalente." 


A luz de mercúrio serviu durante décadas como fonte de luz UV, com um comprimento de onda de irradiação de 253,7 nm. Agora, com o desenvolvimento sempre aprimorado da tecnologia Led, o diodo ajustável pode fornecer uma luz Led UV com comprimentos de onda mais específicos. Espera-se que as aplicações baseadas em Led UVC com maior potência e comprimentos de onda ajustáveis ​​sejam os principais produtos de desinfecção de última geração para uso médico. O efeito de uma irradiação germicida UV depende da temperatura e umidade do ambiente. O tempo sugerido para a exposição à luz Led UV é de pelo menos 30 minutos, mas pode levar mais tempo para obter o mesmo efeito se estiver abaixo de 20 graus ou acima de 40 graus Celsius ou também, se a umidade relativa do local exceder os 60%.

Os mais novos produtos em Led no auxílio ao combate do COVID-19 

O novo coronavírus é um tipo de vírus do mesmo que o vírus SARS e MERS. Esses tipos de vírus são sensíveis à radiação térmica e à luz UV, podendo ser diminuídos quando expostos à uma irradiação UV superior a 90 μW/cm2. Assim segundo estudos, a luz Led UVC seria sim capaz de destruir o novo coronavírus.



Equipamentos neste sentido já começam a surgir na China através por exemplo da gigante Xiaomi, que lançou em sua plataforma de financiamento coletivo no final de Fevereiro um suporte para monitores de computador com uma lâmpada Led UV, que ajuda no combate ao coronavírus. O novo Xiaomi Youpin, também chamado de 'mesa de desinfecção' Lego S6 Pro, consiste em um rack de mesa com desinfecção feita por raios UV vindos de uma lâmpada de esterilização UV-C, embutida na parte inferior do equipamento. A esterilização dura cerca de 10 minutos e utiliza raios ultravioleta com alta eficiência de esterilização, desinfecção e forte capacidade de interferir na replicação do RNA viral do coronavírus, inativando suas proteínas e matando também todas as bactérias e micro-organismos próximos.



Quando um usuário perceber que precisa de uma desinfecção, é só colocar os itens desejados no vão coberto por lâmpada UV localizado logo abaixo da mesa de desinfecção e, em seguida, pressionar o botão: a lâmpada UV desligará automaticamente após os seus 10 minutos de atuação. O produto conta ainda com um assistente inteligente, integrado a uma tela touch de 4,5 polegadas para fornecer, além dos habituais serviços de escritório, assistentes de voz de IA, comunicação e colaboração, também informações e orientações rápidas sobre saúde, como corrigir a sua postura incorreta quando curvado sobre a corcunda, reduzindo a carga na coluna cervical. Conta ainda com uma grande gaveta oculta para armazenamento de material de escritório, porta para carregamento USB e suporte a caixa de armazenamento lateral, removível. Disponível por enquanto apenas na China por 999 yuan (R$ 622,00 em conversão direta sem impostos).

Já o dispositivo desinfectante em Led UVC do Instituto Fraunhofer da Alemanha é semelhante a um micro-ondas e inclui dois módulos UVC LED separados com 10 LEDs UVC incorporados, respectivamente. Cada LED UVC tem uma potência de 100 mW, tornando a radiação UVC total de 2W e atingindo uma dose de radiação de 800 J/m² em apenas alguns segundos. A quantidade de dose de radiação pode efetivamente inativar bactérias e vírus.



O dispositivo foi projetado para desinfetar smartphones, tablets e gadgets móveis semelhantes, que são tocados inúmeras vezes ao dia e geralmente são colocados em lugares diferentes, sendo por isso essencial sua desinfecção para impedir a transmissão dos patógenos. A solução não apenas desinfecta os smartphones com luz, mas também os identifica usando um leitor NFC, onde a dose aplicada é registrada por um sensor. Cada processo de desinfecção é validado e atribuído ao respectivo dispositivo "limpo". Um visor LCD informa o usuário sobre as principais funções do aparelho. Sistemas de TI também podem integrá-lo via W-LAN e interface da web. O engenheiro da Fraunhofer IOSB-AST, Thomas Westerhoff, disse:

“Durante muitos anos, trabalhamos em aplicações muito diferentes para as tecnologias UVC no campo da desinfecção, como parte do programa BMBF 'Advanced UV for Life'. Os LEDs oferecem grandes vantagens, que podemos demonstrar usando o exemplo de desinfecção de smartphones.”


O protótipo do produto deve ser apresentado em setembro de 2020 na IFAT, principal feira mundial de gestão de água, esgoto, resíduos e matérias-primas em Munique, Alemanha. E o Fraunhofer IOSB-AST ainda está procurando parceiros fabricantes para aplicação/uso comercial do produto.

Outra opção - desta vez sem ser de Led - é uma Lâmpada Esterilizadora da Xiaomi que promete acabar com os vírus. Lançada em sua plataforma de financiamento coletivo, ela está alcançando grande sucesso junto ao público. A lâmpada incorpora dois tubos UVC fluorescentes (da marca Philips) com propriedades germicidas que, ao se aquecerem, geram luz ultravioleta com radiação de ondas curtas para danificar o DNA de bactérias, vírus e protozoários, impedindo sua reprodução.



Com vida útil de 9.000 horas, funciona por 12 horas seguidas, podendo desinfectar qualquer área em até 30 metros quadrados, matando 99,9% dos vírus mais comuns no ambiente. A lâmpada ainda responde a comandos de voz ou a outros dispositivos inteligentes compatíveis com a interface Mijia, da Xiaomi. Um aplicativo dedicado mostra se a casa está livre de possíveis ameaças de contágio - no smartphone, pode-se também configurar a ativação da lâmpada, dentre outros controles. O preço é de 19 euros (já convertidos). Outra solução para a desinfecção com Luz UV convencional é a da empresa chinesa de transporte público Yanggao, de Xangai, que transformou uma sala de limpeza tradicional em uma câmara de desinfecção com essa opção, reduzindo o processo de higienização dos veículos de 40 minutos para apenas cinco minutos. Normalmente, o processo convencional requer a atenção total de dois funcionários, que pulverizam desinfetantes nas superfícies dos veículos antes de limpá-los. O problema disso é que eles não conseguem chegar a certos cantos.



Recentemente, o grupo firmou parceria com um fornecedor de tecnologia para converter duas salas de limpeza para esse sistema. Os locais estão equipados com 210 lâmpadas fluorescente tubulares comuns em UV, com capacidade para desinfetar até 250 ônibus por dia em cada câmara para uma demanda de cerca de 1 mil veículos diários.

Mas as opções em soluções Led para combater o coronavírus não param e vão além! 

A tecnologia Led UVC por exemplo, pode ser integrada a diferentes aplicações para desinfecção da água, ar e superfície e está se tornando um sucesso da indústria LED no mercado consumidor com o surto do coronavírus. As empresas que trabalham com a tecnologia LED UVC, agora estão inovando com várias aplicações para ajudar as pessoas a combater o vírus. A High Power Lighting (HPL) de Taiwan é uma delas. A empresa está pronta para lançar o seu filtro de ar que incorpora o Led UVC para desinfecção já em 2020.



O LED UVC para prevenir infecções se tornou popular de repente e, esta tecnologia está agora mais estável e madura, com o preço dos chips caindo e o desenvolvimento dos módulos bem amadurecido, tornando este o momento adequado para uma produção em massa que atenda às crescentes demandas causadas pela epidemia do coronavírus.  Os Leds UVC incorporados no condicionador de ar integrado diminuem as bactérias e vírus circulantes no ambiente conforme estes passam por dentro da máquina repetidamente, num processo de desinfecção efetivamente eficaz para a diminuição da quantidade total de bactérias e vírus perigosos.

Além deste condicionador, a HPL também introduzirá um filtro de desinfecção de água corrente portátil em 2020. A empresa é parceira da Epileds para a integração da tecnologia LED UVC a partir da fabricação de chips Led, desenvolvimento de módulos e vendas de produtos. Aproveitando a experiência de ambos os lados, eles desenvolveram um módulo de desinfecção de água, atingindo uma taxa de desinfecção de 99,99%.



O design óptico proprietário da HPL contém um módulo para desinfecção de água corrente que requer apenas um único Led UVC de 20 mW para espalhar uniformemente sua luz dentro dele, desinfetando 99,99% das ameaças. O produto foi apresentado na Photonics West 2020 pela Epileds. A HPL tem desenvolvido tecnologia e produtos Led UVC nos últimos três anos e agora, os pedidos de desinfecção de água e do ar estão prontos para entrar na fase de produção em massa para o mercado consumidor. Embora o surto de coronavírus também possa afetar a fabricação destes produtos, com a conscientização do consumidor sobre as aplicações de desinfecção vindas da tecnologia UVC LED, abre-se agora um enorme potencial de mercado no segmento.

Outra a solução bem interessante neste sentido foi a da Everlight, que lançou agora no início de Março a série UVC3535NUB para tratamento médico, purificação e esterilização de água e ar. O produto é destinado a fabricantes de equipamentos LED UVC. A Everlight Electronics usa chips epitaxial e flip no substrato de safira para garantir a qualidade na esterilização/desinfecção. A série de produtos LED ELUC3535NUB UVC consiste em Leds com alta qualidade e confiabilidade, adequados para aplicação UV. Seus raios UV com comprimentos de onda curtos e energia forte podem desencadear reações químicas e alterar vírus e bactérias quando expostos à radiação emitida, especialmente na purificação do ar e na esterilização de água parada ou corrente.



As peças são embaladas em vidro de quartzo inorgânico, com comprimento de onda de 280 nm e abrangem três níveis de intensidade diferentes: 2 mW, 10 mW e 30 mW - tornando-as ideais para várias aplicações em produtos acabados como aqueles para tratamentos médicos, purificação de água ou ar e esterilização de germes, vírus ou fungos, além de desodorização e tratamento bactericida quando instalados, por exemplo, em um banheiro inteligente moderno que faça uso da inteligência artificial para o seu gerenciamento.

As empresas globais de LED continuam lançando produtos de LED UVC para atender às crescentes demandas exigidas pelo aumento no números de infectados por COVID-19 em todo o mundo. Os produtos usados ​​para prevenir a infecção do coronavírus tornaram-se best-sellers em todos os lugares. Com função de desinfecção, os produtos UVC LED incorporados a soluções sanitárias também estão chamando a atenção no mercado. As empresas de LED que estão progredindo em suas tecnologias de LED UV, agora aproveitam seus pontos fortes para lançar produtos que atendam às crescentes demandas por aplicações de desinfecção.



A Lextar, empresa de LED com sede em Taiwan, estreou seus pacotes de LED UV já em Janeiro de 2020. Com design óptico proprietário, os produtos da empresa podem concentrar energia e otimizar a eficiência da desinfecção. Os produtos LED UVC PU35CM2 com 15mW ou abaixo, são usados ​​na desinfecção de garrafas de água, enquanto a série PU88 pode ser aplicada na desinfecção de necessidades diárias, como cutelarias, escovas de dentes ou chupetas.

O desenvolvimento de novos produtos e soluções para combater vírus e bactérias nocivas aos seres humanos não para. Empresas como por exemplo a Stanley Electric, se preparam para invadir o mercado de desinfecção da água e esterilização. A Stanley Electric é uma empresa japonesa de Led automotivo e LED UV/IR, cujos LEDs UV de alta potência atraíram muita atenção, especialmente no campo da saúde pública e desinfecção. Seu exclusivo LED UV-C baseado em AlN permite que a empresa se envolva em tecnologias e aplicações de LED UV de alta potência. Com uma gama de produção de substrato semicondutor, chips, pacotes de LED UV, módulos de fonte de iluminação UV LED e reatores de desinfecção por água por LED UV, a Stanley Electric se dedica a fornecer serviços completos para os mercados de desinfecção e esterilização de água.



O LED UV de 265nm baseado em AlN atinge alta potência de saída - cerca de 50mW. Com a aquisição da empresa  HexaTech pela Stanley, poderá atingir-se agora algo em torno de 200 mW e assim, liderar num futuro próximo uma posição superior no mercado de esterilização. Comparado com o LED UV-C 275-280nm, o LED UV-C 265nm tem melhores efeitos de inativação e morte de diferentes bactérias e vírus. Além disso, a potência óptica do produto é mais forte na eficiência de inativação. A Stanley já recebeu pedidos de desinfecção e esterilização de água de diversos clientes. Ao fornecer seu módulo de desinfecção por água e LED UV de alta potência, a Stanley também tem como alvo aplicações em infraestrutura e mercados médicos em todo o mundo. Até agora, para a desinfecção da água, a Stanley já desenvolveu reatores 2L / min, 10L / min e 100L / min com uma taxa de inativação microbiana superior a 99,99% (4 Log). A Stanley já introduziu o seu LED UV-C para fabricantes de equipamentos de primeira linha no Japão, Ásia, Pacífico e Europa.

A grande maioria destes produtos Led High End estão sendo direcionados a China, que também está investindo fortemente hoje no LED UVC Autônomo: o pais está comprando robôs equipados com luz UV para combater o coronavírus, agitando desta maneira também este nicho específico de mercado. A China comprou robôs de desinfecção autônomos com luz UVC para funcionarem em vários de seus principais hospitais. A empresa dinamarquesa UVD Robots assinou um acordo com a Sunay Healthcare Supply, fornecedora de equipamentos médicos chinesa para suprir o mercado com robôs equipados com luz UVC para  implantação hospitalar. A UVD Robots é uma empresa estabelecida a partir de um projeto entre o Odense University Hospital e a Blue Robotics, com o objetivo de desenvolver um robô de desinfecção automatizada por UV desde 2014. A colaboração se transformou no lançamento de um produto em 2018. Logo após, a UVD Robots ganhou o prêmio IERA, essencialmente o Oscar da indústria de robótica, em 2019. Atualmente, a empresa vende seus robôs em mais de 40 países. Além de operar nos mercados de saúde na Europa e nos EUA, a UVD Robots também está fornecendo robôs autônomos de desinfecção por UV para hospitais na Ásia.




O robô de desinfecção autônomo é usado hoje em mais de 40 países da Europa, EUA e Ásia. O produto estará também agora combatendo o coronavírus nos hospitais de todas as províncias chinesas. "Com este acordo, mais de 2.000 hospitais terão agora a oportunidade de garantir uma desinfecção eficaz, protegendo seus pacientes e funcionários", disse Su Yan, CEO da Sunay Healthcare Supply. O CEO da UVD Robots, Per Juul Nielsen, indicou: "Em uma crise grave como esta, onde a saúde mundial está ameaçada, nossa tecnologia inovadora realmente prova seu valor".

Logo após o sucesso da UVD Robot, uma empresa sediada em Cingapura também lançou sua própria linha de robôs autônomos de desinfecção por UV, com o objetivo de eliminar o coronavírus. A Digital Safety (DiSa) apresentou em Março uma linha de robôs de desinfecção UV autônomos, os primeiros do gênero no país. A produção inicial desses robôs coincidiu com o surto de COVID-19. A DiSa solicitou um tempo de desenvolvimento final para o produto de dois meses, não fazendo por isso mesmo grandes avanços tecnológicos com a nova linha, composta agora de robôs autônomos em solo e com um tubos de luz ultravioleta conectados a base. Eles trabalham lançando uma luz UVC de comprimento de onda curto em microrganismos como bactérias e vírus, que são mortos por esta radiação UVC. Os robôs da DiSa são capazes de navegar autonomamente por uma sala, eliminando os patógenos com as luzes UVC.



Seus sensores a laser permitem mapear os locais e traçar rotas para uma desinfecção automática. Os robôs de desinfecção autônomos são capazes de detectar e percorrer obstáculos físicos sem ajuda externa mas, por mais eficazes que sejam, eles não podem trabalhar em ambientes com presença humana porque a radiação UVC utilizada neles ainda é prejudicial ao corpo humano. A DiSa estima um tempo de desinfecção de 15 minutos por robô em cada sala - embora a empresa não especifique o seu tamanho. O único problema deste tipo de equipamento é o fato deles não poderem desinfetar áreas com sombras. De qualquer forma, a DiSa deverá comercializar em breve a sua nova linha de robôs para seus clientes, incluindo pontos de venda em varejo, ao mesmo tempo em que desenvolve uma versão menor para uso doméstico, a ser lançada ainda em 2020. 

E as inovações hospitalares para o combate a vírus com tecnologia Led não param. Das pessoas que visitam hospitais ou esperam atendimento e tratamento nos balcões de centros médicos, aproximadamente 1 em cada 25 delas contraem infecções somente nos EUA, de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Os procedimentos de limpeza padrão com detergentes e desinfetantes demonstram que menos de 50% dos quartos de pacientes são limpos adequadamente nesse método manual. Estes resultados sugerem a necessidade de mais métodos alternativos, incluindo uma luz em Led com comprimento de onda curto, variando do ultravioleta (UV) ao azul (de 200 a 410 nm). Os comprimentos de onda curtos podem matar patógenos (organismos capazes de causar doenças, como vírus e bactérias) através de uma variedade de caminhos dependendo a duração e quantidade da luz aplicada. Pesquisadores do LRC (Lighting Research Center) testaram este novo sistema de iluminação híbrido, desenvolvido pela GE Current e adaptado em uma moderna unidade de terapia intensiva (UTI) para recém-nascidos do Hospital Infantil Memorial Beacon, em South Bend, Indiana (EUA).



A dosagem UV-A usada foi ajustada para níveis calculadamente seguros a ocupação humana. Uma exposição de 8 horas a esta luz nas superfícies do balcão da UTI, foi eficaz para suprimir alguns patógenos identificados como altamente problemáticos para os serviços de saúde. Jennifer Brons, diretora de demonstrações de design do LRC explica:

"Essa tecnologia de iluminação oferece grandes promessas em aplicações hospitalares. Atualmente, estamos planejando demonstrações futuras em outra unidade hospitalar com maior carga biológica."


Paralelamente, o professor Mark Rea, atuante na pesquisa comenta que

"...reduzir infecções associadas à saúde é extremamente importante. Infelizmente, a prevalência dessas infecções só deve aumentar. Os resultados atuais devem formar a base para a próxima geração desta tecnologia."


O Centro de Pesquisa em Iluminação (LRC) do Rensselaer Polytechnic Institute é o centro líder mundial em pesquisa e educação em iluminação, fundado em 1988 pela Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York (NYSERDA), para realização de pesquisas em saúde leve e humana, iluminação e segurança de transporte, iluminação de estado sólido, eficiência energética e sanidade vegetal. Seus cientistas tem experiência multidisciplinar em pesquisa, tecnologia, design e fatores humanos e ainda, colaboram com uma rede global de fabricantes e agências governamentais líderes, desenvolvendo soluções inovadoras de iluminação para projetos que vão desde o Boeing 787 Dreamliner, submarinos da Marinha dos EUA até unidades de tratamento intensivo para recém-nascidos. Em 1990, o LRC se tornou o primeiro centro de pesquisa universitário a oferecer pós-graduação em iluminação, MS em iluminação e também Ph.D. para educar futuros líderes do setor. 

As altas demandas por Led UV no combate ao coronavírus estão sendo registradas a todo instante no mundo. A empresa Seoul Viosys por exemplo - uma subsidiária da Seoul Semiconductor que foca na tecnologia do Led UV - anunciou que as consultas de seus clientes para os chamados produtos VIOLEDS (UV Led) aumentaram mais de cinco vezes em Fevereiro, por preocupações com a disseminação global do novo coronavírus. Com isso, várias empresas automotivas na China também estão analisando a adoção da tecnologia VIOLED da Seoul Viosys em seus sistemas de esterilização para interiores de veículos.



Esta tecnologia VIOLED também já foi usada pela NASA dos EUA a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) para fornecer um ambiente saudável e livre de germes aos astronautas. A tecnologia VIOLED da Seoul Viosys também é adotada em luminárias para aplicações de iluminação de esterilização e em produtos de tratamento para melhorar a qualidade do ar interno. De acordo com a Seoul Viosys, seu Led UV já demonstrou reduzir germes do tipo influenza em 97% dos casos. Recentemente, a Seoul Viosys melhorou a vida útil de seu Led UV para mais de 50.000 horas, algo bem semelhante aos Leds normalmente usados ​​para iluminação de ambientes e agora, aumentou também a sua capacidade de produção para obter mais competitividade e baixo custo.

E por falar em LED UV para interior de automóveis, a empresa Orion Lighting apresentou em Março de 2020 suas luminárias UV LED que combatem bactérias, fungos, mofo e bolor em áreas públicas de alto tráfego como escolas, centros de saúde, praças de alimentação, academias e áreas de alto risco como banheiros, salas de espera, vestiários e outros espaços públicos. A empresa destacou sua solução LED ISON™, que possui revestimento antimicrobiano Britex™, além de opção de adicionar a tecnologia de luz antimicrobiana VioSafe™. A Orion utiliza esta combinação toda de tecnologias proprietárias para inibir o crescimento dos agentes nocivos através de dispositivos LED ISON, como o Retrofit Modular LDRMH1, voltado para serviços de saúde e outras instalações.



A tecnologia de luz branca antimicrobiana VioSafe ™ oferece proteção 24 horas por dia, 7 dias por semana, numa contínua desinfecção com luz branca 24 patenteada pelo parceiro Orion Vital Vio - outra opção adicional na linha de produtos LDRMH1. Ao contrário das luzes UV comuns que não podem ser usadas quando humanos estão por perto, as luzes VioSafe são inofensivas para seres humanos e animais e seguras para uso contínuo. A tecnologia VioSafe é instalada em conjunto com os sistemas de iluminação LED convencionais e pode ser aplicada em qualquer projeto que busque proteção antimicrobiana, pois se integra facilmente aos sistemas e controles de rede existentes.

Mercado em expansão

A perspectiva do mercado de LED UV em 2018 já era de um aumento de demanda para a esterilização de superfície/ar, esterilização estática da água e esterilização da água corrente. Porém, devido à recessão global na época a receita dos fabricantes de LED UV em 2018 não cresceu como o esperado, tendo um aumento estável. Neste mesmo ano, o valor do mercado de LED UV projetado para 2023 era chegar a US$ 991 milhões entre as cinco principais fabricantes: Seoul Viosys, LG Innotek, Nitride Semiconductors, Nichia e Epitop. Com o crescimento constante hoje do coronavírus no mundo inteiro, o jogo virou: como vimos acima, o LED UV tem tudo agora para decolar de vez e se tornar a menina dos olhos no combate a grandes epidemias. As fabricantes japonesas e coreanas estão atualmente no topo do desenvolvimento ativo para novos produtos no mercado de LED UV. A LG Innotek foi líder no mercado de UV-C em 2018. Mas, as maiores inovações do segmento no entanto estão sendo alcançadas agora por Stanley, DOWA, Nitride Semiconductors e Seoul Viosys - como nota-se na apresentação de alguns produtos acima.



O surto de coronavírus também está acelerando o desenvolvimento do LED UV. As luzes UV convencionais com lâmpadas de mercúrio para desinfecção ainda estão à venda mas, com o surto de coronavírus no mundo, está havendo escassez de materiais para sua produção como vidro de quartzo para o bulbo e armação da lâmpada para o casquilho. O LED UV como fonte alternativa de luz UV está agora se tornando um foco de mercado, à medida que as pessoas ficam mais conscientes de sua utilidade para a desinfecção. Os desenvolvedores da tecnologia LED UV aproveitam a oportunidade para impulsionar seus produtos, aumentando o investimento a fim de acelerar a penetração de LEDs UV nos mercados, melhorando o ritmo da especificação para que eles possam substituir as lâmpadas de mercúrio mais rapidamente. Atualmente, as lâmpadas UV de mercúrio ainda superam os LEDs UV em potência óptica: são necessários mais LEDs UV para atingir a mesma potência óptica das lâmpadas de mercúrio, o que leva a um aumento nos atuais custos de produção do Led. No entanto, comparada às tradicionais lâmpadas UV de mercúrio, a vida útil dos LEDs UV é dez vezes maior, atingindo 20.000 horas. Os LEDs UV também podem operar mais rapidamente, sem a necessidade de um pré-aquecimento. O seu tamanho compacto permite aplicações mais flexíveis no design dos equipamentos. Os LEDs UV são também muito mais seguros e ecológicos, com maior eficiência energética e sem adição do mercúrio em sua fabricação. A Convenção de Minamata sobre Mercúrio aprovada em 2013 entrou em vigor em 2017 e proíbe agora a fabricação, importação e exportação de vários produtos que contenham mercúrio até 2020. A convenção também incentiva os fornecedores de tecnologia a acelerar o desenvolvimento do LED UV. Acredita-se que o LED UV se torne a principal fonte de luz UV convencional a médio-longo prazo. As empresas de LED continuaram ao longo dos anos o desenvolvimento do LED UV e alcançaram agora certas inovações tecnológicas para reduzir gradualmente o seu custo. À medida que a epidemia de coronavírus avança brutalmente no mundo, as crescentes demandas por desinfecção de produtos tornam o UVC LED um ponto focal no mercado. A maior parte da capacidade de produção de LED UV localiza-se no Japão, Coréia e Estados Unidos e alguns pontos de Taiwan. Parte do suprimento de insumos vem de Xiamen e Changzhou, na China. Como a produção chinesa ainda está limitada devido ao surto de coronavírus, empresas de outros países podem ter um aumento significativo no número de seus pedidos de venda para o UVC LED.

Associações da indústria de UV alertam: Não use luz UV no corpo humano para desinfecção!

Uma ampla gama de produtos desinfetantes que adotam LEDs UV ou lâmpadas UV tornou-se um sucesso no mercado de eletrônicos de consumo, à medida que as pessoas os utilizam para impedir a propagação do coronavírus. No entanto, a International Ultraviolet Association (IUVA) e a RadTech North America, consistindo de fornecedores de equipamentos UV, cientistas, engenheiros, consultores e membros da profissão médica publicaram um comunicado de imprensa (leia AQUI) para informar ao público que a luz UV não é segura para ser usada diretamente em o corpo humano.



Essas organizações observaram que não existem protocolos para aconselhar ou permitir o uso seguro da luz UV diretamente no corpo humano nos comprimentos de onda e exposições comprovadamente capazes de matar com eficiência vírus como o SARS-CoV-2. Sabe-se também que a luz UV sob as condições conhecidas para matar tais vírus causa queimaduras graves na pele, câncer de pele e lesões oculares como catarata. Portanto, eles recomendam fortemente que qualquer pessoa que use luz UV para desinfetar equipamentos médicos, superfícies ou ar no contexto do COVID-19, aplicações suportadas por evidências científicas sólidas, siga todas as precauções de saúde e segurança recomendadas e evite a exposição direta do corpo à luz UV. As aplicações de desinfecção baseadas em LEDs UV ou lâmpadas UV estão aumentando no mercado para combater a pandemia de COVID-19. Como o uso de radiação UV para desinfecção pode ser perigoso se os dispositivos não estiverem funcionando corretamente, muitas associações do setor estão tentando informar o público com mais detalhes sobre a desinfecção por UV. A Illuminating Engineering Society (IES) publicou recentemente um relatório para fornecer informações profissionais para a desinfecção por UV e seu potencial para reduzir com segurança a transmissão do coronavírus.

A Codlux® acredita que agora, chegou a hora de todos nós, empresários do setor da iluminação, colaborar para que as coisas certas sejam realmente feitas da maneira correta, em relação a saúde de nossos clientes neste momento tão difícil vivido pela pandemia do coronavírus COVID-19. Este importante comunicado da IUVA corrobora no sentido de desmistificarmos mais uma fake news, disfarçada de "milagre" em relação a Luz UV convencional - e mesmo algumas atuais de LED UVC, que agora são a bola da vez nas pesquisas e desenvolvimento no mundo inteiro para o combate ao coronavírus. Tudo ainda está muto crú neste segmento de LED UVC para o uso doméstico! Temos que chamar para nós mais esta responsabilidade tanto no desenvolvimento de projetos luminotécnicos (light designers, arquitetos etc) quanto no atendimento ao consumidor final (indústria e comércio). Acesse os documentos da International Ultraviolet Association para os protocolos no uso da Luz UV AQUI.

ATUALIZAÇÃO EM 02/06/20 

Pronto! Já criaram um "portal" de Led UVC! 

E, para a nossa surpresa, a empresa Healthe Lighting lançou o primeiro portal com Led UVC para uso no corpo humano que se tem notícia. 

Leia o que escrevemos a respeito desta notícia AQUI

A Esperança na mesa do designer: adicionando o Led UV-C à uma máscara

À medida que as cadeias de suprimentos se contraem e a indústria se prepara para o pior, um designer está colocando suas energias na criação de soluções para a atual crise no setor de saúde e pedindo ajuda à indústria. Don Peifer, fundador da Lunera e atualmente diretor criativo do setor de iluminação da Legrand, projetou uma máscara de desinfecção recarregável e movida a energia solar.



Don Peifer fez carreira projetando iluminação para propagandas de moda, videoclipes e filmes. Ele trabalhou com fotógrafos de moda como Annie Lebovitz e Steven Klein, para videoclipes e diretores de cinema como Matt Mahurin, entre outros grandes nomes de destaque: Britney Spears, Rolling Stones, Brad Pitt e Angelina Jolie e Michael Jackson. Insatisfeito com as ferramentas disponíveis na época de alguns destes trabalhos, Peifer desistiu da vida de designer de iluminação da cultura pop para se concentrar-se no design de produtos de iluminação com diodos emissores de luz (LEDs). Ele fundou então a Lunera, sediada em Redwood City, que produz atualmente luminárias em Led.

“Grande parte da inovação vem de encontrar coisas que já existem e se modificam”, diz Peifer. “Eu tenho uma luz de acampamento com painéis fotovoltaicos, micro-USB e LED multimodo em um pequeno pacote. Eu pensei que se eu trocasse a fonte de luz pelo LED UV-C, talvez fosse capaz de desinfetar o ar aspirado, adicionando se possível uma câmara protetora que manteria o UV fora do contato com a pele.” A esperança de Don Peifer é envolver toda a comunidade da iluminação para ajudar a responder às questões logísticas e técnicas. 
“Eu projetei isso em um dia”, acrescenta Peifer, “portanto, não espero que seja algo 'à prova de balas'. Eu queria trazer algo embrionário para a mesa de discussão o mais rápido possível, para que pessoas com conhecimentos específicos gerassem valor ao projeto.”


Os próximos passos possíveis podem ser o financiamento coletivo da invenção, com todos os recursos arrecadados nas ferramentas e na logística do OEM. Se você ou algum empresário que conheça estiverem interessados em ajudar, entre em contato com Don Peifer em robotrepair@me.com.

Iluminação em Led monitorando o distanciamento social nos escritórios  

A Iluminação Inteligente, conectada à internet, poderá monitorar o distanciamento social nos escritórios a medida que governos e empresas de todo o mundo se esforçam para levar as pessoas de volta ao local de trabalho após o fim dos distanciamentos sociais, quarentenas e lockdown global, mantendo os funcionários mais saudáveis ​​e seguros, com medidas de separação física para protegê-los. As luzes inteligentes conectadas à Internet via tecnologia IoT terão a capacidade de monitorar os movimentos e a densidade dos funcionários quando vier o alívio dos bloqueios do Covid-19 em todo o mundo.



A Signify por exemplo, aprimorou os recursos de sua plataforma de Iluminação IoT (Internet das Coisas) chamada Interact Office, para ajudar os funcionários manterem distância segura uns dos outros. Usando software desenvolvido especialmente para infraestrutura de iluminação conectada, os gerentes de construção poderão agora tomar decisões críticas baseadas em dados, em vez de meras suposições. A Signify lançou recentemente seus novos sensores IoT com recursos de monitoramento ambiental - incluindo monitoramento de temperatura, qualidade do ar, níveis de ruído, níveis de luz do dia e umidade relativa.



O aplicativo Interact Office Workspace da Signify permite que empresas usem sua infraestrutura de iluminação inteligente conectada para uma "navegação interna", que oriente os funcionários para usarem as áreas desertas de um edifício quando outras, muito cheias, não tiverem mais níveis de ocupação minimamente "aceitáveis" nestes tempos de distanciamento social. O aplicativo de gerenciamento de espaço fornecerá informações de dados que permitem gerenciar melhor os espaços comuns. O aplicativo, monitora efetivamente os dados de ocupação em tempo real para identificar áreas densamente ocupadas num edifício e definir limites na sua ocupação.



A navegação Interact Indoor permitirá que um aplicativo móvel acesse a localização geográfica interna em tempo real e precisa de um dispositivo móvel via iluminação. O software usará várias tecnologias, como Visible Light Communication (VLC) e Bluetooth-Low-Energy (BLE) nas luminárias e sensores de telefone para determinar o local e a direção em curso do dispositivo, com precisão de 30 cm / 1 pé. Ao integrar o kit de navegação interna e aplicativo Interact Office Workspace em salas de reuniões ou soluções de gerenciamento de diretório de funcionários, pode-se facilmente reservar uma sala seguramente apta, encontrar uma mesa vaga ou localizar um colega de trabalho. O Interact facilitará a transição do "novo normal" e manterá todos os funcionários seguros e sadios. 

Usando o Led que você tem em casa na prevenção ao coronavírus COVID-19 



Nenhuma pesquisa robusta demostrou ainda a eficácia do efeito das luzes em Led UV ou fluorescentes UVs no combate ao coronavírus COVID-19 ligado às gotículas espalhadas pelo ar - algo que deve mudar muito em breve, visto que cientistas do mundo inteiro estão hoje debruçados em suas pranchetas e tubos de ensaio em busca de vacinas, remédios e meios de prevenção a doença. Então, para realmente evitar de maneira imediata a infecção por coronavírus, fazer uso frequentemente de água com sabão e em seguida, passar álcool gel para higienizar as mãos e antebraços depois de vir da rua, ainda é a melhor maneira de evitar a propagação do vírus.

Além de todos os cuidados pessoais e desenvolvimento de novos produtos já citados aqui para combater o coronavírus, a iluminação artificial também pode complementar e muito a sua prevenção, visto que a orientação maior tanto da OMS (Organização Mundial da Saúde) quanto de vários especialistas em infectologia é a sempre a mesma: higiene, higiene, HIGIENE! No caso do Led por exemplo, usando uma luz na temperatura de cor 6000K (branca fria) em certos equipamentos de iluminação você consegue:

-Enxergar melhor para LIMPAR adequadamente cozinhas e banheiros
-HIGIENIZAR com precisão sua louça e utensílios usados para remédios
-LAVAR com maior segurança os alimentos crús antes do preparo



-PERCEBER precisamente se uma sonolência repentina é um sintoma de doença (todo Led 6000K deve naturalmente 'despertar' as pessoas)
-BANHAR bebês e convalescentes, ficando estes bem protegidos de uma luz utra-violeta (o Led criado especificamente para ser usado na iluminação em geral não emite raios UVs nocivos)
-Deixar ambientes mais 'frescos' - a luz em Led NÃO ESQUENTA como as convencionais
-DISPERSAR mosquitos e pernilongos transmissores de doenças, que adoram um canto escuro para procriar no outono, hibernar no inverno e eclodir a cria no verão
-TRABALHAR melhor em casa se precisar fazer uso de um Home Office (orientação que empresas como Google, Microsoft, Facebook e Twitter estão dando aos seus funcionários que trabalhem em áreas de grande risco para o coronavírus, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos). O Led 6000K propicia um maior nível de concentração e retenção de informações aos usuários, auxiliando muito na sua produtividade sem causar o desconforto de uma luz de filamento comum (que esquenta muito o ambiente) nem fazer mal a pele, como algumas lâmpadas para iluminação geral que emitem raios UV.

Usando a luz em Led na temperatura de cor 3000K (branca quente), os benefícios são os seguintes:
-Maior RELAXAMENTO para pessoas em tratamento poderem descansar 
-Aumento na produção do hormônio MELATONINA, que combate a insônia
-Auxílio VISUAL correto ao observar a pele para detectar possíveis manchas (a luz em Led 3000K não descaracteriza o tom original de nossa cútis como a luz em Led 6000K, que cria uma 'nata branca' na pele)

O único "senão" é quanto as especificações dos produtos em Led convencionais aqui indicados que você vier adquirir: cuidado com as suas potências (aquelas relacionadas ao poder de iluminação do equipamento e não ao seu consumo em watts por hora). Um Led 'muito forte' pode desequilibrar o seu ritmo circadiano, atrapalhando a produtividade, o sono ou mesmo seu humor. Para evitar esses problemas, consulte sempre um profissional em luminotécnica especializado na iluminação em Led - antes ou no ato da compra.

A higienização de seu equipamento em Led

A importância de lavar as mãos com frequência e evitar contato com os olhos, nariz e boca é a principal recomendação para evitar o contágio do coronavírus COVID-19. Mas ele pode também sobreviver por longos períodos de tempo na superfície de alguns objetos. Limpar regularmente os aparelhos eletrônicos e lavar bem as mãos depois de abrir qualquer embalagem de papel ou plástico são algumas das medidas necessárias para continuar este procedimento de proteção constante. Médicos também relatam que o vírus pode morrer mais rapidamente em ambientes mais quentes e na presença da luz solar. Então, se o material a ser desinfectado por você puder tomar a luz do sol, deixe-o exposto a ela por pelo menos uma hora após a devida limpeza e o recolha após o prazo. Outros estudos também têm revelado que o vírus permanece vivo nas seguintes superfícies/materiais:

- vidro: de 4 a 5 dias
- cobre: até 4 horas
- plástico: 72 horas
pvc: 5 dias
- papel e papelão: 24 horas
- látex: 8 horas
- silicone: 5 dias
- alumínio: 2 a 8 horas
- aço: 2 dias
- madeira: 4 dias
- vidro: 5 dias
- metal: 5 dias
- cerâmica: 5 dias
- teflon: 5 dias
- aerossol/jato spray (espirrar em ambientes fechados): três horas

Uma boa notícia é que, segundo estudos da Universidade da Califórnia, o coronavírus COVID-19 pode ser facilmente destruído pela maioria dos desinfetantes usados em casa ou nas empresas. Ao usar alguns produtos de limpeza convencionais comprovadamente eficazes, você será capaz de remover todos os tipos de germes de superfícies e não apenas o coronavírus COVID-19. Esta higienização deve se concentrar principalmente nas áreas em que as suas mãos irão mais tocar diariamente, como:

- maçanetas, interruptores, torneiras, corrimãos, bancadas, portas de armários, teclado de computador, mouse, mesas, janelas, telefones fixos, impressoras, cafeteiras elétricas, pontas de tomadas e também os objetos que estão sempre em nossas mãos, como celulares, fones de ouvido, power banks, smatbands, relógios, pen drives, carregadores de celular, chaves, controle remoto, óculos, aparelhos auditivos, grampeadores, calculadoras, etiquetadoras, scanners, medidores digitais etc...

A desinfecção dessas superfícies deve ser feita várias vezes ao dia. Fazer uma lista com todos os lugares que precisam ser limpos (para não esquecer nenhum) é uma importante dica. E o check-list desta atividade deve ser diário! Os produtos que podem remover o coronavírus COVID-19 são:

- Água e sabão
O sabão remove e mata agentes virais que aderem às superfícies - bem como às mãos e rosto - e a água finaliza o processo, que faz uma varredura. O revestimento do vírus é uma proteína, o sabão ou detergente rompe-o, de modo que o vírus se desintegra.

- Álcool
Esfregar produtos alcoólicos com menos de 70% de álcool matará ou coronavírus. Além disso, o álcool tem menor potencial de dano que o alvejante. Mas vale observar que o álcool não deve ser diluído. Limpadores multiuso com álcool ou Álcool de limpeza (líquido, com concentração entre 60% e 80%) também podem ser usados em lugares menos acessados.

- Desinfetante em geral
Por sua composição alcoólica, os desinfetantes também são capazes de quebrar a membrana protetora contra vírus, destruindo-o. Com uma escassez de álcool, o desinfetante é uma ótima opção para a assepsia de ambientes.

- Cloro (água sanitária) e limpadores multiuso com cloro
O cloro é muito eficaz para matar o COVID-19, assim como praticamente todos os outros germes do planeta. Mas seu cheiro é forte (especialmente para asmáticos) e também é agressivo e pode danificar algo que você estiver tentando limpar. Uma dica é usar luvas e máscara ao manusear alvejantes - lembrando que o cloro não deve ser misturado com nada além da água. A dica correta para a diluição com água sanitária é de 4 colheres de chá de água sanitária para cada litro de água.

Ok.

Dito tudo isto, vamos ao equipamento em Led que você tem em casa ou em sua empresa. Muitos produtos de iluminação em Led tem o seu acionamento por botão, interruptor, toque touch, controle remoto ou celulares por exemplo. Objetos de iluminação em Led são compostos por materiais diversos, como os apresentados acima: plástico, alumínio, aço etc. Ele são considerados um equipamento eletrônico (possuem placas, circuitos, drivers etc) e, por isso mesmo, sua limpeza e manutenção devem ser feitas com muito cuidado. Peças de iluminação com instalação muito acessíveis - ou mesmo bem decorativas - que estejam expostas em casa ou em sua empresa podem chamar a atenção de pessoas que, por pura admiração ou mera curiosidade, queiram sempre tocá-las! Outros, como os usados em clínicas, salões de cabeleireiros e de estética, são compartilhados por diferentes profissionais o tempo todo. Esse contato voluntário ou involuntário nos equipamentos de iluminação em Led também pode contaminar as suas superfícies. Nestes casos, você deve higienizar principalmente:

-Acionadores (interruptores, dimerizadores, timers, mesas controladoras de automação etc)
-Abajur e colunas
-Pendentes
-Luzes de emergência para tomadas
-Ring Lights


Ring Light Codlux®: higienize sempre a cada uso!

-Lâmpadas muito baixas
-Arandelas que estejam a altura das mãos
-Controles remotos (principalmente das fitas led e lâmpadas RGBs coloridas)
-Aparelhos celulares que usam aplicativos para acionar por exemplo iluminação inteligente como as lâmpadas Philips Hue

A recomendação é que seja usado um pano umedecido em limpador com álcool ou detergente neutro e água, seguido de uma secagem com pano seco macio. Verifique sempre antes de qualquer limpeza se o equipamento de iluminação em Led a ser higienizado está DEVIDAMENTE DESLIGADO DA REDE ELÉTRICA!!

CUIDADO COM AS FAKE NEWS NO LED

Rory Cellan-Jones, correspondente de tecnologia da BBC alerta em artigo sobre as Fake News relacionadas ao coronavírus e a tecnologia Led que circulam nas redes sociais:


"À medida que o coronavírus se espalha pelo mundo, (...) Facebook e o YouTube (...) já estão fornecendo um território fértil para aqueles que desejam espalhar informações erradas (...) onde grupos que se opõem às vacinas fazem campanha contra as redes de telefonia móvel 5G. O grupo Stop 5G UK tem mais de 27.000 membros, onde um deles postou: 'Ouvi dizer que não é um 'vírus' sério, é tão ruim quanto uma gripe ou resfriado. Então, esse é realmente um plano perfeito para cobrir doenças relacionadas ao 5G' (...) outros, compartilharam links para sites e vídeos que ligam o coronavírus ao 5G na China, onde ele se originou. 'O 5G é lançado em Wuhan semanas antes do surto de coronavírus', lê-se na manchete de uma publicação chamada 'News Commenter'.



Um vídeo do YouTube também popular neste grupo e em outros é o de título 'CORONAVÍRUS DE WUHAN É UM MAL TESTE NAS LUZES INTELIGENTES DE RUA COM 5G'. Outros vídeos do YouTube também compartilham teorias complexas de conspiração, incluindo a sugestão de que o navio Diamond Princess, cujos passageiros tiveram que ficar em quarentena, foi afetado pelo vírus porque utilizou a tecnologia 5G para sua conectividade."

ATUALIZAÇÃO EM 23/04/20

O 5G já sofre ataques conspiratórios desde o ano passado mas com o coronavírus aumentaram as notícias falsas sobre a tecnologia. O site TechRadar relatou mais ataques a infraestrutura da rede e também a funcionários no Reino Unido, como na empresa de telecomunicações britânica BT Group - que já registrou 39 casos de agressão física ou verbal contra seus engenheiros; 11 postes instalados quebrados/incendiados e outras infraestruturas afetada (que nem tinham ligação com o 5G). Mais de 20 ataques contra operadoras foram realizados durante o fim de semana da Páscoa. Um dos postes afetados atendia o Nightingale Hospital em Birmingham, o que pode atrapalhar agora a comunicação entre pacientes de COVID-19 e seus familiares. As teorias da conspiração sobre o 5G normalmente dizem que as ondas eletromagnéticas trariam problemas para a saúde. Porém, a tecnologia presente na conexão 5G é a mesma utilizada em padrões anteriores, com diretrizes estipuladas em 1998, já definida como segura para os seres humanos. Para dar mais garantia aos céticos, a Comissão Internacional de Proteção contra Radiação Não-Ionizante (ICNIRP, na sigla em inglês), após sete anos de pesquisa, reafirmou recentemente que não existem problemas de saúde ligados ao atual 5G.

ATUALIZAÇÃO EM 16/03/20

Itália e suas Perdas

A Itália se tornou rapidamente o país de maior aumento nos casos de COVID-19 no mundo depois da China - que, segundo informações governamentais chinesas, está conseguindo reduzir o aumento da pandemia. Os italianos estão vivendo agora uma situação dramática: somente ontem (Domingo 15) mais de 300 pessoas morreram em decorrência do coronavírus. A maioria, população idosa. Uma delas, o arquiteto italiano Vittorio Gregotti, coautor do estádio para os Jogos Olímpicos de Verão de Barcelona de 1992 e do Estádio Marassi da Copa do Mundo de 1990.


Vittorio Gregotti - 1975

Ele morreu de pneumonia no domingo, 15 de março, em decorrência do coronavírus. Gregotti estava hospitalizado com sua esposa Mariana Mazza em Milão. Nascido em 1927, em Novara, Itália, Vittorio Gregotti foi, em 1975, curador da Exposição Regarding the Stucky Mill, precursora da Bienal de Arquitetura de Veneza - que focou em encontrar soluções criativas para moinhos abandonados em GiudeccaVeneza. Fundador da Gregotti Associati International, grande parte da sua obra construída consiste em projetos esportivos ou culturais.


Estádio Luigi Ferraris

Com efeito, projetou o Estádio Olímpico de Barcelona e o Estádio Marassi em Gênova para a Copa do Mundo de 1990 na Itália, foi coautor do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, Portugal, projetou o Teatro de Ópera Arcimboldi, em Milão, o Grand Théâtre de Provence, na França, e o campus da Universidade da Calábria, além do distrito de Pujiang New Town em Xangai, inspirado na arquitetura italiana, e o distrito de Bicocca, em Milão. Stefano Boeri prestou homenagem a seu colega em sua página do Instagram, chamando-o de "mestre da arquitetura internacional que fez história em nossa cultura".


Vittorio Gregotti Architettura

O número de mortos na Itália saltou 25% em um dia e chega a 1.809, registrando 368 novas mortes somente no Domingo do aia 15 de Março. O número de casos positivos para o coronavírus COVID-19 aumentou para 24.747, com 3.590 novos casos. Documento obtido pelo jornal inglês The Telegraph mostra que ações de guerra podem ser adotadas em breve por excesso de infectados idosos nas UTIs italianas: pacientes com mais de 80 anos ou que apresentem más condições de saúde podem simplesmente serem deixados para morrer, sem atendimento médico! Toda a atenção deve ser dada as pessoas idosas devido a altíssima periculosidade dos efeitos nocivo do coronavírus COVID-19 nestes indivíduos. Crianças, adolescentes e mesmo pessoas mais jovens infectadas pelo coronavírus de modo geral, apresentarão sintomas de uma gripe comum mas transmitirão a doença tanto aos mais debilitados em sua saúde quanto aos idosos, criando uma situação de altíssimo risco! Até o príncipe Charles, de 71 anos, também testou positivo para o coronavírus. O herdeiro do trono britânico exibiu sintomas leves mas permaneceu saudável, não sendo possível determinar onde ou de quem o príncipe pegou o vírus. 


Príncipe Charles, 71 anos, testou positivo para coronavírus COVID-19

Só para lembrar: a própria Rainha Elizabeth 2ª descumpriu a medida de segurança indicada pela OMS e apertou a mão de um convidado seu, o professor Mark Compton durante uma audiência dia 11 de Março, no Palácio de Buckingham, Reino Unido. Ao Daily Mail, uma fonte disse que a decisão da rainha em cumprimentar o professor significou o seu desejo "manter a calma e continuar" realizando suas atividades sem pânico. A fonte ainda disse que "a rainha não mudou sua agenda nem com a gripe suína e nem com ataques terroristas (tsc)". Na semana posterior ao episódio porém, a monarca já aparecia de luvas durante os compromissos oficiais...


Março de 2020: Rainha Elizabeth 2ª aperta mão do professor Mark Compton em audiência no palácio de Buckingham

E não são apenas as pessoas mais velhas as vítimas fatais do coronavírus. Dados do governo italiano mostram que 12% dos pacientes em UTIs têm entre 19 e 50 anos, 52% têm entre 51 e 70 anos e 36%, mais de 70 anos. Apesar de os índices de mortalidade entre 19 e 50 anos serem bem pequenos - abaixo de 1% - eles são bem REAIS! Até o dia 15 de março, foram 14 mortes entre 19 e 50 anos (quatro entre 30 e 39 anos e dez entre 40 e 49 anos), ou 0,8% do total. O tipo de paciente está mudando. Eles são um pouco mais jovens, entre 40 e 45 anos, e seus casos são mais complicados. Pessoas jovens em condições de saúde mais frágeis estão contraindo a doença e mesmo morrendo ao redor do mundo devido ao contágio do coronavírus COVID-19. Crianças mais novas também são suscetíveis à infecção porque seus sistemas respiratórios estão em constante desenvolvimento. Crianças em idade pré-escolar e também os bebês sofrem mais com com o COVID-19 devido a uma "imaturidade do sistema imunológico", que não teve contato anterior com o vírus para desenvolver defesa apropriada. Exemplos não faltam:

- um recém-nascido em Londres testou positivo para o COVID-19 minutos depois do nascimento - a mãe também estava infectada. O caso aconteceu no norte do Middlesex, em Enfield, norte da capital britânica.
- um bebê com menos de 1 ano de idade morreu em Chicago, nos Estados Unidos, diagnosticado com coronavírus. Uma investigação será feita para determinar mais claramente o que causou a morte da criança, que não apresentava nenhum problema de saúde crônico - até então, havia apenas o registo de um bebê na China morto pelo Covid-19.
- uma menina de 12 anos morreu dia 31 de Março na Bélgica, vítima do coronavírus. Ela seria a vítima mais jovem da Europa a morrer contaminada com o novo vírus. Autoridades locais não informaram se a menina possuía outras enfermidades que pudessem colocá-la no grupo de risco.
- um menino de 13 anos diagnosticado positivo para covid-19 morreu, informou um hospital em Londres. Ismail Mohamed Abdulwahab, de Brixton, sul de Londres, faleceu na manhã de 30 de Março, sendo então a pessoa mais jovem a morrer por coronavírus no Reino Unido. Familiares disseram que ele não tinha doenças pré-existentes.
- pesquisa de Fevereiro na China apontou que 125 crianças analisadas desenvolveram aspectos muito graves da pneumonia causada pelo COVID-19, onde um menino de 14 anos morreu. Treze deles tiveram situação "crítica", à beira da insuficiência respiratória ou falência de órgãos. As demais foram classificadas como "graves" porque apresentaram sérios problemas respiratórios.



- em Portugal, um garoto jogador de futsal de 14 anos morreu de coronavírus um dia após sua internação. Ele também sofria de psoríase, doença crônica que afeta a pele.
- a jovem francesa Julie (sobrenome não divulgado) de apenas 16 anos também está entre as vítimas jovens do coronavírus em Março. Ela era saudável e não estava no grupo de risco da COVID-19.
- o tenista brasileiro Thiago Wild, 20 anos, anunciou positivo para o coronavírus. Apresentando febre cerca de 10 dias antes do resultado, já está no fim do isolamento.
- um jovem técnico de time espanhol morreu aos 21 anos após ser infectado por coronavírus. Francisco García treinava o time infantil do Atlético Portada Alta e estava internado havia uma semana.
- também na Inglaterra, Chloe Middleton, uma mulher de 21 anos morreu por causa do novo coronavírus, sem apresentar porém doenças pré-existentes - o que voltou a acender o alerta de que jovens não estão imunes a covid-19.
- o especialista em sistemas financeiros do Fundo Monetário Internacional (FMI) Rehman Shukr, de 26 anos de idade, morreu em Washington nos EUA, vítima do coronavírus
- em São Paulo, um jovem de 26 anos morreu por coronavírus na cidade. Ele estava internado desde o dia 23 de Março com problemas respiratórios. Aparentemente saudável, o rapaz tratava apenas os níveis de ácido úrico no sangue. Ele praticava esportes - corria maratonas - e seus pais também estão com os sintomas do coronavírus.
- um jovem de 27 anos morreu no Hospital Badim, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro) na madrugada do dia 22 de Março com sintomas de COVID-19.
- o nadador Cameron van der Burgh, 31 anos, também relatou dias difíceis após infecção pelo coronavírus: com uma capacidade pulmonar premiada nos Olímpicos de 2012, teve agora problemas ao executar tarefas simples.
- na Coréia do Sul, o astro do k-pop Lee Chin Hoon morreu aos 32 anos após contrair coronavírus.
- o cantor Di Ferrero, 34 anos e ex-vocalista da banda NX Zero, anunciou em suas redes sociais dia 12 de Março que está infectado com coronavírus.
- uma enfermeira de 40 anos, que trabalhou em um laboratório de análises clínicas morreu no bairro de Tucuruvi, na Zona Norte da capital em São Paulo na sexta-feira do dia 20 de Março após testar positivo para COVID-19. O laboratório foi fechado ao público.
- o prefeito da cidade de São Bernardo Campo, Orlando Morando (PSDB) de 45 anos, foi internado na UTI de um hospital privado na cidade após apresentar dificuldades respiratórias decorrentes do coronavírus. Ele recebeu o diagnóstico de Covid-19 semanas antes da internação.
- a cantora Preta Gil de 46 anos, também diagnosticada com o coronavírus no início de Março é curada da doença após 14 dias de quarentena.
- a sargento Magali Garcia da Polícia Militar (PM) em São Paulo morreu dia 30 de Março por coronavírus. A 1ª sargento tinha 46 anos e é a primeira policial da ativa vítima do COVID-19 no estado.
- a mesa-tenista paralímpica Eliane Corrêa de 48 anos morreu em São Paulo por causa do novo coronavírus - informação foi confirmada pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa.
- quatro em cada dez pacientes hospitalizados nos Estados Unidos por coronavírus têm entre 20 e 54 anos segundo estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) com taxa de óbito na casa dos 0,3% para sua letalidade.
- o pastor norte-americano Landon Spradlin de 66 anos que chamou o novo coronavírus de ‘histeria coletiva’, morreu dia 26 de Março de Covid-19, nos Estados Unidos. O religioso fazia declarações polêmicas e chegou a compartilhar informações falsas (Fake News) sobre a pandemia nas redes sociais. 

Não está preocupado com a pandemia porque tem uma saúde de ferro? Então veja a lista de alguns outros jovens atletas que já contraíram o coronavírus COVID-19:

-Daniele Rugani, zagueiro da Juventus (ITA), 25 anos. Diagnóstico: 11 de março
-Timo Hübers, zagueiro do Hannover (ALE), 23 anos. Diagnóstico: 11 de março
-Rudy Gobert, pivô do Utah Jazz (EUA), 27 anos. Diagnóstico: 11 de março
-Donovan Mitchell, ala-armador do Utah Jazz (EUA), 23 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Earvin Ngapeth, jogador de vôlei do Zenit Kazan (RUS), 29 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Callum Hudson-Odoi, atacante do Chelsea (ING), 19 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Manolo Gabbiadini, atacante da Sampdoria (ITA), 28 anos. Diagnóstico: 12 de março
-James Horn, meio-campista do Hannover (ALE), 23 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Trey Thompkins, ala-pivô do Real Madrid Basket (ESP), 29 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Fernando Gaviria, ciclista colombiano, 25 anos. Diagnóstico: 12 de março
-Maximiliano Richeze, ciclista argentino, 37 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Dusan Vlahovic, atacante da Fiorentina (ITA), 20 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Omar Colley, zagueiro da Sampdoria (ITA), 27 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Albin Ekdal, meio-campista da Sampdoria (ITA), 30 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Antonino La Gumina, atacante da Sampdoria (ITA), 24 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Morten Thorsby, meio-campista da Sampdoria (ITA), 23 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Fabio DePaoli, meio-campista da Sampdoria (ITA), 22 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Bartosz Bereszynski, zagueiro da Sampdoria (ITA), 27 anos. Diagnóstico: 13 de março
-Christian Wood, pivô do Detroit Pistons (EUA), 24 anos. Diagnóstico: 14 de março
-German Pezzella, zagueiro da Fiorentina (ITA), 28 anos. Diagnóstico: 14 de março
-Jonathas, atacante do Elche (ESP), 31 anos. Diagnóstico: 15 de março
-Ezequiel Garay, zagueiro do Valencia (ESP), 33 anos. Diagnóstico: 15 de março
-Eliaquim Mangala, zagueiro do Valencia (ESP), 29 anos. Diagnóstico: 15 de março
-José Luis Gaya, lateral do Valencia (ESP), 24 anos. Diagnóstico: 15 de março.
-Mads Mensah Larsen, jogador de handebol do Rhein-Neckar Löwen (ALE), 28 anos. Diagnóstico: 15 de março


Francisco García, técnico de time espanhol, morto aos 21 anos pelo coronavírus COVID-19

-Maique, pivô do Paulistano, 26 anos. Diagnóstico: 15 de março
-Patrick Cutrone, atacante da Fiorentina (ITA), 22 anos. Diagnóstico: 16 de março
-Blaise Matuidi, volante da Juventus (ITA), 32 anos. Diagnóstico: 17 de março
-Dmitry Strakhov, ciclista russo, 24 anos. Diagnóstico: 17 de março
-Kevin Durant, ala do Brooklyn Nets (EUA), 31 anos. Diagnóstico: 17 de março
-Dori, atacante do Meizhou Hakka (CHI), 30 anos. Diagnóstico: 18 de março
-Gedeón Guardiola, jogador de handebol do Rhein-Neckar Löwen (ALE), 35 anos. Diagnóstico: 18 de março
-Victor Lange, jogador sul-africano de golfe, 27 anos. Diagnóstico: 19 de março
-Marcus Smart, ala-armador do Boston Celtics (EUA), 26 anos. Diagnóstico: 19 de março
-Facundo Corvalán, armador do Real Canoe (ESP), 21 anos. Diagnóstico: 19 de março
-Wu Lei, atacante do Espanyol (ESP), 28 anos. Diagnóstico: 20 de março
-Paulo Dybala, atacante da Juventus (ITA), 26 anos. Diagnóstico: 21 de março
-Daniele Maldini, atacante do Milan (ITA), 18 anos. Diagnóstico: 21 de março
-Jan Vesely, ala do Fenerbahce (TUR), 29 anos. Diagnóstico: 21 de março
-Kostas Sloukas, armador do Fenerbahce (TUR), 30 anos. Diagnóstico: 21 de março
-Ahmet Duverioglu, pivô do Fenerbahce (TUR), 27 anos. Diagnóstico: 21 de março

Não foi considerado nesta lista os casos confirmados onde os nomes dos atletas não puderam ser divulgados - há times com até 6 casos de COVID-19 em suas equipes.

A estupidez digital adolescente!

O "influenciador" Larz, que atualmente tem 29 mil seguidores no Instagram, postou um vídeo no qual lambia o vaso sanitário de um banheiro público. Agora, ele está diagnosticado com coronavírus. O desafio, conhecido como Coronavirus Challenge, vai contra todas as recomendações de saúde e, durante a atual pandemia, apresenta ainda mais riscos.



Além de ter feito algo anti-higiênico, Larz pode ter influenciado os seus seguidores a continuarem este desafio quando divulgou o vídeo, o que é muito preocupante - pra não dizer imbecil e criminoso! Em publicação posterior no seu Twitter, o "influencer" informa que tinha fez o teste para COVID-19 com resultado positivo. Em seguida, sua conta foi suspensa. Ava Louise, uma blogueira famosa nos Estados Unidos, também foi criticada após publicar um post no TikTok em que lambia o assento do vaso sanitário de um avião.



A usuária pediu que seus seguidores compartilhassem a publicação para que as pessoas "saibam como higienizar corretamente um avião".

Divulgar e fazer desafios como esses é uma atitude criminosa e irresponsável.

Fique atento às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o coronavírus.

Portanto, a maior parte da conscientização cidadã em não propagar irresponsavelmente o coronavírus COVID-19 também está nas mãos da nova geração (que pode SIM ter casos com óbitos): não descuidem-se e evitem aglomerações, higienizem-se bem, não entrem em contato físico com as pessoas pelo menos por enquanto - mesmo sendo elas os seus pais de mais idade ou os seus avós! Por mais que os amem... é só uma fase. A Codlux® compromete-se aqui a esclarecer a você, consumidor de equipamentos para iluminação artificial com tecnologia Led, todas as dúvidas quanto ao uso e aplicações dos produtos comercializados relacionados a sua saúde e bem-estar. Acesse o marcador especial do Blog:

SAÚDE CODLUX®

Se preferir, veja os principais links mais detalhadamente em codlux.com/dicas

CUIDE-SE BEM!

Robson Giro especial para a Codlux® - Luz em Led


Fontes: Aydinlatma.org, The New York Times, CNBC, G1 (arte), Olhar Digital, O Globo, LEDinside, Canaltech, Gizmochina, Furniture Lighting & Decor, Veja, TargetHD, BBC, CNN, The Verge, Time, LED Professional, Lighting Research Center (LRC), HDE Expo, Archdaily  Brasil, Edison Report, R7, New Age bd, UOL, Lighting Now, Tecmundo, Tecnoblog, Prefeitura de São Paulo  


Codlux® - Luz em Led

Luz é Função. Estamos empenhados nisso.

Baixe o arquivo em PDF desta postagem: 


LEIA TAMBÉM
Quais produtos em Led você pode aplicar agora?

No distanciamento social, as dicas para o que é fácil ou exige um profissional na instalação de Led
Led UV-C:

Tudo o que você precisa saber! 
Escritório, Home Office e a Iluminação em Led 

A COVID-19 mudará os escritórios para sempre?
As Vantagens da Luz em Led Para a Sua Saúde

A aplicação de equipamentos Led no trato de nosso corpo e bem estar 
S.A.D.

Saiba o que é o Transtorno Afetivo Sazonal
Led: quando a desinformação vira Fake News!

No ano em que as fake news foram destaque, nem o Led ficou de fora da desinformação. A Codlux® ajudou você a entender melhor todas as mentiras contadas sobre a Iluminação em Led, disseminadas de maneira irresponsável em 2019 

Postagens mais visitadas deste blog

Como evitar ERROS GROTESCOS na instalação?

Olá!
Hoje voltaremos a falar sobre Erros de Projetos. Agora mais precisamente, no tocante a instalação de alguns equipamentos especificados, principalmente aqueles que necessitarem de uma Adequação e Desenvolvimento por parte do profissional em luminotécnica quando da correta escolha dos produtos de iluminação artificial com tecnologia Led para o seu projeto !

Via de regra, grande parte das adaptações criadas pelo Light Designer responsável no projeto encomendado vão de encontro a um desejo pessoal do seu cliente. Isto consequentemente acarretará, por exemplo, em equipamentos que não harmonizarão com o desenho original da peça disponível no mercado: formas, cores, potência da luz, meios de fixação/instalação etc, tudo pode ter que ser mudado naquele equipamento "X" devido a uma escolha pessoal do proprietário do imóvel, tendo contudo que manter-se não só a qualidade na iluminação local como também, a garantia do produto. E é aí que a coisa pode começar a pegar: instaladore…

O Batata floresce!

Olá! Dia 17 de Agosto é o Aniversário de nosso amado bairro de Pinheiros aqui na cidade de São Paulo. Preparamos este super post especialmente para você que deseja morar, trabalhar, se divertir ou mesmo conhecer um dos primeiros bairros da segunda maior cidade da América Latina em 2020, onde a população já passa dos 20 milhões e a riqueza gerada, beira a casa dos US$530 bilhões ao ano. E Pinheiros hoje ilustra bem este progresso todo: uma edição da revista Veja São Paulo de Janeiro de 2019 destacava matéria especial sobre um grande empreendimento a ser erguido no Largo da Batata, região do bairro de onde está localizada a Codlux®: o Faria Lima Plaza


O projeto arquitetônico em questão é assinado pelo escritório de arquitetura Kohn Pedersen Fox Associates (KPF) e, tem potencial para se tornar um grande ícone do mercado imobiliário.









A localização, trata-se do último terreno vazio no Largo da Batata: com  9.000 metros quadrados (imagens abaixo) e bem ao lado do metrô Faria Lima (linha 4 …

Trilho Suspenso: Solução simples e sofisticada

Olá!



#AdequaçãoEdesenvolvimentoqual empresa em iluminação oferece isto a todos os seus clientes de maneira incondicional?
Seja em sua casa ou empresa, a Codlux® vai aonde nenhuma outra pode (ou não quer) ir: solução para aquilo que está em sua mente, adaptada as disponibilidades atuais do mercado e sem custos exorbitantes - você simplesmente não tem que pagar a mais por isto.Nosso Atendimento e Pós-venda estão fazendo a diferença para centenas de clientes atendidos, como o do caso deste video, que queria também em seu projeto um simples trilho eletrificado, pousado longe do teto, acima de sua mesa de jantar no terraço mas com sofisticação, sem cabos ou fios aparentes.

O expertise dos profissionais da Codlux® no mercado da iluminação foram fundo: do design a fabricação do produto, passando pelo conhecimento certo dos insumos para encontrar a finalização perfeita, de bom gosto e com muita resistência.

Esta é a Codlux®. Luminotécnica e design acessível a você!


Veja agora a preparação de…