Pular para o conteúdo principal

Inspirações na Iluminação Histórica

Você gosta de Iluminação Histórica?
Primeiro: você sabe o que é Iluminação Histórica?



Olá! Eu sou Robson Giro da Codlux® e agora, vou levar você a um passeio pelos saudosos Postes Republicanos que ainda hoje, em alguns lugares privilegiados nas cidades deixam as noites paulistanas e cariocas com um pouquinho daquele belo glamour romântico de antigamente. 
Também aqui nesta publicação você saberá: 
-porque a aplicação da Iluminação Histórica no seu projeto pode ajudar a 'frear' exageros e abusos na luz 
-como foi a jornada da iluminação pública nas cidades antes da chegada do LED 
-quais produtos com design histórico disponíveis hoje nos remetem a este belo passado na iluminação 

Assista ao nosso video intro e inspire-se a seguir neste post para agregar ao seu projeto, um bom design de Iluminação Histórica! 




A ILUMINAÇÃO HISTÓRICA NO SEU PROJETO DE ILUMINAÇÃO 


É muito prazeroso e também uma grande honra para mim profissional da iluminação poder falar para você nesta publicação, fatos sobre a Iluminação Histórica e o seu legado no Lighting, principalmente nos dias de hoje onde o LED que revolucionou a eficiência energética no planeta inteiro transita perigosamente agora num 'processo de nocividade', causado pela enorme poluição luminosa que atinge cada vez mais os mega centros urbanos. 

A Iluminação Histórica pode ser definida não só pela aplicação de produtos com design "antique" em um projeto como também, por uma especificação luminotécnica que harmonize o romantismo da luz suave típica dos tempos coloniais e imperiais às atuais necessidades circadianas de nossa corrida vida moderna. 

De fato ao observarmos que, bem antigamente, os vilarejos eram infinitamente menos iluminados do que se vê hoje nas mega cidades - onde vistas de cima notamos a preocupante poluição luminosa - desejamos também menos luz em nossos interiores, tanto em casa como no trabalho. Isto foi inclusive muito percebido na edição deste ano da CASACOR SP, ocorrida no Conjunto Nacional da Avenida Paulista: ambientes com luz focal forte e bem fechada que alcançava o piso com excelente fluxo luminoso e, ao mesmo tempo, preservava as sombras nas cenas mais escuras e tranquilas vistas na maioria dos espaços apresentados durante o evento: você podia então ver ali, uma presente 'penumbra geral' por exemplo em um living mas, se chegasse próximo a mesa de centro ou ao sofá, sentia que a luz realmente estava lá, revelando todo o seu rosto aos presentes de uma forma bem nítida! Era como se alguém, para conversar com você, se aproximasse portando uma lamparina antiga - algo muito comum nas casas e ruas do Brasil colônia e imperial antes da chegada da iluminação a gás e da iluminação elétrica. Nestes ambientes abaixo montados pela arquiteta Ticiane Lima para a CASACOR SP 2023, percebemos um pouco disso. 
  


A Iluminação Histórica também pode perfeitamente ser aplicada harmonizando modernos equipamentos LED de linha técnica aos delicados equipamentos vintage decorativos onde, juntos, valorizam eficientemente o design de interiores e o deixa bem de acordo com a proposta. Neste ambiente de Carlos Navero para a CASACOR SP 2023 por exemplo, a arandela em módulo LED ilumina claramente os degraus da escada, mantendo porém as sombras no papel de parede como pensado no projeto luminotécnico. 



A linha decorativa usada nos ambientes de Carlos Navero para a CASACOR SP 2023 realmente trouxe um belo apelo de iluminação histórica em toda a leve penumbra que esteve mergulhada. 


Nos ambientes apresentados por Léo Shehtman para a CASACOR SP 2023, também presenciamos a leve penumbra geral sendo 'quebrada' por modernos equipamentos LED, como esta linda e esguia coluna. 


Na CASACOR SP 2023 as cenas com pouquíssima luz também invadiram os ambientes apresentados pela Suite Arquitetos, como no quarto com luzes indiretas abaixo. Aqui, a aplicação de perfis LED nas marcações de luz é uma excelente dica para valorizar ainda mais qualquer peça decorativa de iluminação histórica em destaque mais isolado. 


O ambiente de cozinha montado pela BC Arquitetos para a CASACOR SP 2023 foge do comumente adequado, que é inundar com luz de serviço satisfatória os espaços de trabalho para melhor manipulação e higienização. O que vemos com a pouca luz aqui nesta área nada mais é do que aquilo que se tinha de iluminação na época do Brasil colônia e império, faltando apenas pra completar esta identidade, alguma peça decorativa bem vintage ou, de design moderno similar!  


Toda esta pegada de 'menos luz' era a habitualmente notada na vida cotidiana das pessoas no século 18 até antes de Thomas Alva Edison inventar a iluminação elétrica, em 1830. Depois disso, elas começariam ano após ano a desfrutar melhor o uso da luz artificial não só em suas casas como também, nas vias públicas, tornando os passeios e o trânsito noturnos mais seguros e comuns - algo impossível de se realizar com a outrora escuridão plena, propícia à facilitação de assaltos e outros crimes. 

A iluminação que chamamos aqui de Iluminação Histórica é justamente aquela que compreende o exato período de invenção da iluminação pública a gás e elétrica até a chegada da moderna iluminação em LED de hoje. Mas, de tanto excesso equivocado vindo da luz LED aplicada externamente em milhares de projetos mundo afora, um movimento ainda que silencioso começa a tomar conta das pranchetas digitais dos lighting designers para um 'retorno ao passado', um resgate ao saudável convívio da noite de luar, do céu escuro e estrelado, dos sons de insetos noturnos e do nosso 'repousar mais cedo', em respeito ao bom funcionamento do ciclo biológico humano. Existem até eventos que destacam as áreas naturalmente escuras e preservadas de iluminação artificial ao redor do mundo em benefício das espécies animais e observação das estrelas, como o Chase the Dark - evento já destacado 👉AQUI em postagem do Blog.


A Iluminação Histórica vem então contribuir neste processo através do seu design - e do seu redesign - em produtos de iluminação vintage/retrô ou mesmo, em novos equipamentos que inspirem ainda mais as pessoas a 'pisarem no freio', a desacelerar, a resgatar o passado da boa escuridão não só nas ruas como dentro das casas e do trabalho. Ao adquirir por exemplo uma moderna lamparina LED recarregável USB para acessar o seu jardim à noite - como faziam os antigos com os seus modelos a base de gordura de peixe - você evita instalar muitos postes e balizadores LED no passeio paisagístico e assim, ajuda a minimizar a poluição luminosa no planeta que tanto afeta nocivamente a vida animal e também impede a observação das constelações. 

A circularidade também é outro grande destaque na aplicação de itens de Iluminação Histórica em um projeto luminotécnico. Porém, ao adquirir uma peça vintage decorativa para valorizar o ambiente, um bom retrofit eletrônico de conversão LED é necessário. Abaixo por exemplo, vemos uma antiga lamparina a óleo Vitoriana original de época convertida para uso com uma lâmpada LED bulbo em soquete E27. Aqui, a ideia foi quase perfeita não fosse por um detalhe: o uso de lâmpada tipo bulbo - e ainda mais, leitosa - foi algo bem equivocado! 

O correto para a fidelização do design histórico neste caso seria ter usado uma lâmpada LED E27 transparente do tipo vela, do tipo chama ou mesmo aqueles modelos que cintilam, imitando o fogo de uma chama de verdade. Veja abaixo os modelos que poderiam ter sido usados nesta lamparina:

lâmpada LED tipo vela
Lâmpada LED tipo chama
lâmpada LED tipo chama com flicker animado

Nas imagens abaixo por exemplo, você vê um belíssimo pendente no estilo candelabro, com suas lâmpadas LED tipo chama em 3000K iluminando a sala de jantar deste apartamento atendido no projeto luminotécnico por Marcos Britto, da Codlux®. A referência à Iluminação Histórica aqui ficou notável, refinada muito acolhedora! É sobre isso😍.

Uma das empresas que apostaram na ideia de Iluminação Histórica foi a sempre muito bem inspirada Sony, com o lançamento no Japão em 2021 da belíssima e mega moderna lamparina LSPX-S3 - que a empresa chama de "coluna de som de vidro". A portabilidade do produto junto a um irretocável exercício de design remete aos tempos das antigas lamparinas a óleo ou azeite, onde sua linda luz dourada preenchia casebres e tabernas em épocas coloniais e imperiais. Esta coluna da Sony tem vários modos de luz, como o 'modo de vela', onde sua iluminação cintila como uma vela em dois estágios para combinar com o ambiente: o brilhante, para iluminação geral e o delicado, para relaxamento à noite. Mas, engana-se quem pensa que a LSPX-S3 é um artigo de luxo que 'só ilumina'... ela também toca qualquer som por Bluetooth de seu celular em estéreo 360º ! E, suas luzes podem sincronizar com o ritmo das músicas ou outros tipos de sons tocados. 

A Iluminação Histórica tem este e outros bons poderes de encantar no resgate a luz do passado, como fez tão lindamente a Sony no design da tecnológica LSPX-S3. Outro ponto muito notado no benefício do uso da Iluminação Histórica em um projeto de iluminação é o refinamento do seu design, seja ele um rococó bem  rebuscado ou, de traço mais neoclássico, reto e minimalista: o 'peso' quase brutalista nos desenhos de alguns equipamentos LED com inspiração de Iluminação Histórica disponíveis hoje também nos ajuda a 'parar', a observar, a sentir sua 'densidade' e a refletir sobre o ontem em detrimento de um futuro 'perturbadoramente' muito aceso, muito claro! Um belo pendente LED no formato de candelabro com velas por exemplo, pode cumprir bem esta função de evocação à boa luz do passado - como bem podemos ver abaixo no lindo modelo 'Lustre Inglês', da Femarte. 



Outros produtos legais também trazem hoje esta identidade de Iluminação Histórica com design atual e muito elegante. Abaixo citamos alguns deles, como os Postes Retrô da Metal Domado apresentados na última edição da EXPOLUX realizada em 2022 na cidade de São Paulo - e com postagem especial da Codlux® 👉AQUI


Também amamos ver na EXPOLUX 2022 a bela Lanterna Lohr, da Germany. Sua alça de transporte em couro é tudo de inspirador na Iluminação Histórica! 


Os 'exageros' de design também era algo muito comum de se ver nos tempos da Iluminação Histórica. Certos produtos - fossem para iluminar ou apenas 'acender' - tinham adornos bem carregados no dourado, no cristal e até nas formas animais, exatamente como vemos abaixo nesta linha de produtos da Cinderela, também  apresentada na EXPOLUX 2022. 



E, é mais que claro e óbvio falarmos também aqui dos opulentos Lustres de Cristal que praticamente, atravessam os séculos impávidos na Iluminação Histórica para interiores, como os modelos abaixo da Hevvy mostrados na EXPOLUX 2022! 


Esta Luminária da PIX apresentada na EXPOLUX 2022 em São Paulo lembra bem o design de Iluminação Histórica dos anos 1920, onde era muito comum criar itens decor com formas humanas!  
 

Quem também mandou muito bem na última edição da EXPOLUX em São Paulo foi a Madelustre, apresentando uma belíssima linha de produtos para Iluminação Histórica. 



Abaixo, Marcos Britto da Codlux® mostrando produtos de Iluminação Histórica da Biancoluce, apresentados na edição 2022 da EXPOLUX em São Paulo. 





A Iluminação Histórica também pode inspirar as pessoas a refletirem em, como antigamente tudo era bem mais simples de se enxergar, com as pupilas de nossos olhos adaptando-se naturalmente a diferentes níveis de luminosidade diurna e noturna, sem excesso luminoso algum ofuscando nossa vista ou bagunçando a produção da melatonina pelo cérebro para nos ajudar a dormir tão bem! Porque, quando pensamos em produtos de Iluminação Histórica, naturalmente lembramos que eles devem ser 'bem mais fracos' na emissão da sua luz até por uma questão de 'fidelidade' à sua potência original no período em que foram criados e amplamente utilizados no Brasil colônia-império e inicio do Brasil República. Logo, não faz sentido algum adquirir um produto de Iluminação Histórica com muitos Watts de potência para iluminar o interior de residências ou mesmo, as próprias vias públicas! 

A prova cabal disso tudo o que citamos aqui fica bem clara nesta simples pergunta: 

Quem nunca, ao andar numa linda noite de luar pelas tradicionais ruas nos centros das cidades de São Paulo ou do Rio de Janeiro, se viu admirando os famosos, pesadões e românticos Postes Republicanos acesos próximos a um ponto turístico e que nos  transportam diretamente a um passado de glórias com a sua luz? 

Isto é puro legado típico da Iluminação Histórica!  

UMA BREVE HISTÓRIA DA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL NO BRASIL  

As lamparinas

Até o século 18, a luz artificial era utilizada por ricos e não existia ainda um conceito de 'iluminação pública' para todos. Foram os portugueses que trouxeram ao Brasil as várias formas de iluminação artificial utilizadas na Europa, como lamparinas à base de óleos vegetais e animais. Os lampiões de hastes longas e as lamparinas portáteis da época eram então os equipamentos usados popularmente nas casas e também, de maneira móvel quando alguém precisasse sair às ruas de noite - as vias públicas muito escuras neste período foram por anos consideradas ambientes extremamente perigosos. Abaixo, um belo modelo de lamparina a óleo colonial em latão do século 18, com cúpula em vidro. 

Mas, nem todos podiam se beneficiar do conforto destas luminárias. O óleo de oliva utilizado pelas lamparinas neste tempo por exemplo, era importado da Europa e muito caro. Por isso só parte da elite nobre podia adquiri-lo. Rapidamente porém, ele foi sendo substituído por óleo de côco e óleo de mamona (este, mais popular). Já os óleos de gordura animal como os de peixes e também, as velas feitas de gordura animal ou com cera de abelha eram os meios mais usados nas residências pobres para iluminação, em razão do seu baixo custo. 

Na cidade do Rio de Janeiro, a iluminação pública à base de óleos vegetais e animais foi implantada no ano de 1794. As ruas da cidade eram repletas de luminárias mantidas com óleos vegetais ou de animais e acesas diariamente. Já na cidade de São Paulo, a iluminação pública também teve o seu início com algumas empresas testando constantemente diferentes tipos de combustíveis.

São Paulo teve as suas primeiras experiências de iluminação pública nas décadas iniciais do século 19, por meio do uso de lampiões fixos à base de azeite de mamona, de peixe ou de baleia. Os suportes destas luminárias eram pregados por longos braços de ferro às paredes das casas localizadas nas principais ruas. Um dos primeiros testes realizados foi com a instalação de lampiões a base de azeite. Em 1829 por exemplo, já haviam 24 lampiões a azeite iluminando a cidade, período em que a população de São Paulo girava em torno de 20 mil pessoas. Na época, a vida social começou a se agitar rapidamente e com a iluminação pública, sendo possível então as pessoas marcarem encontros noturnos na cidade. Após o azeite, dentre os muitos outros combustíveis testados em São Paulo houve a iluminação por hidrogênio líquido (uma expressão da época) e a por camphion (mistura de aguarrás e álcool) até chegar-se ao serviço oferecido por gás de hidrogênio carbonado. Em1847 São Paulo usaria o gás iluminante obtido à partir do carvão para iluminar a cidade, sendo instalados 160 lampiões que proporcionaram luz durante cinco anos. Em 1853, a cidade iluminou a fachada da antiga sede da Catedral da Sé e do Palácio do Governo, no Pátio do Colégio. Só em dezembro de 1869 é que a empresa contratada San Paulo Gas Company Ltda assumiu a tarefa de implantar uma iluminação a gás mais robusta na cidade. Mesmo assim, apenas algumas vias centrais de São Paulo contavam inicialmente com esta iluminação, enquanto que no restante do município a população continuava no 'escuro tecnológico'. Era a verdadeira treva! 

ILUMINAÇÃO A GÁS 

Há 150 anos, em 28 de agosto de 1872, a empresa inglesa San Paulo Gas Company foi autorizada a atuar no Brasil império, marcando o início da consolidação do uso do gás no Brasil a partir do Estado de São Paulo.


O gás encanado era inicialmente produzido a partir do óleo de peixe e depois, de carvão e nafta respectivamente. A primeira cidade brasileira que implementou a iluminação a gás foi a capital paulista, de 1854 até 1936. Na noite de 6 de janeiro de 1872 foram acesos experimentalmente os primeiros lampiões a gás de carvão no município. A inauguração oficial ocorreu no dia 31 de março, com a presença do Imperador do Brasil D. Pedro II. 

Podemos ver abaixo um típico modelo de lampião a gás com poste curto para fachadas na cidade de São Paulo em 1908. 



Já a seguir, temos um exemplo de como eram instaladas as luminárias públicas nos beirais das casas paulistanas, como esta na esquina da então Rua Capitão Salomão mostrando uma autêntica iluminação pública a gás de carvão

Na imagem a seguir, vemos a Praça da Sé com as ruas Direita e XV de Novembro em 1911 com os seus postes de iluminação a gás.  


Nesta foto de Aurélio Becherini feita na Rua José Bonifácio em 1916, podemos notar um poste a gás à direita da imagem

Com a chegada da Primeira Guerra Mundial de 1914 a 1918, dificultou-se a importação do carvão mineral. Uma greve geral de trabalhadores em 1917, somada a um grande número de operários mortos pela gripe espanhola no período também afetariam a produção de gás. Abaixo, o Largo São Bento com a Igreja de Santa Ifigênia ao fundo. No centro, à direita da praça, vemos postes de iluminação a gás, em foto de Aurélio Becherini. 

Viaduto Santa Efigênia em 1913
Imagens: Prefeitura de São Paulo e Fundação Energia e Saneamento 


 
No campo tecnológico, outra empresa contratada pela cidade, a Light de São Paulo, investia pesado na iluminação elétrica do município. Os lampiões a gás porém expandir-se-iam até 1929, quando o Governo transferia para a Light o serviço geral de iluminação pública da cidade, deixando para a San Paulo Gas Company apenas o fornecimento do gás doméstico. Abaixo, uma imagem da Subestação de Gás Paula Souza em 1926. 


Em 1930, começaram a ser desligados os primeiros lampiões a gás da cidade de São Paulo. O último lampião a gás da capital paulista de uso operacional foi desligado há 87 anos, em dezembro de 1936.


Com isso, extinguiu-se também a profissão de “vagalume”, função praticada como “bico” por muitos trabalhadores para complementar os seus salários. Havia entre eles padeiros, quitandeiros, amoladores, funileiros, vendedores de carvão, chacareiros, encanadores e até pequenos comerciantes. Os acendedores eram pessoas bem familiares nos bairros e, o encerramento da função marcaria o fim de uma era. 

Um Acendedor de Lampiões a Gás abaixo trabalhando no centro de São Paulo, em 1938. À época, eram apelidados de “vagalumes” por serem os responsáveis em acender e apagar as luminárias todos os dias. Em seu auge a iluminação a gás da cidade chegou a reunir mais de 10 mil lampiões a gás. 
Imagem: Sou Paulistano - Fotos Antigas (Facebook) 

Na imagem abaixo, vemos o prédio administrativo da Companhia de Gás de São Paulo, em 1930. 


Alguns lampiões a gás no entanto ainda resistem heroicos em pleno 2023 no Pateo do Collegio (local que é o marco da fundação da capital no centro da cidade de São Paulo). Após uma revitalização com reposição de peças, a Subprefeitura da Sé e a Comgás reinauguraram estes lampiões durante o evento "Lampiões, a luz da alma paulistana!".   


Assista também ao video abaixo para mais detalhes:



Um outro Poste a Gás original está instalado na cidade, agora no bairro da Penha em São Paulo. Ele fica localizado temporariamente em frente à Escola Estadual Santos Dumont, em comemoração aos 350 anos do bairro paulistano. Trata-se de uma réplica dos antigos modelos de lampião a gás que iluminavam a cidade no passado.



O candeeiro em si (luminária no topo do poste) é uma peça original centenária a gás pertencente à outrora companhia San Paulo Gas Company, empresa fornecedora da iluminação pública paulistana atuante na cidade entre 1872 e 1929. Hoje, este poste histórico tem a sua iluminação fornecida por energia elétrica e equipamento LED. 
Imagem: acervo FES 

O saudosismo que os antigos Lampiões a Gás ainda trazem a muitos cidadãos paulistano também pode ser conferido nos vários comentários feitos 👉AQUI, na publicação do site 'São Paulo Minha Cidade'.

Parte desta nostalgia luminosa deve-se também a elegância com que a iluminação pública era tratada naqueles tempos, principalmente quando nos perguntarmos: 

"Onde estavam os fios?" 

Eles simplesmente eram aterrados ao chão, assim como também eram os canos para passagem do gás no sistema de iluminação anterior, antes da luz pública ser gerada por eletricidade! Mas o tempo foi passando, a necessidade de grande consumo de energia elétrica nas grandes cidades foi só aumentando e a espessura dos cabos de energia para suportar esta demanda, foi ficando cada vez maior a ponto das empresas insistirem em redes aéreas de distribuição para agilizar o processo. E foi assim que vimos o surgimento do termo "Fios Malditos" na cidade de São Paulo, devido ao imenso rastro de feiura que o atual emaranhado de cabos para elétrica, dados de internet e telefonia deixa hoje no passeio público paulistano, com postes que beiram uma visão tecnológica quase apocalíptica - algo beeem diferente do que ainda podemos ver nos poucos Postes Republicanos acesos restantes na capital paulista! Pelo menos neste ponto, temos sim que sentir muita saudade de antigamente... 

ILUMINAÇÃO ELÉTRICA INCANDESCENTE


A iluminação elétrica incandescente veio ao mundo em 1882, quando Thomas Alva Edison ligou pela primeira vez as suas lâmpadas elétricas criadas em 1879 numa via pública. No entanto, poucas pessoas na época tinham fé suficiente na iluminação elétrica para usá-la em casa.


Na própria Casa Branca, sede do governo dos EUA por exemplo, a iluminação elétrica só foi instalada quase 10 anos depois de criada, em 1891 e durante o governo do presidente Benjamin Harrison.
A empresa de Thomas Edison teve que instalar um gerador longe da sede do governo, nos porões de um prédio próximo pertencente a Marinha e com os seus fios saindo do gramado para só aí então, serem introduzidos no prédio da Casa Branca. Ainda assim, a iluminação elétrica foi especificada na sede do governo americano apenas para 'complementar simbolicamente' a iluminação a gás existente e muito usada no edifício. 

Os fios da luz elétrica na Casa Branca foram enterrados em gesso, com os interruptores nas salas sendo ligados e desligados somente por Irwin "Ike" Hoover, um profissional eletricista que mais tarde, se tornaria o chefe da elétrica local. Toda esta exclusividade preventiva foi instaurada na Casa Branca só porque, tanto o presidente Harrison quanto a primeira-dama Caroline Harrison se recusavam veementemente a operar estes interruptores, temendo serem afetados por possíveis choques elétricos. 

O Brasil foi a primeira nação na América Latina a usar um serviço completo e regular de iluminação elétrica em 1879, com a utilização de luzes na estação Rio da estrada de Ferro D. Pedro II, quando foram instaladas 6 lâmpadas a arco voltaico ligadas por dois dínamos num prédio da Central do Brasil no Rio de Janeiro. E isso só foi  possível devido a já conhecida 'curiosidade tecnológica' do imperador Dom Pedro II, um dos primeiros líderes mundiais motivados a experimentar as invenções com energia elétrica de Thomas Edison

Na imagem abaixo temos uma imagem da Catedral da Sé em São Paulo ainda em construção, no ano de 1930. Detalhe para o pendente com lâmpada elétrica. Mais abaixo, imagem de manutenção em um Poste Republicano da cidade.  
Imagens: Acervo AHM 


OS POSTES DA LIGHT 


Em 1899 a chegada da empresa Light em São Paulo - que iria adquirir a San Paulo Gas Company em 1912 - iniciava a prestação de serviços para geração e distribuição de energia elétrica na cidade. É desse período o desenvolvimento pela Light dos diversos modelos de postes que viriam a ser instalados na capital paulista, sendo alguns deles presentes até hoje no centro de São Paulo. Eles contam um pouco da história da capital do estado pois, foram confeccionados com ferro fundido há mais de 80 anos - não pela Light mas sim, pela antiga companhia General Eletric (G&E) em 1929. Alguns deles vêm com o Brasão de Armas Nacional pintados de dourado na base em homenagem à República e outros, com flores estilizadas no ferro trabalhado. 
Os postes da Light também possuíam diferentes braços e suspensões, chamando muito a atenção dos cidadãos paulistanos e constituindo-se como a verdadeira marca para os novos tempos de vida moderna e industrialização sentidos na cidade. Os Postes Republicanos instalados pela Light na paisagem paulistana chamaram tanto a atenção da população que, dariam até inspiração a uma das 22 séries de poemas do escritor Oswald de Andrade para sua obra "Pau Brasil", de 1925. Em “Postes da Light”, o autor nascido e criado em São Paulo estreava como poeta apresentando uma crônica da capital paulista que, usava como metáfora os então novos postes de luz elétrica instalados e o que eles simbolizavam naquela transformação toda de uma cidade ainda dividida entre o provincianismo e o moderno. 

Leia um dos trechos de "Postes da Light", da série de poemas escritos por Oswald de Andrade para a obra "Pau Brasil" 
ATELIER
Caipirinha vestida por Poiret 
A preguiça paulista reside nos teus olhos 
Que não viram Paris nem Piccadilly 
Nem as exclamações do homens 
Em Sevilha 
À tua passagem entra brincos 
Locomotivas e bichos nacionais 
Geometrizam as atmosferas nítidas 
Congonhas descora sob o pálio 
Das procissões de Minas 
A verdura no azul klaxon 
Cortada Sobre a poeira vermelha 
Arranha-céus Fordes 
Viadutos 
Um cheiro de café 
No silêncio emoldurado 

ILUMINAÇÃO HISTÓRICA EM SÃO PAULO  


No Brasil, a segunda cidade a ter luz elétrica em vias públicas foi Rio Claro, no estado de São Paulo. Isso ocorreu pelo fato desta cidade receber uma das primeiras usinas termelétricas do país. 
No ano de 1905 são instaladas as primeiras lâmpadas elétricas da cidade de São Paulo, na rua Barão de Itapetininga. Dois anos depois são iluminadas as ruas do triângulo formado pelas Ruas Direita, 15 de Novembro e São Bento, com 50 lâmpadas de arco fechado. 

Abaixo (em imagem do acervo do Museu da Cidade de São Paulo) vemos o Belvedere Trianon, antigo mirante localizado onde hoje está erguido o MASP (Museu de Arte de São Paulo), com os primeiros Postes Republicanos modelo single instalados. 

 
Abaixo, as avenidas Cásper Líbero e Ipiranga na região da Santa Efigênia em 1956, com Postes Republicanos triplos à esquerda e duplos no fundo à direta. 
Imagem: São Paulo Antiga

As evocações ao passado no Brasil também passam ultimamente até por seus eventos marcantes, como as últimas edições da CASACOR SP na cidade de São Paulo: desde 2022, a maior mostra de design arquitetônico e interiores da América Latina é realizada no pomposo Conjunto Nacional da Avenida Paulista. E a edição 2024 já confirmou este mesmo local para as próximas datas no ano que vem! O conjunto Nacional realmente é um grande ícone da arquitetura brasileira e paulistana. A Codlux® esteve presente nestas últimas edições e registrou tudo o que foi mostrado de bom para a iluminação de ambientes. Veja a nossa cobertura super especial da mostra em 2023 👉AQUI. E, já que estamos falando em relembrar o passado, que tal saber como era o atual local da CASACOR SP antes da sua construção? Veja abaixo: 

Terreno para a construção do futuro Conjunto Nacional da Avenida Paulista em São Paulo, foto da década de 50. Aqui atualmente realizam-se as últimas edições da CASACOR SP 
Imagem: SP In Foco (Facebook) 


O Vale do Anhangabaú é uma região central da cidade que continha muitos Postes Republicanos e também de outros modelos para a sua iluminação geral. O primeiro Viaduto do Chá originalmente montado no Vale do Anhangabaú (que completou 130 anos em 2022) já contava com iluminação elétrica. Abaixo, o Vale do Anhangabaú e o Viaduto do Chá à direita do atual Shopping Light, em 1930. Na iluminação pública, podemos ver um pendente típico do período com lâmpada elétrica. 
Imagem: Museu da Cidade de São Paulo 


O Vale do Anhangabaú em imagem do ano de 1954, com um quase solitário Poste Republicano single na praça. 
Imagem: São Paulo In Foco 

Abaixo, Marcos Britto da Codlux® no Vale do Anhangabaú e Pateo do Collegio em 21 de abril de 2006, ano em que muitos dos Postes Republicanos iluminavam o local.  
Imagens: Robson Giro (Codlux®) 


Robson Giro da Codlux® no Teatro Municipal de São  Paulo em 21 de abril de 2006, com seus Postes Pendentes duplos de iluminação histórica ao fundo.  
Imagens: Robson Giro (Codlux®) 


 
Detalhe da Catedral da Sé, São Paulo em abril de 2006 com Postes Republicanos triplos.  
Imagem: Robson Giro (Codlux®) 


Só no início da década de 70, com a população paulistana beirando 6 milhões de pessoas, já haviam cerca de 115 mil lâmpadas elétricas iluminando a cidade. Em 2010 os chamados Postes Republicanos - ou, 'postes da Light' - somavam ao todo 350 unidades no centro da cidade de São Paulo. As tampas de acesso à fiação elétrica e os brasões da República que os adornam porém, eram constantemente roubados devido a facilidade com que elas eram acessadas - conforme matéria do site São Paulo Antiga (confira 👉AQUI). A Subprefeitura da Sé fez então na época uma reforma e também, substituição das antigas lâmpadas de vapor de sódio por lâmpadas de vapor metálico. Também foi prevista a instalação gradativa de lâmpadas LED nos Postes Republicanos. Porém, o 'romantismo' da iluminação vinda dos Postes Republicanos na cidade iria aos poucos esfriando, com a sua temperatura de cor na luz emitida deixando de ser a bela 'amarela quente' - uma marca na região - para posteriormente mudar a uma temperatura de cor mais branca fria. Nas imagens abaixo, podemos conferir o estado de alguns dos Postes Republicanos existentes no Vale do Anhangabaú nos anos 2010. 

O Vale Do Anhangabaú em 14 de Agosto de 2015, com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇

Mirante do Vale e o Viaduto do Chá no Vale Do Anhangabaú em 14 de Setembro de 2015, com seus Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇
 
O Vale Do Anhangabaú em 16‎ de ‎Outubro‎ de ‎2016, onde ainda podemos observar os Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


O Viaduto do Chá no Vale do Anhangabaú hoje, em 2023: agora, sem os belos Postes Republicanos e com modernos e altíssimos postes LED instalados em sua última (e polêmica) reforma. 
Imagem: Museu da Cidade de São Paulo 

Ainda a respeito desta polêmica reforma no Vale do Anhangabaú - que incluiu uma nova iluminação pública LED - a reportagem abaixo do dia 24 de Outubro de 2023 ilustrou bem os equívocos de um projeto luminotécnico falho. Assista: 

Na sequência de fotos abaixo, podemos também ver como era o estado de conservação de alguns Postes Republicanos no centro da cidade de São Paulo, entre os anos de 2013 e 2016 
Imagens: Robson Giro (Codlux®)


Estação de trem Júlio Prestes em 14 de agosto de 2015 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  - clique para ampliar!👇
 
A Av. São João em 18 de Janeiro de 2016 com Postes Republicanos triplos e duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  - clique para ampliar!👇

 
Caminho do centro ao Vale do Anhangabaú em 12 de Fevereiro de 2016 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇 
 
Estação Júlio Prestes em 22 de Janeiro de 2016 com Postes Republicanos triplos adaptados para duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Largo do Paissandú, centro em 21 de junho de 2016 com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇 
 
Shopping Light em 17 de setembro de 2015 com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Centro de São Paulo em 18 de janeiro de 2016 com Postes Republicanos triplos adaptados para duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇 

 
Centro de São Paulo em 27 de janeiro de 2016 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Avenida Rio Branco em 22 de janeiro de 2016 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇

 
Avenida São João em 21 de janeiro de 2016 com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Edifício Martinelli e antiga sede do Banespa em 12 de fevereiro de 2016 com Poste Republicanos single  
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇

  
Estação de trem Júlio Prestes em 14 de Agosto de 2015 com Postes Republicanos triplos adaptados para duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇 

 
Estação de trem Júlio Prestes em 22 de Janeiro de 2016 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  

 
Galeria Do Rock em 14 de setembro de 2015 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Largo do Paissandu e Galeria Do Rock em 21 de junho de 2016 com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇

 
Largo Do Paissandu em 14 de setembro de 2015 com Postes Republicanos triplos e single  
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  

 
Pinacoteca em 14 de Agosto de 2015 com Postes Republicanos duplos e singles
Imagens: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇  

 Projeção no prédio da prefeitura de São Paulo durante a Virada Cultural em 2013 com Postes Republicanos triplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Pateo Do Collegio em 11 de novembro de 2014  com Postes Republicanos triplos adaptados para duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  

Região da Santa Ifigênia em 17 de agosto de 2016 com Postes Republicanos duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®)  


Escadarias laterais do Teatro Municipal de São Paulo com o Shopping Light ao fundo em 14 de agosto de 2015 com os seus belíssimos Postes Pendentes duplos 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) - clique para ampliar!👇 

 
A Iluminação Histórica no Poupa Tempo da Sé, centro de São Paulo em 2023. 
Imagens: Robson Giro (Codlux®)  

Em demanda no Poupa Tempo da Sé localizado na avenida Rangel Pestana, bem no coração do centro velho da cidade de São Paulo, a Codlux® no início do ano pôde observar - e contemplar! - dentro deste que também é o prédio da Secretaria de Estado da Fazenda (Palácio da Fazenda) os magníficos e gigantescos pendentes históricos para lâmpadas tubulares HO que iluminam as entradas e corredores principais do edifício. 



Erguido entre os anos de 1950 a 1959 pelo arquiteto Ferrucio Julio Pinotti, o prédio teve a sua finalização completa em 1972 para uma área construída de 100.000m² em 22 pavimentos. Um programa de reforma autorizado em 1997 incluiu ao longo dos anos sistema elétrico, iluminação, piso, ar condicionado e sanitários. Veja imagens da época de sua construção 👉AQUI e 👉AQUI.  



Os pendentes do Poupa Tempo Sé podem ser observados livremente no local pelo cidadão antes do seu acesso autorizado às repartições de atendimento ao público. 



A disposição linear no conjunto de pendentes também cria um efeito decorativo incrível! 



Não temos mais informações sobre a data de fabricação ou dados históricos a respeito destes belos pendentes no Poupa Tempo Sé. 



Cada pendente destes pode em tese, acomodar 24 lâmpadas LED tubulares HO de 2,40m com 40W ou 60W cada - dependendo o modelo. Assim, apenas um pendente alcança facilmente os 1440W em potência LED. Como temos mais de 10 peças destes equipamentos no grande hall do Poupa Tempo Sé, é correto dizer que neste ambiente a potência luminosa máxima total proveniente do conjunto de iluminação pode passar dos incríveis 15000 Watts! Tratando-se de LED, é uma pancada de luz! 


ILUMINAÇÃO HISTÓRICA NO RIO DE JANEIRO 


A cidade do Rio de Janeiro também possui exemplares dos Postes Republicanos da Light e outros modelos no seu centro histórico. No Brasil, a primeira cidade a receber luz elétrica nas ruas foi Campos dos Goytacazes, maior município do interior do Rio de Janeiro em 1883. Em passagem pelo estado em agosto deste ano, a Codlux® registrou rapidamente - e assim mesmo, das janelas dos veículos - alguns flagrantes de peças de iluminação histórica em ótimo estado de conservação no espaço público carioca. Vamos à elas. 

Iluminação Histórica no Museu da República (Palácio do Catete) centro do Rio de Janeiro, sexta-feira ‎25‎ de ‎agosto‎ de ‎2023 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) 


Iluminação Histórica em praças no centro do Rio de Janeiro sexta-feira, ‎25‎ de ‎agosto‎ de ‎2023 
Imagens: Robson Giro (Codlux®) 


Iluminação Histórica na Igreja de São José centro do Rio de Janeiro, sexta-feira ‎25‎ de ‎agosto‎ de ‎2023 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) 


Iluminação Histórica no Palácio Tiradentes (ALERJ) centro do Rio de Janeiro, sexta-feira ‎25‎ de ‎agosto‎ de ‎2023 
Imagens: Robson Giro (Codlux®) 

Iluminação Histórica no centro do Rio de Janeiro sexta-feira, ‎25‎ de ‎agosto‎ de ‎2023 
Imagem: Robson Giro (Codlux®) 

Iluminação Histórica no centro do Rio de Janeiro em um domingo chuvoso, ‎27‎ de ‎agosto‎ de ‎2023
Imagens: Robson Giro (Codlux®)  


Iluminação Histórica no Corcovado (Cristo Redentor), Rio de Janeiro em 2023 
Imagens: Robson Giro (Codlux®) 

Iluminação Histórica na Doceria Cristal, centro do Rio de Janeiro em 2023.
Imagens: Robson Giro (Codlux®)   


SUGESTÃO DE PRODUTOS 

"OS CAMINHOS DA LUZ  NAS NOITES DO PASSADO INSPIRANDO PRODUTOS HOJE"  

A Iluminação Histórica é um excelente exercício de lighting design a ser aplicado hoje nos projetos que desejem incluir simultaneamente ao seu luminotécnico: 
-ancestralidade,
-circularidade, 
-sustentabilidade, 
-iluminação circadiana e
-refinamento no interiores
 

Dentre os diversos suppliers parceiros da Codlux® que contemplam produtos de Iluminação Histórica em seus catálogos*, selecionamos abaixo alguns dos equipamentos que mais chamaram a nossa atenção por harmonizarem perfeitamente com a proposta desta publicação: inspirar você no seu projeto! Confira. 
*Atenção: consultas realizadas nos últimos catálogos digitais fornecidos, podendo haver eventual ruptura de produtos e consequente indisponibilidade de venda - neste caso, sugerimos uma pesquisa por imagem no Google  

POSTE REPUBLICANO

Linha Poste Republicano da Imbralux 




Linha SP Antigo da Ideal 


Poste Colonial da Blumenau 


ARANDELA


Arandelas Coloniais Diversas da Imbralux 


Linha Fedra da Bonvenon 


Arandelas Coloniais da Lighting Store 


Linha de Arandelas Maia da Bonvenon


Arandela e Pendente da coleção Carlota Joaquina, criados para a Linha Colonial da Galaxy LED. 


Arandela Hera da Bonvenon 


Linha de Arandelas Vega da Bonvenon


Linha Sinaleiro da Attena 


Linha Colonial da Attena 


Arandela Puri da Acend 


Luminária de Jardim Corten da Femarte 


Arandela Boa Vista da Acend 


Arandela Inglesa da Femarte 


Arandela Conos da Acend 


Arandela Araxa da Acend 

Arandela Retrô da Metal Domado 


Pendente Vintage Chain da Blumenau


Arandela Apolo Slim da Acend 


Linha Class da Di Lucce 


ABAJUR E COLUNA


Abajur Auê da Studioluce 


Coluna da Alumens 


Abajur Deja Vu da Studioluce 


Coluna Colorado da Acend 


Abajur Los Angeles da Chandelie 

PENDENTE 


Linha Antique da Alumens 


Lustre Belga da Femarte 


Pendentes Linha Tion da Nordecor 


Linha Aisha da Hevvy 


Pendente Hangar da Bonvenon 


Pendente Manner da Studioluce 


Lustre Inglês da Femarte 


Arandela e Pendente Linha Vega da Studioluce 


Linha Retrô da Attena 


Linha Hat da Alumens 


Pendente da Munclair 


Pendente Helena da Blumenau 


Pendente Apolo da Acend 


Pendente Apolo duplo da Acend 


LAMPARINA (LAMPIÃO PORTÁTIL)


Poste Retrô Sextavado da Metal Domado


Poste Retrô da Metal Domado 


Linha Móvel Old da Artisan 


Lanterna e Arandela Vintage da Metal Domado 


Coluna Araxa da Acend 


Coluna Interna da Accord 


Arandela e Poste Solar Linha Bamboo da Opus LED 


Arandela e Pendente Linha Toscana da Metal Domado 


LUMINÁRIA DE MESA


Coluna Arqmulti da Acend 


Luminárias da Di Lucce 


Luminária de Mesa Articulável da Luminatti 



LUSTRE E CRISTAL


Lustre Elizabeth da Chandelie 


Arandelas de Cristal da Vivendi 


Arandela e Pendente Linha Drip da Studioluce 


Linha Borboleta da Cinderela 

LÂMPADA 


Lâmpadas LED Filamento (vários fornecedores)


Lâmpadas Vela (vários fornecedores)


EXTERNO  

Poste Linha Baruc da TKS 


Poste Externo Apolo da Acend 


Poste Externo Luna da Acend 

Linha 3 em 1 da Gaya 


Gostou das nossas dicas para Iluminação Histórica? 

Conheça💡, inspire-se😍 e fale com os profissionais da Codlux® sobre a aplicação dos produtos de Iluminação Histórica disponíveis em nossos catálogos para o seu projeto: acesse-nos em 

codlux.com/contato 

Robson Giro, especial para a Codlux® nesta linda 🌸Primavera Brasileira🌻 
Fontes: Sou Paulistano - Fotos Antigas (Facebook), SP In Foco (Facebook),Wikipedia, Mackenzie (Centro Histórico), Radiant History, Notícias Ao Minuto, Orbi (Band), Arquivo Arq, São Paulo Antiga, A Simplicidade das Coisas, Museu da Cidade de São Paulo, Alô SP, Google Arts & Culture, Quantum Engenharia, Portal O Setor Elétrico, G1, Prefeitura de São Paulo, Sony Portugal  

Baixe o arquivo em PDF desta postagem: 

Baixe o arquivo em MHTML desta postagem:


Codlux®
Projetos de Iluminação💡 ️para a sua vida! 


LEIA TAMBÉM

Celebrando a Luz, celebrando Thomas Alva Edison 
As invenções de Edison estão ainda hoje onde você menos imagina! 

Como Edison (re)inventou a lâmpada - e seus próprios mitos 
Verdades, Lendas e o Legado do Pai da Iluminação Moderna

18 de Junho: Aniversário da lâmpada ACESA mais antiga do mundo! 
Leia esta história muito curiosa! 
 
Dia da Iluminação - o legado de Thomas Edison 
As curiosidades de um Gênio controverso 

04 de Setembro, um marco na Iluminação! 
A saga da primeira via pública iluminada com lâmpadas elétricas no mundo


Acompanhe o nosso Marcador 
CELEBRANDO A LUZ
De Edson ao LED, as histórias da Lâmpada Elétrica.

RADIANT HISTORY
Um site sobre curiosidades da Iluminação na história 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chuva e Led combinam? Sim e não...

Olá! É época de chuvas fortes em boa parte do Brasil. Inclusive no nordeste este ano, as águas caíram em Alagoas por exemplo enchendo regiões inteiras e desabrigando milhares de famílias. Com todo o respeito as vítimas, é um momento também para lembrarmos da fragilidade do Led em relação a uma possível exposição constante a umidade e água. Basicamente, o uso da iluminação em Led deve primeiramente considerar o seu local de aplicação: se o equipamento será de interno ou externo. Resumindo de forma bem didática, todo equipamento Led que não tiver uma certificação de proteção "IP65 e/ou IP66", deve ser usado em áreas internas - protegido da umidade, vapores de água, respingos, chuvas, alagamentos e submersão. Estas são regras básicas que, obrigatoriamente, devem ser aplicadas as Lâmpadas para soquetes diversos, aos plafons para embutir em gesso ou laje, as fitas em Led etc. Para uso fora de ambientes fechados como um Refletor Led por exemplo, existe a devida norma técnica

Perfilados: o detalhe essencial no Design Industrial de ambientes

Olá! Hoje vamos continuar a linha de postagens para o design arquitetônico industrial no interior de ambientes residenciais e corporativos. E o destaque agora vai para ele, um equipamento simples e de custo acessível, mas que faz toda a diferença para literalmente sustentar e dar "leveza" a iluminação: o perfilado! O QUE É? Imagens: Pinterest Criados originalmente para a suspensão e alimentação de circuitos e equipamentos de iluminação, ventilação, som ambiente ou, passagem de outros fios e cabos elétricos, telefônicos, dados etc nas construções industriais e comerciais, são destinados a instalações fixas ou suspensas justamente por terem uma aplicação muito flexível. COMO SÃO? Fabricados em chapa de aço pré galvanizado, pintura eletrostática, galvanização à fogo, alumínio ou aço inoxidável, eles são conhecidos tecnicamente como "eletrocalhas". Os melhores para o uso em design de interiores são aqueles mais resistentes, livres de rebarbas e que també

Codlux® no Pinterest: inspire-se como nós!

Olá! Está pensando em um projeto de iluminação e quer ir direto ao ponto, sem textão? Então, filtre o que você quer por imagens: acesse ideias e outros pins sobre Iluminação Led salvos na pasta "Luz em LED",  no Pinterest da Codlux®.  São muitas imagens para você consultar e se inspirar.  https://br.pinterest.com/codlux/luz-em-led/ Inspire-se, como nós! Siga o pincode abaixo e aproveite! Pincode Codlux® Codlux® - Luz em Led Luz é Função! Estamos empenhados nisso.