Pular para o conteúdo principal

18 de Junho: Aniversário da lâmpada ACESA mais antiga do mundo!

Olá!

Quantas pessoas são necessárias para trocar esta lâmpada?



Nenhuma!

Em 18 de junho, a mais antiga lâmpada acesa conhecida no mundo celebrará o seu 118º ano em funcionamento e, brilhando sem parar. A lâmpada, que fica pendurada em um posto de bombeiros em Livermore, Califórnia (imagem abaixo), detém o Recorde Mundial do Guinness.

No entanto, não está claro como essa lâmpada em particular está brilhando desde que foi instalada, em 1901. Lynn Owens, que é responsável pelo Comitê de Centenário da Lâmpada, diz: “Ninguém sabe como é possível. É uma lâmpada de 60 watts e só é alimentada por cerca de quatro watts, mas ninguém sabe por que continua ainda acendendo... Nós já tivemos cientistas de todo o país observando esta lâmpada". Não que o registro oficial do brilho desta lâmpada seja perfeito: ele sofreu algumas falhas iniciais em 1901, depois em uma semana conturbada de 1937 e também, em algumas quedas de energia aleatórias até os anos 70. 



Originalmente doada para a estação de bombeiros, a lâmpada foi concebida por Adolphe Chaillet, que - para obter este modelo final - competiu com ninguém menos que Thomas Edison na disputa pela melhor lâmpada na cidade.
Agora, não se tem certeza se Edison estaria orgulhoso ou rolando em seu túmulo pela conquista da concorrência, mas uma coisa é certa: esperamos que ninguém meta o dedinho no interruptor de energia a caminho da porta e apague esta lâmpada.

Esta paixão do americano pela lâmpada de filamento incandescente inventada por Edison, ainda prevalece nos dias de hoje, como num certo tipo de "memória afetiva". Tanto que, em 2011, uma reportagem da revista Time já chamava atenção para o fenômeno “ansiedade da lâmpada” - o medo que alguns americanos tinham na época em não poderem mais obter lâmpadas incandescentes tradicionais, à medida que novas regras as eliminariam do mercado. Houveram relatos até de consumidores acumulando lâmpadas antigas em casa, com medo de faltar no futuro.

A polêmica retirada das lâmpadas incandescentes de 75 e 100 watts ocorreu no início de 2013. No lugar delas, entraram as lâmpadas halógenas, lâmpadas fluorescentes compactas, lâmpadas LED e lâmpadas incandescentes de alta eficiência, que nada mais são que lâmpadas incandescentes que têm o seu filamento envolto em gás - outras lâmpadas incandescentes especiais como as lâmpadas de três vias, estariam disponíveis mais tarde.
Os motivos destas pessoas relutarem quanto as novas tecnologias (como o Led) variavam:
-preferir o "brilho quente" emitido pela lâmpada incandescente clássica;
-achar a troca por lâmpadas mais eficientes uma conspiração;
-recusar-se a aceitar, pura e simplesmente, qualquer imposição do governo
-ficar cético de que as novas lâmpadas, mais caras, realmente economizariam dinheiro

A fúria e preocupações da maioria das pessoas contra esta substituição diminuíram, à medida elas se familiarizaram com as novas lâmpadas e perceberam que também podiam comprar os novos modelos de lâmpadas incandescentes de alta eficiência. Lâmpadas incandescentes de alta eficiência custavam na época cerca de US$1,50 cada - em comparação aos 0, 50 centavos de dólar das lâmpadas antigas - e duravam o dobro do tempo, usando 28% a menos de energia. Nos Estados Unidos, cerca de 12% da conta de energia de uma casa em 2011 ia para a iluminação. Com o surgimento do Led, foi vislumbrado que a economia real de energia poderia ser ainda maior: enquanto uma lâmpada Led de 40w custava cerca de US $ 7,50 em 2011 - uma grande queda em relação aos US$50 de alguns atrás - ela usava consequentemente 85% menos energia do que uma lâmpada convencional. Ao longo do ano, esta mesma lâmpada Led de 40W consumiria cerca de US$2 de energia em circunstâncias normais (comparada aos mais de US$7 gastos por uma incandescente). Em dois anos, a lâmpada Led estaria paga, durando porém pelo menos 20 anos - ou seja, os próximos 18 anos de uso seriam pura economia.

Informações dadas na época pela indústria de Lâmpadas Led de que elas poderiam durar 25.000 horas (22 anos de uso) antes de serem substituídas, fizeram muitos especialistas se questionassem em, "a menos que um fabricante tivesse mantido uma lâmpada LED acesa por 22 anos - e isso seria impossível na época, pois a tecnologia Led não era tão antiga assim em 2011 - como alguém poderia afirmar com certeza que este tipo de lâmpada poderia durar tanto tempo?" Algumas afirmações dos fabricantes pareceram então, num primeiro momento, serem meio exageradas. Em alguns testes da época, tipos de bulbos em Led deixaram de funcionar antes de atingirem 3.000 horas de uso. Outra observação interessante feita era de que, ao contrário de uma lâmpada incandescente (que falha de repente, ocasionando sua queima), a luz de uma lâmpada Led, naqueles anos, geralmente desaparecia com o passar do tempo, até ficar fraca demais para o uso - tendo a saída de sua luz diminuía em até 30%.

Tristes dias para o Led naqueles anos não? Hoje, já não é mais assim.


A HISTÓRIA DE OUTRO PEQUENO VALENTE

Nós aproveitamos esta bonita história da lâmpada de Livermore para dar agora a você, um exemplo claro de como a tecnologia Led só evolui com o passar do tempo.

No final de 2014, foram instalados equipamentos em Led num sobrado do Bairro Butantã, em São Paulo - veja no blog postagem a respeito AQUI. Este bairro é classicamente conhecido pelas terríveis quedas abruptas de energia (o que afeta muito o bom funcionamento do Led), principalmente nos períodos de chuva. Ha 5 anos atrás porém, já era possível encontrar no mercado produtos em Led de excelente qualidade nos componentes eletrônicos, mas com uma certa construção que ainda deixava um pouco a desejar - principalmente nos equipamentos de uso externo, como refletores por exemplo (imagem abaixo).


Estes, vinham todos na época obrigatoriamente com parafusos de vedação feitos em material que oxidava facilmente - o que nos levava a recomendar aos clientes, trocá-los por parafusos correspondentes em inox, para garantir a vedação da peça em uso externo por muito mais tempo.

Neste sobrado especificamente, foram colocados na lage da garagem, 3 refletores em Led de 10W cada, na temperatura de cor branco quente 3000K. 




No corredor lateral, apenas 1 refletor em Led de 10W, na temperatura de cor branco frio 6000K.



Os dois primeiros servem para "aquecer" o terraço, ficando voltados para baixo - evitando assim o ofuscamento - ou, direcionados a fachada, para melhorar sua iluminação. No corredor, o refletor 6000K auxilia no acesso a lavanderia e edicula, além de compartilhar a sensação de segurança com o vizinho.

Como será que estão estes refletores hoje, junho de 2019? Estão inteiros? Ainda funcionam?

A resposta está logo abaixo.

Passados estes anos todos, ainda temos 2 refletores em Led acesos todas as noites no terraço, totalizando até agora, mais de 17.000 horas de funcionamento! E ainda, pegando chuva, vento, sol e poeira ininterruptamente estes 4 anos todos. Obviamente, o proprietário do imóvel não trocou os parafusos como recomendado (imagem abaixo). Infelizmente, o refletor do corredor lateral queimou numa queda de raio durante uma forte tempestade - detalhe: a peça não estava aterrada (uso do fio terra) como deveria. Se estivesse, muito provavelmente ainda estaria funcionando.



Notem também na imagem, os amassados nas alças dos refletores do terraço, causados por encostamento e apoios de pés, que os entortaram nos dias de festa, mas não danificaram: estas intempéries e avarias, não impedem os produtos de continuar funcionando normalmente até hoje - ao contrário da nossa amiga lâmpada bulbo no começo da postagem, que sequer pode ser apagada muitas vezes, sob risco de queimar definitivamente com o rompimento de seu filamento.

São duas histórias muito interessantes sobre a resistência dos equipamentos de iluminação, relacionada aos seus devidos cuidados no decorrer das décadas que, com o passar do tempo (e a alta tecnologia), só vão melhorando a cada dia. Portanto, quando for colocado a você que "produto A" (de primeira qualidade) em relação a um "produto B" (de qualidade duvidosa) pode durar hoje não 20 mas, até 50.000 horas - ou mais de 10 anos, se usado 12 horas por dia ou noite nas devidas condições de instalação e manutenção preventiva (verificação da fiação local, rede elétrica, fio-terra, vedações, limpeza do produto etc), pode acreditar que sim!



E, quem vai chancelar tudo isso a você, será o profissional em Luminotécnica, atualmente o mais especializado em equipamentos de iluminação para a Luz em Led.

A Codlux® te ajuda neste sentido.




Robson Giro especial para a Codlux® - Luz em Led



Fontes também consultadas: TIME, CNN 




Postagens mais visitadas deste blog

Como evitar ERROS GROTESCOS na instalação?

Olá!
Hoje voltaremos a falar sobre Erros de Projetos. Agora mais precisamente, no tocante a instalação de alguns equipamentos especificados, principalmente aqueles que necessitarem de uma Adequação e Desenvolvimento por parte do profissional em luminotécnica quando da correta escolha dos produtos de iluminação artificial com tecnologia Led para o seu projeto !

Via de regra, grande parte das adaptações criadas pelo Light Designer responsável no projeto encomendado vão de encontro a um desejo pessoal do seu cliente. Isto consequentemente acarretará, por exemplo, em equipamentos que não harmonizarão com o desenho original da peça disponível no mercado: formas, cores, potência da luz, meios de fixação/instalação etc, tudo pode ter que ser mudado naquele equipamento "X" devido a uma escolha pessoal do proprietário do imóvel, tendo contudo que manter-se não só a qualidade na iluminação local como também, a garantia do produto. E é aí que a coisa pode começar a pegar: instaladore…

O Batata floresce!

Olá! Dia 17 de Agosto é o Aniversário de nosso amado bairro de Pinheiros aqui na cidade de São Paulo. Preparamos este super post especialmente para você que deseja morar, trabalhar, se divertir ou mesmo conhecer um dos primeiros bairros da segunda maior cidade da América Latina em 2020, onde a população já passa dos 20 milhões e a riqueza gerada, beira a casa dos US$530 bilhões ao ano. E Pinheiros hoje ilustra bem este progresso todo: uma edição da revista Veja São Paulo de Janeiro de 2019 destacava matéria especial sobre um grande empreendimento a ser erguido no Largo da Batata, região do bairro de onde está localizada a Codlux®: o Faria Lima Plaza


O projeto arquitetônico em questão é assinado pelo escritório de arquitetura Kohn Pedersen Fox Associates (KPF) e, tem potencial para se tornar um grande ícone do mercado imobiliário.









A localização, trata-se do último terreno vazio no Largo da Batata: com  9.000 metros quadrados (imagens abaixo) e bem ao lado do metrô Faria Lima (linha 4 …

Trilho Suspenso: Solução simples e sofisticada

Olá!



#AdequaçãoEdesenvolvimentoqual empresa em iluminação oferece isto a todos os seus clientes de maneira incondicional?
Seja em sua casa ou empresa, a Codlux® vai aonde nenhuma outra pode (ou não quer) ir: solução para aquilo que está em sua mente, adaptada as disponibilidades atuais do mercado e sem custos exorbitantes - você simplesmente não tem que pagar a mais por isto.Nosso Atendimento e Pós-venda estão fazendo a diferença para centenas de clientes atendidos, como o do caso deste video, que queria também em seu projeto um simples trilho eletrificado, pousado longe do teto, acima de sua mesa de jantar no terraço mas com sofisticação, sem cabos ou fios aparentes.

O expertise dos profissionais da Codlux® no mercado da iluminação foram fundo: do design a fabricação do produto, passando pelo conhecimento certo dos insumos para encontrar a finalização perfeita, de bom gosto e com muita resistência.

Esta é a Codlux®. Luminotécnica e design acessível a você!


Veja agora a preparação de…